Polêmica

Professores da UFPB entram em greve por tempo indeterminado

Os professores da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) deflagraram, nesta quarta-feira (29), o início da greve dos docentes a partir da próxima segunda-feira (03) por tempo indeterminado. A votação aconteceu em uma assembleia geral da Associação dos Docentes da Universidade Federal da Paraíba (ADUFPB), realizada no Centro de Vivências da UFPB.

Na Paraíba, durante a manhã desta quarta-feira, a ADUFPB já deflagrou greves nos campi de Areia e Bananeiras. Em discurso, o tesoureiro da associação, professor Édson Franco, apontou que não restava outra alternativa, a partir dos posicionamentos do governo, a não ser a deflagração da greve por parte dos docentes.

No total, foram 167 votos favoráveis, 38 contrários e 2 abstenções para deflagração da greve. No Campus I, em João Pessoa, foram 147 votos favoráveis a greve e 23 contra. Na segunda-feira (03), às 15h, ocorrerá a instalação do comando de greve na sede da ADUFPB, localizada no Centro de Vivências da UFPB.

Professores da UFPB reunidos para deflagração da greve; Foto: Albemar Santos

De acordo com a Associação, uma das justificativas para paralisação é que o governo federal continua negando qualquer possibilidade de reajuste salarial este ano e oferece aumento de 9% em 2025 e 3,5% em 2026. Já a categoria docente defende o índice de 22,71% (perdas acumuladas desde 2016) como horizonte de recomposição para os próximos três anos, sendo 7,06% em 2024; 9% em janeiro de 2025; e 5,16% em maio de 2026.

Na última segunda-feira (27), o governo reafirmou que não há mais margem para negociação nem reajuste em 2024. No entanto, após pressão dos sindicatos, aceitou se reunir novamente no dia 3 de junho. “Esperamos que, nessa data, nós tenhamos uma efetiva mesa de negociação e não mais um momento de intransigência da parte do governo federal, que se nega a negociar com professores e professoras”, disse Gustavo Seferian, presidente do Andes-SN.

 

Para receber essa e outras notícias acesse o grupo do BG PB no Whatsapp

Blog do BG PB

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Brasil

Governo Lula tabela preço em R$ 4 e marca leilão para compra de arroz importado

Foto: Mapa Divulgação/CP

O presidente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Edegar Pretto, informou que o leilão público para compra de arroz importado vai acontecer no dia 6 de junho, às 9h. Nesta data, o governo pretende adquirir 300 mil toneladas de arroz. O edital do leilão foi publicado nesta quarta-feira (29).

O preço será tabelado e o pacote terá o rótulo do governo. O quilo será vendido por R$ 4 e o arroz deve chegar ao consumidor até setembro. O governo vai importar o “Arroz Beneficiado, Polido, Longo fino, Tipo 1”, o mesmo produzido pelo Brasil.

“Temos uma grande procura por informações, tanto do Mercosul, como de outros países”, disse Pretto, em coletiva de imprensa nesta quarta. “O governo tomou a decisão da retirada da TEC [tarifa de importação] para que outros países possam também entrar nesse leilão de igual para igual com os países do Mercosul, que já têm tarifa zero”, disse Pretto.

O presidente da Conab reforçou que a decisão do governo de importar o grão tem o objetivo de garantir preços mais em conta ao consumidor. “Vocês sabem que, nos últimos dias, especialmente nos últimos 30 dias, nós tivemos um aumento entre 30% e 40% no preço do arroz”.

Segundo ele, após as enchentes no Rio Grande do Sul, os preços do arroz começaram a subir no Brasil e, depois, no Mercosul, como disse o ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, ao g1.

O Rio Grande do Sul é responsável por 70% da produção nacional deste grão.

“Nós não queremos que essa compra importada venha a competir com a nossa produção nacional. Nós estamos comprando as primeiras 300 mil toneladas e vamos avaliar conforme será o comportamento do mercado. Se nós percebemos que essa medida já equilibrou os preços, o governo vai avaliar se haverá necessidade ou não de fazer um novo leilão”, disse Pretto.

Ao longo deste mês, o governo federal liberou R$ 7,2 bilhões para a compra de até 1 milhão de toneladas de arroz importado. Segundo o presidente da Conab, essa deve ser a quantidade de arroz que foi perdida nas enchentes do Rio Grande do Sul, somando as perdas no campo e o grão que está em armazéns.

Preço do arroz subsidiado

Questionado sobre por que o governo decidiu vender o arroz por, no máximo, R$ 4 o quilo, o diretor-Executivo de Política Agrícola e Informações da Conab Silvio Porto disse que o produto tem sido um dos componentes que tem contribuído para elevar a inflação de alimentos.

“Se nós pegarmos os parâmetros de preços do varejo, antes do problema climático no Rio Grande do Sul, o que nós podemos dizer é que estava em torno de R$ 25 a saca de 5 quilos, de uma forma média no mercado, pegando as marcas mais comuns. Nós estabelecemos um deságio [desconto] de 20% a partir desse parâmetro e chegamos a esse valor de R$ 4 por quilo”, explicou.

g1

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Saúde

Com quase 2 mil casos, Síndrome Respiratória Aguda Grave registra aumento de 17% na Paraíba

Imagem meramente ilustrativa – (Foto: Pexel)

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) divulgou, nessa terça-feira (28), o Boletim Epidemiológico de Vírus Respiratórios com dados atualizados até 27 de maio. A publicação mostra que a Paraíba registrou 1.894 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), havendo um aumento de 17%  nas notificações quando comparado com o mesmo período do ano passado. O órgão reforça a necessidade dos cuidados de rotina, bem como a importância da vacinação, sendo uma maneira eficaz para evitar agravamento dos casos e óbitos.

De acordo com o boletim, foram realizados 832 exames de RT-PCR para os casos de SRAG no Estado, havendo uma maior predominância do vírus Influenza A na faixa etária menor de 5 anos com 29,36%. Para o Vírus Sincicial Respiratório, o registro de maior incidência se deu em menores de 1 ano com 73,90%, e para Rinovírus predominou o grupo menor de 5 anos com 68,21%.

A chefe do Núcleo de Doenças Transmissíveis Agudas (NDTA) da SES, Fernanda Vieira, destaca que, historicamente, é comum o acometimento de doenças respiratórias durante o período chuvoso, e que para diminuir a circulação dos vírus é importante estar com a caderneta vacinal atualizada, especialmente os grupos mais vulneráveis.

“Precisamos reforçar os cuidados necessários para evitar a transmissão desses vírus, como manter ambientes bem ventilados, com janelas e portas abertas; Manter as mãos limpas através da lavagem das mãos ou uso de álcool em gel 70%; Higienizar com frequência os brinquedos das crianças e não compartilhar objetos pessoais como os talheres, toalhas, pratos, copos e garrafinhas. As pessoas que estiverem doentes com quadro respiratório devem praticar a etiqueta respiratória, usando máscara.  São medidas simples que aliadas à vacinação em dia podem diminuir a disseminação dos vírus respiratórios e proteger a população de forma geral”, ressaltou.

A SES reforça que a Paraíba está abastecida com os imunizantes que contemplam Influenza tipo A e tipo B e que, atualmente, ocupa a 2ª posição no Ranking Nacional de Cobertura vacinal, com o percentual de 43,75% de cobertura na meta de 90% do público alvo, preconizada pela Campanha Nacional de Vacinação Contra a Influenza. Dentro do público alvo está a população mais vulnerável aos vírus respiratórios que são crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias); trabalhador da saúde; gestantes e puérperas e idosos com 60 anos ou mais de idade.

O Boletim ainda aponta 220 óbitos por SRAG até 27 maio de 2024. Desses, 54 óbitos foram por Covid-19, 40 óbitos por Influenza A, nove por Rinovírus, sete VRS, um bocavírus, um por Parainfluenza 3 . Dos 40 óbitos por Influeza A, a maioria ocorreu em pessoas da faixa etária acima de 60 anos. Outros 19 óbitos seguem em investigação. O Boletim Epidemiológico está disponível no site da Saúde, por meio do link: https://paraiba.pb.gov.br/diretas/saude/arquivos-1/vigilancia-em-saude/be_virus_respiratorios_05_2024_assinado-1.pdf

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Polêmica

Saiba as 10 atrações mais caras do São João de Santa Rita, alvo do TCE-PB

João Gomes, Padre Fábio, Padre

João Gomes e Padre Fábio de Melo (Foto: montagem)

Padre Fábio de Melo, Bell Marques e Gusttavo Lima. Essas são algumas das atrações do São João de Santa Rita, que vai custar R$ 13.852.000,00 aos cofres públicos. O trio faz parte do top 10 de atrações mais caras entre os 65 artistas que vão se apresentar na festa.

Até esta quarta-feira (29) a atração mais cara é o cantor Gusttavo Lima. Ele receberá R$ 1,1 milhão para se apresentar no São João. Já o padre Fábio de Melo vai receber um cachê de R$ 260 mil. Confira abaixo o top 10:

  • Gusttavo Lima: R$ 1,1 milhão
  • Wesley Safadão: R$ 900 mil
  • Maiara & Maraisa: R$ 650 mil
  • João Gomes: R$ 500 mil
  • Bell Marques: R$ 500 mil
  • Felipe Amorim: R$ 350 mil
  • Rai Saia Rodada: R$ 300 mil
  • Tarcísio do Acordeon: R$ 350 mil
  • Henry Freitas: R$ 400 mil
  • Padre Fábio de Melo: R$ 260 mil

Além do padre, festa terá gasto milionário com estrutura

O gasto com atrações vai ser de R$ 9.880.000,00. Com a estrutura, a Prefeitura vai desembolsar R$ 3.972.000,00.

Com relação a estrutura, serão feitos os seguintes gastos pela Prefeitura de Santa Rita: audiovisual, R$ 150 mil; ar-condicionado, R$ 17 mil; roseta LED, R$ 950 mil; ornamentação desarmada, R$ 160 mil; segurança desarmada, R$ 500 mil; bombeiro civil, R$ 269 mil; banheiro químico, R$ 387 mil; videomonitoramento, R$ 30 mil; refeição, R$ 120 mil; e estrutura R$ 1.359.000,00.

A festa virou alvo do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB) pelo gasto elevado com atrações. A Corte pode definir pela suspensão da festa.

Para receber essa e outras notícias acesse o grupo do BG PB no Whatsapp

Blog do BG PB com Clickpb

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Tecnologia

Mesotech: Tecnologia contribui com segurança e eficiência na educação

Mesotech demonstra ferramentas na prática na CEEEA Sesquicentenário

 

A tecnologia tem provocado mudanças em diferentes áreas. Na educação, soluções personalizadas podem garantir a segurança da comunidade acadêmica e contribuir com a eficiência de processos seja nos setores público ou privado.

 

Para demonstrar algumas dessas possibilidades, a empresa Mesotech, do Grupo Interjato, montou uma estrutura no Centro Estadual Experimental de Ensino-Aprendizagem (CEEEA) Sesquicentenário, no Pedro Gondim, em João Pessoa.

 

A solução inclui câmeras e reconhecimento facial em um sistema integrado à plataforma de gestão escolar desenvolvida pela Proesc, o que garante além da segurança através do controle de acesso aos ambientes do CEEEA, praticidade na gestão escolar, como relatórios e gráficos de frequências automatizados.

 

A medida possibilita que pais ou responsáveis sejam notificados em tempo real no momento da entrada ou saída de crianças e adolescentes. O sistema também é interligado à Central de Operações da Secretaria de Segurança garantindo uma resposta rápida em caso de emergências.

 

“Gestores públicos e privados têm percebido a importância de investimentos eficazes que possam otimizar recursos. Uma solução inteligente pode além de garantir a segurança, permitir que corpo docente e equipe pedagógica se dediquem ao primordial e não dividam seu tempo com tarefas secundárias”, Leonardo Souza, Sócio Fundador da Mesotech.

 

Uma pesquisa realizada pelo DataSenado em 2023 revelou que 90% dos brasileiros temem que seus filhos ou pessoas próximas sofram violência no ambiente escolar. Além disso, 22% dos entrevistados relataram ter sofrido violência na escola em algum momento da vida, e 36% disseram ter sido vítimas de bullying.

 

“Também estamos vendo um aumento na demanda por soluções de segurança que vêm diretamente dos pais. Eles buscam instituições que valorizem a implementação de tecnologias capazes de assegurar a proteção e o bem-estar dos estudantes”, complementa Leonardo Souza.

 

Mesotech e Grupo Interjato

Com mais de duas décadas de atuação no Rio Grande do Norte e com clientes nos estados do Ceará, Paraíba, Sergipe e Rio de Janeiro, o Grupo Interjato se firma como um ecossistema de empresas especializadas que atendem todo o território nacional.

 

Em todas as empresas, o Grupo Interjato conta com um time de profissionais experientes, equipamentos de ponta e parceiros em todo o Brasil para desenvolver soluções eficientes para cada negócio de forma personalizada, que aprimoram processos e otimizam recursos com tecnologia e inteligência.

 

A Mesotech desenvolve soluções em videomonitoramento inteligente e tem como missão, oferecer soluções personalizadas que transformam a dinâmica dos negócios, otimizando e facilitando processos, independentemente do tamanho ou segmento de mercado.

 

Além da Mesotech, também fazem parte do Grupo Interjato a empresa Evos, com foco em conectividade; a Affare, ferramenta rápida e acessível para levantamentos de mercado e eleitorais; e Zaori, com foco na agricultura 4.0.

 

Proesc

O Proesc.com é um sistema de gerenciamento escolar online especialista em gestão financeira e pedagógica de escolas e cursos que pode ser utilizado por instituições de ensino públicas e privadas com a flexibilidade de personalização de acordo com a necessidade do cliente.

 

No âmbito público, o Proesc possibilita a gestão integrada de todas as escolas de uma secretaria de educação, além das rotinas administrativas, acadêmicas e financeiras das unidades de ensino. A ferramenta facilita ainda, a comunicação com os pais e alunos.

Para receber essa e outras notícias acesse o grupo do BG PB no Whatsapp

Blog do BG PB

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

TCE

Na mira do TCE, Prefeitura de Santa Rita desembolsa R$ 900 mil com show de Safadão para o São João

Wesley Safadão Santa Rita

Wesley Safadão. (foto: reprodução/instagram)

A Prefeitura Municipal de Santa Rita, na Região Metropolitana de João Pessoa, deve desembolsar mais de R$ 900 mil com a contratação do artista Wesley Safadão.

A informação consta no detalhamento de gastos enviado pela PMSR ao Tribunal de Contas do Estado (TCE-PB) nesta quarta-feira (29).

O artista cearense deverá se apresentar por cerca de 1h40 na Terra dos Canaviais.

Com a contratação de Safadão apenas com cachês a gestão gastou até o momento R$ 4.270.000 (4 milhões e 270 mil reais).

Até o momento foram contratados 25 artistas e ainda faltam outros ainda faltam 40 artistas serem contratados pela administração local, que anunciou uma vasta programação com 65 shows na Praça do Povo.

Para receber essa e outras notícias acesse o grupo do BG PB no Whatsapp

Blog do BG PB com Clickpb

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Polêmica

(VÍDEO) UFC: Lata de cachaça vira motivo de briga de rua em Santa Cruz, na Paraíba

“Lutadores” protagonizaram uma cena digna de octógono, trocando socos e pontapés em uma batalha feroz, com uma pitada de teor alcoólico.

Segundo informações, a briga, que ocorreu na noite desta terça-feira (28), na cidade de Santa Cruz, no Sertão da Paraíba, foi ocasionada após um desentendimento por causa de uma simples lata de cachaça.

Para receber essa e outras notícias acesse o grupo do BG PB no Whatsapp

Blog do BG PB

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Judiciário

Padre Egídio e Samuel Segundo viram réus em nova denúncia do Gaeco

Egidio de Carvalho e Samuel Segundo são investigados pelo desvios de Iphones destinados ao Hospital Padre Zé

O juiz José Guedes, da 4ª Vara Criminal de João Pessoa, aceitou, na semana passada, a denúncia apresentada pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) contra o Padre Egidio de Carvalho e Samuel Rodrigues Segundo no caso do desvios de produtos doados pela Receita Federal para leilão no Hospital Padre Zé. A renda arrecadada deveria ter sido destinada para unidade de saúde.

Para o Ministério Público da Paraíba, os desvios “resultaram em danos financeiros significativos para entidades de cunho social e humanitário, afetando negativamente serviços essenciais destinados à população em situação de vulnerabilidade”.

A investigação inicialmente conduzida pela Polícia Civil através da Operação Pai dos Pobres aponta que Egídio e Samuel foram até o Foz do Iguaçu, no Paraná, para pegar o material. A carga foi conduzida até João Pessoa e 15 caixas foram levadas para ficarem guardadas na sede do hospital. Depois de um período, foi constatado que 12 caixas estavam esvaziadas, essas com itens de valores elevados.

“Estranhamente as caixas vazias/esvaziadas foram descartadas imediatamente, sem que houvesse a comunicação às autoridades competentes acerca do delito ocorrido”, assiná-la o Ministério Público.

Os investigadores apontam que mais de 670 produtos foram subtraídos, totalizando um desfalque superior a R$ 500 mil. Para o Gaeco, ficou comprovado que alguém com acesso à sala foi o responsável pelo desvio.

Diante do “furto”, Egidio de Carvalho comunicou o fato à Polícia Civil. Ao rastrear os aparelhos do modelo Iphone, através do IMEI, os policiais chegaram a Jefferson Belmont, que teria vendido, segundo o MPPB, os aparelhos a particulares. No depoimento, Jefferson afirmou que os telefones foram adquiridos junto a Samuel Segundo.

“Os fatos relatados são dotados de uma gravidade singular, de modo que foi com a notícia da subtração dos itens doados pela Receita Federal ao Hospital Padre Zé, através da “Operação Pai dos Pobres” que foi deflagrada a “Operação Indignus”, a qual descortinou a existência de uma Organização Criminosa enraizada na alta cúpula da Instituição e que foi responsável por desviar uma quantia milionária de verbas públicas transferidas para o cuidado da população mais carente. Até o presente momento, os danos causados pelo grupo criminoso liderado por EGÍDIO DE CARVALHO NETO ultrapassam a monta de R$ 140.000.000,00 (cento e quarenta milhões de reais) – fatos esses objetos de outros cadernos investigativos e de denúncias autônomas”, escreve a denúncia.

O Ministério Público pede a condenação de Egídio e Samuel e pagamento de R$ 525 mil em danos morais e R$ 1 milhão em danos morais coletivos.

No dia 22 de maio, a Justiça recebeu a denúncia, transformando Egídio de Carvalho e Samuel Segundo em réus.

“Na hipótese, a peça acusatória atende aos requisitos formais do art. 41 do Código de Processo Penal, por estar alicerçada em fonte de informação básica do (s) delito (s) e oferecendo indícios de autoria, não havendo motivo que autorize a sua rejeição, como a inépcia ou falta de pressuposto processual ou condição para o exercício da ação penal”, escreveu o juiz José Guedes.

Com essa acusação formal, Padre Egídio é réu em três processos. Recentemente, o Poder Judiciário deu início às audiências de instruções dos outros dois casos. Elas, porém, ainda não foram concluídas.

Para receber essa e outras notícias acesse o grupo do BG PB no Whatsapp

Blog do BG PB com MaisPB

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Brasil

DERROTA DE LULA: Congresso derruba vetos e volta a proibir ‘saidinha’ de presos

Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

O Congresso Nacional derrubou nesta terça-feira, 28, o veto do presidente Lula (PT) ao projeto de lei que extingue o benefício da saída temporária de presos, apelidado de PL das ‘saidinhas’. Ao sancionar o texto, o petista restabeleceu a possibilidade de saída de presos do semiaberto para visitar familiares.

Deputados e senadores, no entanto, afirmam que esse era o principal ponto da proposta aprovada por ampla maioria na Câmara e no Senado. Com a derrubada do veto, a legislação vai permitir as ‘saidinhas’ apenas para estudos e trabalho externo ao sistema prisional.

O PL das ‘saidinhas’ ganhou celeridade no Congresso depois que o policial Roger Dias da Cunha, de 29 anos, morreu no começo de janeiro deste ano, depois de ser baleado na cabeça durante confronto em Belo Horizonte (MG). Os autores dos disparos deveriam ter retornado à prisão depois da saída de fim de ano.

De acordo com dados da Secretaria Nacional de Políticas Penais (Senappen), do Ministério da Justiça, de janeiro a junho de 2023, 120.244 presos tiveram acesso à saída temporária em todo o país. Desses, 7.630 não retornaram, se atrasaram na volta à unidade prisional ou cometeram uma falta no período da saída, o que representa uma parcela de 6,3% do total de beneficiados.

Lula lamenta

Antes da sessão do Congresso, o presidente Lula (PT) já havia indicado que “só poderia lamentar” caso o seu veto ao projeto das “saidinhas” fosse derrubado. “Eu segui a orientação do Ministério da Justiça e vetei. Vamos ver o que vai acontecer e se o Congresso derrubar, é um problema do Congresso. Eu posso lamentar, mas eu tenho que acatar”, disse Lula durante café com jornalistas.

O Antagonista

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Política

VÍDEO: Câmara dos Deputados mantém veto de Bolsonaro à criminalização de fake news; saiba voto dos paraibanos

A maioria da bancada paraibana na Câmara dos Deputados pela manutenção do veto do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) a trechos da nova Lei de Segurança Nacional que, na prática, criminalizariam a propagação de notícias falsas no país, as conhecidas fake news. A matéria foi votada nesta terça-feira (28) no Congresso Nacional.

Cabo Gilberto Silva e Wellington Roberto (PL), Hugo Motta, Wilson Santiago e Murilo Galdino (Republicanos), e Romero Rodrigues (Podemos) votaram para manter o veto. Já Luiz Couto (PT) e Gervásio Maia (PSB) votaram pela derrubada.

Na votação, o veto foi mantido pelo placar de 317 votos favoráveis e 139 contra. A decisão tem sido entendida como uma derrota para o presidente Lula (PT), que empenhou seu governo na articulação de um acordo para derrubar o veto do ex-presidente.

Para receber essa e outras notícias acesse o grupo do BG PB no Whatsapp

Blog do BG PB com MaisPB

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.