Covid-19

COVID-19: Portugal volta a exigir o uso de máscaras em locais fechados após aumento de casos

O governo de Portugal recuou nesta quinta-feira e decidiu voltar à obrigatoriedade do uso de máscara em locais fechados para conter a escalada de casos da nova onda da pandemia na Europa. O país passará do estado de alerta para estado de calamidade em 1º de dezembro, o que dará mais poderes ao governo para tomar esta e outras medidas.

A utilização de máscaras em locais fechados, como cafés, restaurantes, estabelecimentos comerciais pequenos, bares e discotecas deixou de ser obrigatória no mês passado, quando o primeiro-ministro chegou a anunciar o dia da libertação total. Mas continuou a ser exigida nos transportes públicos. Agora, apenas a Direção Geral de Saúde poderá estabelecer uma exceção.

Já a utilização obrigatória de máscaras nas ruas havia sido suspensa há mais de dois meses. Uma volta a esta medida teria que ser analisada pelo Parlamento, que está prestes a ser dissovildo pelo presidente da República.

Outra regra importante, principalmente para brasileiros e portugueses que viajarão no Natal: será obrigatório apresentar teste negativo para entrar no país. Segundo Costa, as companhias aéreas não têm cumprido com a obrigação de exigir testes e passarão a ser multadas em € 20 mil (R$ 124 mil) por cada passageiro desembarcado sem verificação.

“Será obrigatório a todos os voos que cheguem a Portugal, seja qual for o ponto de origem e a nacionalidade do passageiro. É um ato de profunda irresponsabilidade desembarcar pessoas não testadas”, esclareceu Costa ao anunciar as medidas.

Além da volta da máscara, o primeiro-ministro estabeleceu o certificado e o teste negatico como dois instrumentos cruciais de contenção, que passam a ser combinados em alguns casos. O certificado digital voltará a ser obrigatório no acesso aos restaurantes, estabelecimentos turísticos e de hotelaria, eventos com lugares marcados e academias de ginástica.

Uma novidade, que surpreendeu a população, foi o anúncio da criação da semana de contenção de contatos, que terá impacto na vida de milhares de portugueses em janeiro. Isso porque foi decidido que as férias de fim de ano serão prolongadas em sete dias.

O objetivo, segundo Costa, é evitar os erros do começo do ano, descritos no link acima. Assim, na semana de 2 a 9 de janeiro, além do prologamento das férias escolares, o trabalho à distância será obrigatório e as discotecas permanecerão fechadas.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Covid-19

FLEXIBILIZAÇÃO: Estado de São Paulo vai liberar uso de máscaras em locais abertos a partir de 11 de dezembro

Divulgação

A partir de 11 de dezembro, o uso de máscaras será dispensado em ambientes abertos sem aglomeração no estado de São Paulo. A decisão foi anunciada em coletiva de imprensa nesta quarta-feira (25) no Palácio dos Bandeirantes.

A medida foi anunciada mesmo sem o estado atingir todos os indicadores de redução de casos, internações e mortes por Covid que tinham sido estipulados pelo próprio governo para a flexibilização.

A flexibilização valerá para locais abertos que permitem distanciamento, como parques e ruas. Mas as máscaras continuarão obrigatórias em locais abertos com aglomeração (como as estações de transporte público) e em locais fechados. Ainda não há previsão de quando poderá ocorrer dispensa do item de precaução nestes casos.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Covid-19

VACINAS IGUAIS: Contrariando Ministério da Saúde, Anvisa recomenda reforço da mesma vacina

Foto: Kleide Teixeira

Contrariamente a posição do Ministério da Saúde, a Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendou, nesta quarta-feira (24), por unanimidade, que a vacinação de reforço contra a covid-19 seja feita, preferencialmente, com uma vacina homóloga, ou seja, do mesmo imunizante recebido no esquema primário de vacinação (duas doses ou dose única).

A recomendação da dose de reforço homóloga serve para vacinação com Pfizer, AstraZeneca e Janssen, já que estas solicitaram ao órgão regulador inclusão de uma dose adicional das vacinas nas respectivas bulas. Nesta quarta (24), inclusive, a Anvisa aprovou a alteração na bula da vacina contra a covid-19 da Pfizer, e incluiu a aplicação de uma dose de reforço para pessoas com 18 anos ou mais que tenham tomado a segunda dose da vacina há pelo menos seis meses.

