Turismo

Emissão de passaportes dobra com reabertura das fronteiras

Foto: Divulgação

A reabertura das fronteiras internacionais para turistas brasileiros motivou a emissão de 372.581 passaportes entre os meses de julho e setembro, de acordo com informações da PF (Polícia Federal), órgão responsável pela confecção dos documentos.

O número corresponde a um ritmo de impressões 96,3% maior que o verificado no mesmo período de 2020 (189.774), quando as viagens estavam praticamente interrompidas devido à pandemia do novo coronavírus, e 45,2% superior em relação aos 256.640 documentos confeccionados no segundo trimestre deste ano.

Os dados, obtidos pelo R7 com base na Lei de Acesso à Informação, mostram ainda que o volume de emissões de passaportes está em alta desde abril. Em junho, foi a primeira vez que o volume de documentos entregues superou 100 mil desde março do ano passado, o primeiro mês de medidas restritivas para conter o avanço do vírus.

Atualmente, já são mais de 100 países que permitem a entrada de brasileiros. Muitos deles, no entanto, exigem regras específicas para permitir a entrada dos viajantes. A maioria dos requisitos envolve a apresentação do comprovante de vacinação ou teste negativo de Covid-19.

“Esse é um grande momento para o turismo, uma retomada muito positiva. A reabertura das fronteiras, sem dúvida, vai refletir no crescimento da economia, voltando a movimentar todo o setor”, afirma o diretor-geral da myWorld no Brasil, Davi Damazio. Ele ressalta que, desde julho, houve um aumento importante na procura por hotéis e pacotes turísticos internacionais.

Além da reabertura das fronteiras, Damazio cita a flexibilização das medidas mais restritivas, o avanço da vacinação e a vontade maior das pessoas em viajar após o longo período de isolamento como outros fatores que têm impulsionado o turismo. “Agora as pessoas começam a sentir mais segurança para voltar a pôr o pé na estrada”, avalia ele.

Apesar da alta recente, o número de emissões ainda segue distante daquele observado no período pré-pandemia. Ao comparar os dados do terceiro trimestre com o mesmo intervalo de 2019, verifica-se uma queda superior a 100% no volume de entregas efetivas do documento.

No ano passado, foi entregue pouco mais de 1 milhão de passaportes no Brasil, quantidade 65,5% menor que a verificada em 2019, quando se realizaram quase 3 milhões de impressões. Os principais destaques negativos foram observados nos meses de abril e maio, quando houve a emissão de pouco mais de 3.000 documentos.

Com informações R7

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Turismo

SEM RESTRIÇÃO: Vacinados contra a Covid entrarão nos EUA a partir de 8 de novembro

Divulgação

Os Estados Unidos vão suspender todas as restrições de viagens internacionais, a partir de 8 novembro, para adultos estrangeiros que estiverem totalmente vacinados contra a Covid-19, anunciou o governo do presidente Joe Biden nesta sexta-feira (15).

A medida vale para todos os países, inclusive o Brasil, e substitui o atual sistema, que restringe o voo de estrangeiros de determinados países e impõe outras restrições, como quarentenas obrigatórias.

Segundo um comunicado divulgado no fim de setembro, os estrangeiros que viajarem aos EUA deverão estar totalmente imunizados e apresentar o comprovante de vacinação antes de embarcar.

G1

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Turismo

DE MALAS PRONTAS: EUA confirmam que vacinas aplicadas no Brasil valerão para entrar no país

Os Estados Unidos vão passar a aceitar a entrada de viajantes imunizados com as vacinas aprovadas para uso emergencial pela Organização Mundial da Saúde (OMS), além daquelas já aprovadas pelas autoridades de saúde do país. Na lista estão todas as vacinas utilizadas no Brasil no Plano Nacional de Imunização contra a covid-19.

Um representante do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, em inglês) confirmou a informação à agência Reuters.

No Brasil são utilizadas os imunizantes Butantan/Sinovac, AstraZeneca, Pfizer/BioNTech e Janssen, todos estão na lista de vacinas aprovadas pela OMS. As vacinas Sinopharm e Moderna também foram aprovadas pela OMS.

A expectativa do porta-voz do CDC é que a nova política seja aplicada no país “até o início de novembro”.

Com informações do Diário do Poder

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Turismo

NOVA REGRA: Reino Unido vai dispensar quarentena obrigatória a brasileiros vacinados

Divulgação

O Reino Unido irá flexibilizar ainda mais as regras de entrada no país. Na próxima quinta-feira (7), o primeiro-ministro Boris Johnson deve anunciar o fim da obrigatoriedade da quarentena obrigatória a pessoas vacinadas que chegam no país. A informação foi publicada no jornal The Sunday Telegraph, no último sábado (2).

A nova regra valerá a partir do fim de outubro. Pela nova determinação, turistas brasileiros e de outros 45 países vacinados contra a Covid-19 não precisarão adotar a quarentena obrigatória.

Quem entrar no Reino Unido também não terá de fazer o RT-PCR, teste rápido exigido para acesso ao país. Os turistas poderão optar por testagens mais baratas.

O aguardado anúncio do primeiro-ministro muda as regras atuais que preveem a obrigatoriedade de isolamento por 10 dias em hotéis britânicos a quem chega ao Reino Unido.

Atualmente, caso uma pessoa tenha passado por um dos 54 países da “lista vermelha” nos últimos 10 dias antes de sua chegada ao Reino Unido só pode entrar no território se for uma cidadã britânica ou irlandesa, ou se tiver direito de residência no país. O governo britânico espera que as liberações possam reaquecer a economia do país e aumentem as vendas de passagens aéreas.

Metrópoles

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Turismo

EM NOVEMBRO: Ministério do Turismo anuncia volta de cruzeiros marítimos

Divulgação

Suspensos no país desde o início da pandemia de covid-19, os cruzeiros marítimos retornarão à costa brasileira em novembro, anunciou o Ministério do Turismo. Em nota, a pasta informou que uma portaria será assinada nos próximos dias.

Após a publicação da portaria, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) editará uma norma com os protocolos sanitários. As viagens também deverão respeitar as regras das cidades onde os navios atracarem.

Entre os protocolos a serem definidos pela Anvisa, estão a realização de testes antes do embarque em todos os passageiros, vacinação e testagem dos tripulantes, uso de máscaras, distanciamento, ocupação reduzida nos navios, desinfecção e higienização constantes nas embarcações e fornecimento de ar fresco sem recirculação (nos moldes dos filtros especiais dos aviões).

A liberação dos cruzeiros ocorre três semanas depois de a Anvisa ter se posicionado contra a medida. Em 10 de setembro, a agência havia informado que as evidências sanitárias e epidemiológicas ainda não apontavam a retomada dos cruzeiros como ação segura. Naquele momento, não havia previsão de uma nova reavaliação da medida.

Segundo o Ministério do Turismo, a autorização para a temporada de cruzeiros 2021/2022 envolveu a aprovação conjunta de medidas dos Ministérios da Saúde, da Justiça, da Infraestrutura, da Casa Civil e da Presidência da República. A expectativa, informou o governo, é gerar R$ 2,5 bilhões para a economia e criar 35 mil empregos, o que representaria crescimento de 11% em relação à temporada 2019/2020.

Estimativas
Para a temporada de cruzeiros 2021/2022, que vai de novembro até abril do próximo ano, estão previstos sete navios, informou o Ministério do Turismo. As embarcações devem ofertar mais de 566 mil leitos, 35 mil a mais que na temporada 2019/2020, e farão cerca de 130 roteiros e 570 escalas em portos brasileiros. Entre os destinos previstos, estão Rio de Janeiro, Santos, Salvador, Angra dos Reis, Balneário Camboriú, Búzios, Cabo Frio, Fortaleza, Ilha Grande, Ilhabela, Ilhéus, Itajaí, Maceió, Porto Belo, Recife e Ubatuba.

Por meio de um vídeo gravado nos Emirados Árabes Unidos, onde participa da Expo Dubai 2020, o ministro do Turismo, Gilson Machado, comentou a liberação dos cruzeiros.

“A temporada está autorizada pelo governo. O presidente Bolsonaro determinou empenho total para que conseguíssemos liberar, porque os navios geram em torno de 42 mil empregos no Brasil, entre diretos e indiretos. Teremos uma temporada belíssima este ano”, declarou Machado.

Agência Brasil

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Turismo

SEM RESTRIÇÕES: Argentina reabrirá fronteiras para brasileiros a partir de 1º de outubro

Foto/ EMPROTOUR/ Divulgação

A ministra da Saúde argentina, Carla Vizzotti, e o novo chefe de gabinete da presidência, Juan Manzur, anunciaram o fim de diversas medidas sanitárias de controle ao novo coronavírus. Entre elas, a reabertura das fronteiras terrestres com países vizinhos a partir de 1º de outubro.

De acordo com o comunicado, viajantes de países vizinhos poderão entrar na Argentina por terra, sem a necessidade de fazer quarentena. Os voos com estes países, como o Brasil, também poderão ser retomados, mas disso depende a autorização dos governadores de cada província. Já os demais viajantes internacionais terão a entrada permitida a partir de 1º de novembro.

Para entrar na Argentina, estrangeiros em geral deverão apresentar comprovante de vacinação com as duas doses (ou dose única) aplicadas há pelo menos duas semanas antes da chegada. Também será obrigatório apresentar teste PCR negativo para Covid-19 feito até 72 horas antes da viagem, e fazer um novo teste PCR de cinco a sete dias após a chegada.

Pessoas que não estiverem com a vacinação completa ou menores de idade ainda não imunizados serão submetidos a quarentena, com um teste após sete dias.

O Globo

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Turismo

Indicadores confirmam retomada do turismo após perdas de R$ 413 bilhões desde o início da pandemia

Foto: Edilson Dantas/Agência O Globo

O turismo foi um dos setores mais afetados mundialmente pela pandemia. Em relação ao Brasil, especificamente, o fechamento de fronteiras, imposição de isolamento social, cumprimento de medidas sanitárias, números elevados de mortes e casos de covid-19 no país e aumento do dólar são os principais fatores atribuídos aos prejuízos do setor. De acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o turismo já acumula perda de R$ 413,1 bilhões desde o início da crise sanitária. Entretanto, entidades da área têm projetado, cada vez mais, uma recuperação e aumento nas demandas.

Dados divulgados na última quinta- feira (16.) pela Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), com base em informações da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), registram pelo quinto mês consecutivo um aumento nos voos domésticos — ou seja, realizados dentro do Brasil. Em setembro, a malha aérea doméstica registrou uma média diária de 1.793 partidas, o que equivale a 74,6% da oferta de voos que as companhias aéreas nacionais operavam antes do impacto da pandemia, em março de 2020.

O ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, considera que os dados demonstram apenas o início de uma forte retomada do segmento no país: “Estamos com a expectativa de que os próximos meses sejam ainda melhores em todos os segmentos turísticos, principalmente com o avanço da vacinação. Não tenho dúvidas de que o turismo doméstico voltará com muito mais força e precisaremos de uma malha aérea forte que atenda a demanda dos nossos turistas”, disse.

O presidente da Abear, Eduardo Sanovicz, também atribuiu o crescimento do setor ao avanço da vacinação pelo país e ao não recrudescimento da pandemia. Entretanto, Sanovicz ressaltou que determinados fatores podem “inibir” a recuperação das companhias aéreas: “Temos também de enfrentar o Custo Brasil, que pode inibir uma recuperação mais consistente da aviação”, afirmou o presidente. O ‘Custo Brasil’ ao qual Sanoviz se refere trata-se de um conjunto de dificuldades econômicas e/ou estruturais que prejudicam o crescimento do país e influenciam de forma negativa o ambiente de negócios. Como o aumento do combustível e a alta da inflação.

Na última quarta- feira (15), durante videoconferência realizada pelo Ministério da Saúde, o secretário nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo, William França, apresentou os impactos da pandemia no turismo brasileiro e as ações realizadas para a retomada do setor.

O secretário destacou a necessidade de protocolos de biossegurança e a tendência do turismo de proximidade e do turismo de natureza.

De acordo com o Ministério da Saúde, na ocasião também foi ressaltada a liberação do crédito de R$ 5 bilhões, via Fundo Geral do Turismo (Fungetur), para socorrer o setor durante a pandemia. Segundo França, a ideia foi garantir a manutenção das empresas e empregos do setor.

Os destinos da Região Nordeste são os mais procurados

Os destinos mais procurados pelos brasileiros têm sido na região do Nordeste, com destaque para Recife (PE), Maceió (AL), Natal (RN), Porto Seguro (BA) e Porto de Galinhas (PE). A empresa de viagens CVC afirma que, com a vacina, os brasileiros se sentem mais seguros para retomarem os planos de viagem.

A empresa destaca que, apesar do impulsionamento causado pelo turismo doméstico, destinos internacionais também começam a ganhar força à medida que fronteiras são reabertas, e as vendas chegam a aumentar em até 6 vezes.

 

Com informações SBT News

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Turismo

JÁ TÔ COM A ROUPA DE IR: Voos para países que recebem brasileiros custam até 35% menos que em 2019

Imagem: Reprodução

Os voos para países que reabriram suas fronteiras para os brasileiros estão mais baratos que antes da pandemia. De acordo com dados da plataforma de pesquisa e reservas Kayak, viajar para estes destinos chega a custar até 35% menos, como é o caso da Espanha, menos que em 2019.

Passagens para o país — que foi um dos primeiros na Europa a reabrir para o turismo de cidadãos do Brasil — estão saindo por R$ 3.211, em média. No entanto, a diminuição dos valores é mais facilmente vista ao comparar os preços em euros, já que as altas taxas de câmbio podem mascarar a flutuação e encarecer o trajeto.

Outros países muito procurados e agora reabertos para brasileiros também se destacaram: República Tcheca está 32% mais barata, Portugal é um destino 24% mais econômico e Alemanha 28% mais em conta, enquanto Peru é atualmente 16% mais caro do que em 2019. No entanto, ao comparar os preços de passagens para estes destinos nos últimos meses, o cenário muda. Embarcar para o Peru teve aumento de 17% e Portugal subiu 13%, entre julho e agosto.

Portanto, quem pretende viajar nos próximos meses já pode pensar em comprar a passagem, já que os valores podem crescer ainda mais se a tendência de alta se repetir. Fique atento especialmente a passagens para Espanha, Alemanha, Bélgica e Portugal — países com o maior crescimento em buscas entre julho e agosto, segundo o Kayak, com aumentos de 235%, 222%, 199% e 165% respectivamente. Afinal, alta demanda pode elevar os preços.

Blog do BG com UOL

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Turismo

PORTAS ABERTAS: Brasileiros são dispensados de quarentena e poderão entrar na Alemanha apenas com teste negativo de Covid

DIVULGAÇÃO

O governo da Alemanha determinou nesta sexta-feira (17) que viajantes saindo do Brasil podem entrar em seu território sem necessidade de quarentena, tendo apenas que apresentar um teste negativo de Covid-19 ao chegar ao país. A determinação passa a valer a partir deste domingo (19).

A mudança ocorre porque o Brasil deixou de ser considerado uma área “de alto risco” pelo governo alemão. Com isso, basta que o viajante saindo do território brasileiro apresente um dos seguintes documentos para dispensar a quarentena: um teste negativo, uma prova de vacinação ou de recuperação da doença.

No caso da prova de vacinação, valem apenas as vacinas autorizadas pela agência de medicamentos da União Europeia — Pfizer, AstraZeneca, Moderna e Janssen. Mas pessoas vacinadas com a CoronaVac poderão entrar apresentando o teste negativo ou o certificado de recuperação.

O governo alemão tem apenas dois grupos para distinguir países considerados “de risco”: áreas de “alto risco” e áreas “com variantes que preocupam” — atualmente, nenhum país está incluído neste.

O Globo

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Turismo

Justiça do Rio anula decisão e leilão do Hotel Tambaú volta à fase inicial

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro acatou, na última quarta-feira (02), um recurso de efeito suspensivo apresentado pelo Grupo A Gaspar, do Rio Grande do Norte e suspendeu a decisão que dava ao advogado paraibano Rui Galdino, considerado vencedor do leilão do Hotel Tambaú, em João Pessoa.

Segundo o Portal Turismo Em Foco, a decisão dessa semana suspende “os efeitos do acórdão embargado, e consequentemente do leilão realizado no dia 29.10.2020, até o julgamento final destes aclamatórios”.

Na prática, o leilão voltou a ser suspenso e Rui Galdino impedido, até o julgamento do mérito, de receber o documento de imissão de posse do Tambaú Hotel. A mesma decisão vale para o Grupo A Gaspar, vencedor do leilão ocorrido no dia 04 de fevereiro deste ano.

A decisão foi tomada pela desembargadora Marília de Castro Neves, que havia dado ganho ao advogado na primeira ação, ainda no TJ do Rio de Janeiro, no dia 18 de agosto, quando a corte se reuniu e decidiu, por unanimidade, em favor do paraibano. Porém, nesse efeito suspensivo, ela relata que “causa espécie…o fato de o presente recurso ter tramitado por oito meses sem que o embargante tenha requerido sua habilitação nos presentes autos.”

“Ademais, causa estranheza que a referida habilitação tenha ocorrido apenas depois do julgamento do mérito recursal.”

Mais PB com Turismo em Foco

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *