Covid-19

João Pessoa retoma vacinação contra Covid-19; Veja locais

 

 

 

Divulgação

Após o recesso da Semana Santa, concedido aos profissionais da Saúde, a Prefeitura de João Pessoa vacina, nesta segunda-feira (18), todos os públicos a partir dos cinco anos de idade contra a Covid-19. Para facilitar a vida da população, sobretudo de quem não pode se deslocar até um dos postos durante o horário comercial, haverá imunização até as 22h, no Mangabeira Shopping.

Nesta segunda-feira, além de crianças de 5 a 11 anos, também podem se imunizar com a primeira dose o público 12+. Estão disponíveis ainda as segundas doses da Coronavac (28 dias após a primeira dose), Pfizer (60 dias), Astrazeneca (90 dias) e Janssen. Pode tomar a terceira dose a população com idade a partir de 18 anos (120 dias após a segunda dose), imunossuprimidos (28 dias) e os trabalhadores de saúde (120 dias). A aplicação da quarta dose é destinada aos indivíduos imunossuprimidos e idosos a partir dos 80 anos que tenham recebido a terceira dose há, pelo menos, 120 dias.

Agendamento – É necessário fazer o agendamento para os públicos a partir dos 12 anos – exceto para os que optarem pelo posto no Mangabeira Shopping, pelo aplicativo Vacina João Pessoa ou site vacina.joaopessoa.pb.gov.br. As vagas são abertas sempre às 19h do dia anterior. Para tirar dúvidas, a população pode ligar ou enviar mensagem, via WhatsApp, para os números: (83) 98600-4815 ou (83) 98699-2917.

Documentação exigida – Crianças de 5 a 11 anos precisam levar Cartão SUS ou CPF e comprovante de residência em João Pessoa. Crianças que tenham comorbidades ou deficiência também precisam apresentar laudo ou declaração médica que comprove a doença. Para a segunda dose é necessário apresentar o cartão de vacinação e documento com foto.

Para receber a primeira dose da vacina a partir dos 12 anos, é necessário apresentar documento oficial com foto, Cartão SUS, CPF e comprovante de residência em João Pessoa. Já para a D2, D3 e D4, é necessário o cartão de vacinação e um documento pessoal com foto, além de comprovação documental para trabalhadores de saúde e laudo médico para imunossuprimidos.

Confira a relação dos postos de vacinação nesta segunda-feira (18):

Crianças a partir dos 5 anos (sem agendamento)

1ª dose: Pfizer

2ª dose: Pfizer (60 dias)

– Policlínicas (Mandacaru, Cristo, Mangabeira e das Praias) – 8h às 16h

– Centro Municipal de Imunizações (Torre) – 8h às 16h

Crianças de 6 a 11 anos (sem agendamento)

1ª dose: Coronavac

2ª dose: Coronavac (28 dias)

– Todas as salas de vacinas nas USFs – 8h às 11h

(com exceção das USFs Cruz das Armas IV, Bessa, Padre Hildon Bandeira, Mandacaru VII, Ipês, Alto do Mateus I, Vieira Diniz, Rangel I, Rosa de Fátima, Roger III, Alto do Céu II, Timbó I e Costa e Silva)

– Mangabeira Shopping (pedestre) – 8h às 16h

A partir de 12 anos

1ª dose: 12+

2ª dose: Janssen, Coronavac (28 dias), Astrazeneca (90 dias) e Pfizer (60 dias)

3ª dose: 18+ (após 120 dias da 2ª dose); imunossuprimidos (após 28 dias da 2ª dose); e trabalhadores de saúde (após 120 dias da 2ª dose)

4ª dose: imunossuprimidos (após 120 dias da 3ª dose)

Locais com agendamento:

– Todas as salas de vacinas nas USFs – 8h às 11h

(com exceção das USFs Cruz das Armas IV, Bessa, Padre Hildon Bandeira, Mandacaru VII, Ipês, Alto do Mateus I, Vieira Diniz, Rangel I, Rosa de Fátima, Roger III, Alto do Céu II, Timbó I e Costa e Silva)

– Ginásio Ivan Cantisani (Tambiá) – 8h às 12h

Locais sem agendamento:

– Mangabeira Shopping (drive) – 8h às 22h

– Mangabeira Shopping (pedestres) – 18h às 22h

Idosos 80+ (4ª dose – sem agendamento)

– Todas as salas de vacinas nas USFs – 8h às 11h

(com exceção das USFs Cruz das Armas IV, Bessa, Padre Hildon Bandeira, Mandacaru VII, Ipês, Alto do Mateus I, Vieira Diniz, Rangel I, Rosa de Fátima, Roger III, Alto do Céu II, Timbó I e Costa e Silva)

– Mangabeira Shopping (drive) – 8h às 22h.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Covid-19

SAÚDE: Com o fim da emergência pela Covid, mais de 2 mil medidas serão reanalisadas

Divulgação

A decisão do governo de reclassificar a pandemia no Brasil, e acabar com o estado de emergência, coloca em xeque mais de 2.000 atos administrativos que poderão ser revogados, adaptados ou virarem política permanente. A mudança tem impacto direto em vários cuidados e regras que vinham sendo adotados no funcionamento geral da sociedade, como no ambiente de trabalho e na rotina de viagens.

Segundo o Ministério da Saúde, o governo federal, em articulação com autoridades locais, irá estipular prazo de transição para este novo momento em que os casos de coronavírus deixam de ser tratados como emergência em saúde. Nenhuma medida vai cair imediatamente. Deverá ser estipulado prazo de 30 a 90 dias.

“O resultado das políticas públicas lideradas pelo Ministério está aí”, afirmou à CNN o ministro Marcelo Queiroga após o anúncio neste domingo (17). Fontes do governo avaliam que as regras voltadas para vacinação, como a cobrança em espaços públicos, têm mais chances de virarem políticas públicas. Uma coletiva de imprensa está marcada para as 10h dessa segunda-feira (18).

A emergência pela Covid permitiu compras de insumos médicos sem licitação, restringiu a exportação de materiais e autorizou o uso da telemedicina. Estas questões também vão ser colocadas sob análise.

Pastas como Economia, Cidadania e Turismo irão rever algumas portarias, assim como Estados e Municípios que terão que rever suas legislações editadas devido à pandemia. O teletrabalho, por exemplo, em serviços públicos se expandiu com base em regulamentação do Ministério da Economia para emergência sanitária. O novo cenário mexe inclusive com normas da iniciativa privada, que também migrou para o trabalho remoto e adotou outros tipos de restrições.

A Covid-19 continua a infectar e fazer vítimas, mas em níveis muito menores do que nos últimos dois anos, o que viabilizou a decisão. Somente a Organização Mundial de Saúde (OMS) pode definir se o mundo ainda passa por uma pandemia. Mas países, em separado, podem declarar a situação de saúde, de acordo com suas realidades locais.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Covid-19

Decreto com o fim da pandemia no Brasil deve ser publicado nos próximos dias, afirma Marcelo Queiroga

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, fez um pronunciamento, em cadeia nacional de rádio e TV, de cerca de três minutos neste domingo (17). No discurso, Queiroga diz que há “condições”, no Brasil, para anunciar o fim da Emergência em Saúde Pública de importância Nacional (Espin).

Segundo o ministro, nos próximos dias será “editado um ato normativo” com as regras para essa medida.

No pronunciamento, Queiroga disse que mais de 73% da população brasileira completou o esquema vacinal e cerca de 71 milhões de doses de reforço foram aplicadas.

“Graças à melhora do cenário epidemiológico, à ampla cobertura vacinal da população e à capacidade de assistência do SUS, temos hoje condições de anunciar o fim da Emergência de Saúde Pública de Importância Nacional, a Espin. Nos próximos dias, será editado um ato normativo disciplinando essa decisão”, declarou o ministro da Saúde.

Marcelo Queiroga acrescentou, no entanto, que a medida não “significa o fim da Covid-19”. “Continuaremos a conviver com o vírus. O Ministério da Saúde permanece vigilante e preparado para adotar todas as ações necessárias para garantir a saúde dos brasileiros”, afirmou.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Covid-19

DE NOVO: MPPB pede retorno da obrigatoriedade do uso de máscaras na PB

Foto: Reprodução

Parece notícia repetida, mas não é. O Ministério Público da Paraíba entrou com uma nova ação na justiça pedindo o retorno do uso obirgaório de máscaras no estado. No pedido, a promotora Jovana Tabosa argumenta que a flexibilização do uso de máscaras deveria ocorrer de forma gradual, primeiramente para ambientes abertos e apenas após 15 dias para ambientes fechados.

Nesta semana, a Justiça já havia negado o pedido do Ministério Público para retomar o uso obrigatório de máscaras em ambientes fechados do estado. Com a decisão, a flexibilização da utilização do item de proteção segue facultativa no território paraibano.

O juiz José Gutemberg Gomes Lacerda, da 5ª Vara da Fazenda Pública de João Pessoa, entendeu que o Estado é o detentor dos estudos e dados que possam embasar as decisões sobre a flexibilização de medidas de combate à Covid-19.

A flexibilização na Paraíba foi decretada pelo governador João Azevêdo (PSB) no dia 7 de abril. Pelas novas regras, o uso das máscaras deixou de ser obrigatório em locais abertos de todo o estado e em locais fechados, em municípios com no mínimo 70% da cobertura vacinal da população.

Portal T5

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Covid-19

COVID-19: Vacinação está suspensa em João Pessoa e Campina Grande nesta quinta

Foto: Divulgação

A vacinação contra a Covid-19 faz uma pausa para o feriado de Semana Santa, a partir desta quinta-feira (14), em João Pessoa e em Campina Grande. A campanha foi suspensa após os decretos municipais que determinaram ponto facultativo a partir hoje, sendo retomada na próxima segunda-feira (18), nos postos espalhados pelas cidades.

Antes da pausa, a campanha de vacinação aplicou doses de imunizantes para todos os públicos a partir de cinco anos de idade até as 22h desta quarta-feira (13).

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Covid-19

MEDIDA PROVISÓRIA: Governo libera uso de máscaras em condomínios da PB

Divulgação

O governador João Azevêdo editou uma Medida Provisória tornando facultativo o uso de máscaras em condomínios localizados nos municípios em que o percentual de vacinação da população  com duas doses ou dose única for superior a 70%. A MP foi publicada na edição desta quarta-feira (13) do Diário Oficial do Estado.

O uso do equipamento de proteção será opcional para moradores, funcionários, visitantes e colaboradores de empresas de entrega ou manutenção e para todas as pessoas que circulem pela área comum dos condomínios.

A nova regra entrou em vigor hoje.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Covid-19

MAIS UM: Juiz rejeita pedido do MP e mantém facultativo uso de máscaras na Paraíba

Foto: Reprodução

O juiz José Gutemberg Gomes Lacerda, da 5ª Vara da Fazenda Pública de João Pessoa, rejeitou na noite desta segunda-feira (11) a ação movida pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB) contra os decretos editados pelo governador João Azevêdo (PSB) e o prefeito Cícero Lucena (PP) que facultam o uso de máscaras faciais em ambientes abertos e fechados.

Na última sexta-feira (08), o juiz plantonista João Batista Vasconcelos já tinha rejeitado o pleito para que analisasse a ação em caráter de urgência. Na oportunidade, o magistrado destacou que o Estado é detentor dos estudos e dados que possam embasar as decisões sobre a flexibilização de medidas de combate à Covid-19.

Esse entendimento também foi destacado na decisão de hoje. “Em que pesem os argumentos expostos, a decisão de manter, ou não, a obrigatoriedade de uso de máscaras faciais, em locais abertos ou fechados, como meio de combate à pandemia, consiste em mérito administrativo, sujeito ao juízo de oportunidade e conveniência do Poder Executivo, na busca do interesse público”, escreveu José Gutemberg.

O juiz lembrou, ainda, que “os decretos estadual e municipal fundamentaram-se no avanço da vacinação de sua população, assim como em dados objetivos da conjuntura epidemiológica da covid-19 em seus sistemas de saúde, como as taxas de ocupação de leitos de UTI e de enfermaria, decorrentes da pandemia”.

Wallison Bezerra

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Covid-19

Estudantes da UFPB terão auxílio financeiro para comprar máscaras e álcool em gel

Divulgação

A Universidade Federal da Paraíba (UFPB) vai pagar um auxílio emergencial de R$ 30 mensais a estudantes para a compra de máscaras de proteção contra o coronavírus e de álcool a 70%. A Pró-Reitoria de Assistência e Promoção ao Estudante da Universidade Federal da Paraíba (Prape/UFPB) publicou, nesta segunda-feira (4), portaria que institui o Auxílio Emergencial Temporário EPI Covid no âmbito da assistência estudantil da universidade.

Os contemplados serão os alunos dos cursos de graduação presencial em atividades acadêmicas presenciais na UFPB. Para receberem o auxílio, esses estudantes precisam estar matriculados em atividades acadêmicas presenciais na instituição.

O auxílio tem caráter emergencial e temporário e consiste em três parcelas mensais no valor de R$ 30,00 cada, a serem disponibilizadas aos estudantes dos cursos de graduação presencial que sejam beneficiários dos auxílios estudantis: Auxílio Residência Universitária; Auxílio Restaurante Universitário; Auxílio Moradia; Auxílio Alimentação; Auxílio Pré-Escolar; Auxílio Transporte; Apoio Emergencial.

De acordo com o Pró-Reitor de Assistência e Promoção ao Estudante, professor Alfredo Rangel, estima-se contemplar, em média, 4 mil alunos, importando em um investimento em torno de R$ 360 mil.

O AE EPI-COVID será custeado com recursos do Programa Nacional de Assistência Estudantil e seu pagamento e manutenção fica condicionado à disponibilidade orçamentária e financeira.

 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Covid-19

COVID-19: Novo decreto de João Pessoa mantém regras do anterior e tem validade até 7 de abril

Foto: Divulgação

A Prefeitura de João Pessoa publicou, neste sábado (2), no Diário Oficial Eletrônico, o decreto com o conjunto de medidas de enfrentamento e prevenção à pandemia da Covid-19.

O documento mantém as mesmas regras do anterior, com algumas exceções, e tem validade até o dia 7 de abril.

Clique aqui e confira.

O novo decreto altera apenas algumas medidas contidas no anterior que dispensava a apresentação de teste de antígeno negativo para Covid-19 realizado em até 72 horas antes de eventos, para o ingresso shows. A obrigatoriedade da apresentação foi determinada em decisões judiciais.

O prefeito ressalta que as medidas podem ser reavaliadas a qualquer momento, de acordo com a situação epidemiológica do município.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Covid-19

COVID-19: Paraíba confirma 699 casos e uma morte nesta sexta

Foto: Divulgação

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) registrou, nesta sexta (01), 699 casos de Covid-19. Entre os casos confirmados neste boletim, 03 (0,42%) são moderados ou graves e 696 (99,58%) são leves. Agora, a Paraíba totaliza 597.101 casos confirmados da doença.

Também foi confirmado 01 novo óbito desde a última atualização. Com isso, o estado totaliza 10.194 mortes. O boletim registra ainda um total de 440.582 pacientes recuperados da doença.

O óbito divulgado neste boletim ocorreu no dia 26 de março, em hospital público. A vítima é uma mulher, de 18 anos, residente do município de João Pessoa, sem comorbidade informada.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.