Dessa forma, somente quem tomou a CoronaVac, vacina produzida pelo Instituto Butantan no Brasil, deve, preferencialmente, receber uma dose de reforço de uma vacina diferente, sendo preferida a vacina da Pfizer, a única de mRNA aprovada no Brasil. Isso acontece, segundo a Anvisa, porque, até o momento, o Instituto Butantan ainda não pediu à agência reguladora brasileira a inclusão de uma dose de reforço da própria vacina na bula do produto.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Covid-19

COVID-19: Meio milhão de paraibanos estão com a vacinação atrasada

Divulgação

A Paraíba tem mais de 500 mil pessoas com a vacinação contra a covid-19 atrasada. De acordo com a assessoria da Secretaria de Estado da Saúde (SES), ao todo, 517.639 pessoas, que fazem parte do público-alvo da campanha de imunização, ainda não procuraram os postos de atendimento.

Ainda segundo a SES, somente em João Pessoa são quase 100 mil pessoas com o esquema vacinal contra o coronavírus em atraso.

Até esta terça-feira (23), a Paraíba já havia distribuído 6.494.615 doses de vacinas para os 223 municípios. Em todo o estado, 75% da população está vacinada, ao menos, com uma dose.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Covid-19

Governo libera R$ 1,4 bilhão para compra de vacinas contra Covid-19

Foto: Amanda Perobelli/Reuters

O Ministério da Economia anunciou nesta quarta-feira (24) a liberação de R$ 1,4 bilhão para compra de mais 100 milhões de doses de vacina contra a Covid-19. Ao todo, durante os anos de 2020 e 2021, foram abertos créditos adicionais no valor de R$ 31 bilhões para compra de vacinas e despesas relacionadas ao combate à Covid. 

De acordo com o governo federal, o crédito suplementar anunciado nesta quarta-feira não fere o teto de gastos, regra constitucional que limita as despesas da União à inflação do ano anterior.

“O crédito publicado não amplia as dotações orçamentárias sujeitas aos limites para as despesas primárias estabelecidos pela Emenda Constitucional nº 95 […] nem afeta a obtenção da meta de resultado primário fixada para o corrente exercício, considerando que decorre de redução de outras despesas primárias”, acrescentou o ministério.

A proposta de orçamento de 2022, enviada em agosto ao Congresso Nacional, prevê mais R$ 3,9 bilhões para a aquisição de vacinas contra a Covid-19.

G1

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Covid-19

TODO MUNDO EM CASA: Prefeito de Cajazeiras cancela festas de Ano Novo

Divulgação

O prefeito de Cajazeiras, José Aldemir (PP), anunciou que não haverá comemorações na cidade durante a passagem do ano novo nem festas de Carnaval em decorrência da pandemia de Covid-19. A declaração do gestor foi dada nesta quarta-feira (24).

Segundo Aldemir, ninguém no município “assimila a ideia de carnaval”. “Não vai ter banda na passagem de Ano Novo na rua. A recomendação é que todo mundo passe em casa e com os familiares, não vai ter festa na rua nem animação com banda, não. E não vai haver carnaval. Decididamente, não vai haver”, disse.

Em junho, o prefeito foi diagnosticado com Covid-19 e passou 33 dias internado no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo. Ele chegou a dar entrada na UTI e seu quadro inspirou cuidados devido a problemas cardíacos que possui, segundo informou a deputada estadual Dra. Paula, sua esposa.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Covid-19

Ministério da Saúde prepara nova orientação para a segunda dose da vacina da Janssen

Foto: Reprodução

O Ministério da Saúde prepara uma nova orientação para o reforço do imunizante da Janssen contra a Covid-19. A vacina é a única aplicada em dose única no país. Na semana passada, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que seria feita uma mudança: o imunizante seria aplicado em duas doses mais uma de reforço, como os de outros fabricantes utilizados no país.

O anúncio da pasta diferiu da orientação da Foods and Drugs Administration (FDA), agência reguladora dos Estados Unidos. Lá, os imunizados com Janssen podem tomar uma dose de reforço dois meses depois da aplicação da dose única.

A pasta recuou e deve soltar orientações técnicas ainda nesta semana sobre o esquema vacinal do imunizante. A segunda dose da Janssen seria aplicada dois meses depois da primeira, de acordo com a secretária Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19, Rosana Leite de Melo.

As últimas doses da Janssen recebidas pelo Ministério da Saúde ainda não foram distribuídas para estados e municípios. De acordo com Queiroga, os imunizantes estão retidos para avaliação de qualidade.

Metrópoles

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Covid-19

COVID-19: João Azevêdo defende redução de eventos públicos no Réveillon

Foto: Divulgação

Durante uma entrevista ao programa Arapuan Verdade nesta terça-feira (23) o governador João Azevêdo, defendeu a redução de eventos abertos para shows de Réveillon na Paraíba. Segundo ele, as festas públicas são difíceis de controlar, sendo inviáveis para o cenário atual da pandemia.

“Nós temos dois tipos de evento. Evento fechado, você tem uma porta de entrada e uma de saída. Você tem a possibilidade de exigir o passaporte. Você pode ter controle. No entanto, uma festa aberta não há a mínima possibilidade de controlar”, analisou.

Ainda segundo ele, diversos gestores de cidades já suspenderam as festas que estavam previstas depois da retomada de casos. Ele citou a cidade de Cabedelo e outras da região do Litoral. “Há uma certa tendência de alguns municípios do litoral de evitar essa festa do Réveillon. Temos que entender que ainda não vencemos a pandemia”, destacou.

João Azevedo lembrou ainda que o estado ainda não atingiu a meta da vacinação de duas doses contra a Covid-19. “Nós ainda não atingimos um patamar de sistema vacinal completo com as duas doses, que nos dê essa possibilidade de relaxar. Eu acho que ainda é cedo se discutir réveillon e carnaval”, concluiu.

ClickPB

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polêmica

BEMAIS: MPPB vai apurar denúncia de não exigência do ‘passaporte da vacina’

Foto: Reprodução

Antes mesmo dos shows, o Ministério Público da Paraíba já investigava a Vaquejada Bemais desde a preparação do evento e vai apurar as denúncias de não exigência do ‘passaporte da vacina’ na entrada do local dos shows, onde se apresentaram os cantores João Gomes e Raniery Gomes, entre a noite de sábado (20) e madrugada do domingo (21). A Promotoria de Justiça de Itabaiana já havia instaurado procedimento para acompanhar a realização da Vaquejada Bemais, em São Miguel de Taipu, na região metropolitana de Itabaiana e região imediata de João Pessoa.

Em relação aos protocolos contra a Covid-19 na Vaquejada Bemais, o Ministério Público da Paraíba informou nesta segunda-feira (22), que já tinha “cobrado, antes mesmo de sua realização, o cumprimento de protocolos sanitários por parte dos organizadores.”

A festa foi alvo de críticas após atrasos nos shows e dificuldade de acesso à arena, com pessoas tendo que caminhar por quilômetros a pé, inclusive a cantora Danieze Santiago, que reclamou nas redes sociais das condições em que ela e o público foram tratados.  A Planeta Promoções, organizadoras dos shows, disse que sugeriu que ela cantasse após João Gomes, mas que ela teria rejeitado a proposta.

ClickPB

 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Covid-19

NOVO DECRETO: Prefeitura de Cabedelo libera shows com 100% da capacidade no fim do ano

Foto: Divulgação

A prefeitura de Cabedelo publicou nesta segunda-feira (22), um novo decreto com aumento da capacidade de público em shows e eventos. De acordo com o documento, a flexibilização das atividades deve seguir um calendário escalonado, que prevê liberação progressiva da ampliação da capacidade, sendo 50% a partir de 1 de dezembro, 80% a partir de 11 de dezembro e 100% a partir de 21 de dezembro.

Atualmente, a capacidade está 2, mas o cronograma poderá ser reavaliado de acordo com a situação epidemiológica do município.

Para que os shows sejam realizados será obrigatório uma comunicação com um prazo de 72h de antecedência à Diretoria de Vigilância Sanitária, que vai observar os protocolos e medidas necessárias para viabilização do evento.

Devem ser seguidas todas as medidas de segurança como distanciamento social, uso de máscaras, álcool 70º, aferição de temperatura e, além disso, será exigida a apresentação do cartão de vacinação comprovando, no mínimo, a aplicação da 1ª dose da vacina há, pelo menos, 14 dias; e de um teste de Covid realizado há 72h antes do evento. Para quem está com esquema vacinal completo, duas doses, o exame é dispensável.

O uso de máscara em todos os ambientes públicos da cidade, inclusive os espaços abertos, segue sendo obrigatório.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *