Polêmica

Polícia Federal convoca coletiva nesta sexta-feira após prisão de Toin da Braiscompany

A Polícia Federal na Paraíba convocou para esta sexta-feira (01) uma coletiva de imprensa para detalhar a prisão de Antônio Neto Ais e Fabrícia Campos, donos da Braiscompany.

“Por questões institucionais com o governo da Argentina nao pudemos divulgar mais cedo a prisão do casal, só podendo fazê-lo agora”, disse a assessoria da PF na Paraíba.

Os esclarecimentos serão divulgados, na sede da PF, em João Pessoa, em horário ainda a ser informado.

Para receber essa e outras notícias acesse o grupo do BG PB no Whatsapp

Blog do BG PB 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Polêmica

FOTO: Veja momento que Antônio Neto foi preso pela Interpol na Argentina

Interpol detuvo en Escobar a un estafador piramidal de Brasil que se había fugado con 400 millones de dólaresAntonio Neto 

Antônio Neto,  brasileiro procurado internacionalmente por ter montado uma fraude de pirâmide com criptomoedas que resultou em um desfalque de 400 milhões de dólares foi detido pela Interpol nesta quinta-feira em um condomínio em Escobar. Trata-se de Antonio Inacio Da Silva Neto, de 36 anos, que foi capturado após uma semana de vigilância.

 

Um dos golpistas mais procurados do Brasil havia entrado no país no ano passado, através de Puerto Iguazú. Ele tinha a intenção de fugir para Dubai com os milhões arrecadados com seu esquema de investimento, que se assemelha ao caso argentino de Leonardo Cositorto e sua infame empresa Generación Zoe.

 

De acordo com fontes da investigação internacional montada para capturá-lo, Da Silva Neto morou em diferentes pontos da região metropolitana de Buenos Aires e da Cidade de Buenos Aires desde que fugiu do Brasil. Ele residiu em Palermo, depois em San Fernando, em San Isidro, em Nordelta e até no Howard Johnson de La Plata.

Blog do BG PB com El clarin

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Polêmica

PF nega prisão de Toin da Braiscompany na Argentina

 

Polícia Federal faz operação na sede da Braiscompany em Campina Grande — Foto: Ewerton Correia/TV Paraíba

Polícia Federal faz operação na sede da Braiscompany em Campina Grande — Foto: Ewerton Correia/TV Paraíba

Após a veiculação de informações por blogs, a Polícia Federal negou a prisão do fugitivo há mais de 1 ano, o proprietário da Braiscompany, Antônio Neto Ais, nesta quinta-feira (29/02).

A PF resumiu a apenas dizer que: “Para evitar esse tipo de “furo” podem ter certeza que qualquer novidade nesse caso eu aviso aqui imediatamente. Para esclarecer aos demais, um blog noticiou que o dono da Braiscompany havia sido preso. A Polícia Federal não confirma essa informação”.

 

As informações iniciais indicam que Toin foi encontrado em um condomínio na Argentina. Juntamente com ele também foi detida sua esposa Fabrícia Campos.

A informação foi confirmada pelo guru das criptomoedas, o advogado Artemio Picanço.

Ais foi sentenciado pela Justiça Federal a 88 anos e sete meses de prisão.

Para receber essa e outras notícias acesse o grupo do BG PB no Whatsapp

Blog do BG PB

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Polêmica

TOIN PRESO: Guru das criptomoedas diz que dono da Braiscompany está preso

 

Antônio Neto, dono da Braiscompany

Fugitivo há mais de 1 ano, o proprietário da Braiscompany, Antônio Neto Ais, foi detido nesta quinta-feira (29/02). As informações iniciais indicam que Toin foi encontrado em um condomínio na Argentina. Juntamente com ele também foi detida sua esposa Fabrícia Campos.

A informação foi confirmada pelo guru das criptomoedas, o advogado Artemio Picanço.

No começo de fevereiro, Ais foi sentenciado pela Justiça Federal a 88 anos e sete meses de encarceramento. Entre os delitos mencionados na decisão do magistrado da 4ª Vara Federal em Campina Grande Vinícius Costa Vidor, estão operar estabelecimento financeiro sem autorização, administração fraudulenta, apropriação e branqueamento de capitais.

Para receber essa e outras notícias acesse o grupo do BG PB no Whatsapp

Blog do BG PB

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Polêmica

Unipê rejeita termos sobre cobrança de estacionamento e Procon diz que vai “atuar na forma da lei”

Unipê, Alunos, Transferência,

Alunos ameaçam se transferir do Unipê (Foto: reprodução)

O Unipê rejeitou, até essa quarta-feira (28), os termos do Procon João Pessoa e do Procon Paraíba sobre a cobrança de estacionamento aos estudantes do centro universitário em João Pessoa. Os alunos denunciaram o caso revoltados com a repentina taxação do uso do estacionamento para quem vai de carro à instituição para assistir às aulas.

O secretário do Procon-JP, Rougger Guerra, informou, nesta quinta-feira (29), que a reunião de ontem terminou sem consenso. Ou seja, o Unipê não acatou a orientação dos Procons, que é a de que a cobrança só poderia ser feita em novos contratos, isso significa que apenas para alunos novatos, pois os antigos assinaram contratos que não previam essa cobrança de taxa pelo uso do estacionamento. Para os Procons, os antigos matriculados devem seguir até o final do curso sem cobrança avulsa de estacionamento.

“Vamos atuar na forma da lei e das nossas atribuições”, relatou o secretário do Procon-JP. Rougger lembrou que o Código de Defesa do Consumidor (CDC) apresenta vedações quanto a cobranças de uso de estacionamentos.

Ainda segundo Rougger Guerra, o Unipê avalia adiar a cobrança do estacionamento para o segundo semestre. “Mas a posição do Procon é da impossibilidade de cobrança a todos os alunos já matriculados até a conclusão de seus cursos”, acrescentou o secretário do Procon-JP.

Para receber essa e outras notícias acesse o grupo do BG PB no Whatsapp

Blog do BG PB com Clickpb

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Saúde

Paraíba confirma terceira morte por dengue e outros dois casos estão em investigação

Paraíba, óbitos, dengue, Secretaria de Estado da Saúde

Os três óbitos por dengue confirmados pela SES-PB foram no município de Camalaú, Conde e Campina Grande.

A Paraíba confirmou a terceira morte por dengue em 2024. A informação foi confirmada pela Secretaria de Estado da Saúde (SES-PB) nesta quinta-feira (29). Outros dois óbitos por dengue estão sendo investigados, além de uma morte por chikungunya.

Os três óbitos por dengue confirmados pela SES-PB foram no município de Camalaú, de uma jovem de 24 anos; uma mulher de 42 anos no município do Conde, e de um homem de 60 anos, da cidade de Campina Grande. A morte confirmada por chikungunya foi de um homem de 57 anos, do município de Sapé.

Do óbitos em investigação por dengue, o primeiro é de uma mulher de 35 anos, de Campina Grande. De acordo com a SES-PB, ela deu entrada no Hospital Municipal Pedro I, com sinais de gravidade.

A segunda morte que está sendo investigada por dengue é de um idoso de 85 anos, do município de Pocinhos, que deu entrada no Hospital de Trauma de Campina Grande.

Em 2024, foram notificados 2.349 casos prováveis de arboviroses na Paraíba, sendo 2.083 de dengue, 250 de chikungunya e 16 de zika. Há ainda, no sistema da SES-PB, 15 casos com sinais de alarme e gravidade, sendo oito residentes em João Pessoa e um em cada município a seguir: Cabaceiras, Camalaú, Campina Grande, Conde, Guarabira, Mamanguape e Pombal.

Para receber essa e outras notícias acesse o grupo do BG PB no Whatsapp

Blog do BG PB com Clickpb 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Polêmica

DICA DE NEGÓCIOS: Influenciadora faz sucesso vendendo os próprios peidos por R$ 1.490

Uma influenciadora de Cingapura está gerando polêmica nas redes sociais por vender algo nada usual: potes de vidro com os peidos dela.

Cheng Wing Yee, de 21 anos, conhecida como Kiara Kitty, promete aos fãs que os peidos “podem ser guardados por até 30 dias” após a primeira abertura do frasco.

O recipiente lacrado pode ser adquirido por US$ 300 (cerca de R$ 1.490) e vem até com um bilhete de amor de Kiara – que tem 235 mil seguidores no Instagram.

“Você está curioso para saber qual o cheiro de sua streamer favorita Kiara Kitty? Não fique na imaginação, alimente sua curiosidade”, diz o texto disponível no site da influenciadora cingapurense.

Metrópoles

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Brasil

Líderes do Senado discutem novo Código Eleitoral e PEC do fim da reeleição

O senador Marcelo Castro (MDB-PI) apresentou, nesta quinta-feira (29), ao colégio de líderes, as três propostas de emenda à Constituição (PEC) para o fim da reeleição para cargos do Executivo, estendendo o mandato para cinco anos.

Uma proposta prevê o fim da reeleição e a extensão dos mandatos, mas mantém eleições municipais e gerais em datas diferentes. Nas outras propostas apresentadas pelo senador, o texto prevê a coincidência dos pleitos. A diferença fica no formato de transição.

Em uma das PECs, Castro prevê que as eleições passariam a coincidir em 2030. Com isso, prefeitos eleitos em 2024 teriam, em 2028, direito a reeleição por dois anos, totalizando seis anos. Caso fosse eleito pela primeira vez em 2028, o mandato seria de dois anos, podendo se reeleger por mais cinco em 2030, somando sete anos. Para presidente e governadores eleitos em 2026, ficaria a possibilidade de uma última reeleição em 2030 por cinco anos.

Há ainda uma outra proposta com uma transição diferente com as eleições coincidindo em 2034. Nela, em 2028, o prefeito seria eleito por seis anos, terminando em 2034. O governador eleito em 2026, teria uma última possibilidade de reeleição em 2030 por mais quatro anos.

“São duas alternativas, uma que tem mandato tampão de dois anos e outra com o mandato estendido de seis anos. Fica a gosto do freguês”, explicou Castro.

Ele explicou ainda que as propostas devem aumentar os mandatos do Legislativo, que seguem com direito a reeleição. Passariam a ser cinco anos para vereadores e deputados, e dez para senadores. No caso da coincidência das eleições ficar para 2030, o mandato dos senadores eleitos em 2026 será de nove anos, terminando em 2035.

A proposta do fim da reeleição foi criticada pela presidente do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), que chamou a matéria de oportunista. Favorável à proposta, Jaques Wagner rebateu a fala.

“Por que é oportunista? Na proposta que está apresentada, só os eleitos em 2030 ou em 2028 na eleição municipal estariam cerceados (sem possibilidade de reeleição) com o mandato de cinco anos. Quem se eleger em 2024 ou 2026 teria o direito de se eleger em 2028 ou 2030. Não está ceifando ninguém”, argumentou. “É para ontem na minha opinião, a reeleição acho que não funciona. Eleição de dois em dois anos todo mundo sabe que é um inferno”, complementou Wagner.

Código Eleitoral

Relator do Novo Código Eleitoral, Marcelo Castro também apresentou aos líderes da casa os principais pontos de seu parecer.

A maior parte dos pontos do relatório revelados por Castro mantém o que foi aprovado na Câmara dos Deputados em setembro do ano passado.

O líder do governo no Senado, Jaques Wagner (PT-BA), declarou que boa parte do que foi aprovado na Câmara teve boa aceitação dos líderes.

“Do que o Marcelo apresentou, achei tudo bem racional”, disse o senador.

A chamada minirreforma eleitoral aprovada na Câmara altera as regras para distribuição de vagas no Legislativo que não foram preenchidas pelos partidos nos critérios de proporcionalidade.

A proposta estabelece que os lugares serão repartidos entre partidos que alcançarem votação igual ou superior ao quociente eleitoral.

Atualmente, a legislação prevê que todos os partidos que participaram da eleição e passaram a chamada cláusula de barreira, poderão disputar as vagas. A regra hoje para partidos é obter pelo menos 80% do quociente eleitoral e para candidatos conseguir votos em número igual ou superior a 20% do quociente.

“Isso vem no sentido das medidas que a gente vem tomando, desde 2017, quando proibimos as coligações proporcionais e estabelecemos cláusulas de desempenho para o fortalecimento dos partidos políticos”, afirmou Castro.

Castro também irá manter o que foi aprovado na Câmara em relação a candidatos declarados inelegíveis pela Justiça Eleitoral. Hoje, a inelegibilidade de um candidato começa a contar a partir do dia da eleição que ele disputou. A proposta é que o prazo passe a valer a partir de 1º de janeiro do ano seguinte ao pleito.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Paraíba

DÉFICIT: Número de policiais militares cai 4,3% na Paraíba em 10 anos

 

O número de policiais militares na Paraíba caiu 4,3% nos últimos 10 anos. O dado é do Raio-x das Forças de Segurança Pública no Brasil, pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública. O relatório aponta um déficit de forças policiais na Paraíba.

De acordo com os números, em 2013 a Paraíba tinha um efetivo de 9.263 servidores na Polícia Militar. Dez anos depois esse contingente caiu para 8.865 servidores. O índice absoluto de redução é de 398 policiais a menos.

Os números também apontam um déficit quando fazem uma relação entre o efetivo previsto em 2022 com os efetivos de 2023. O ideal para a PM na Paraíba seria um corporação com 17.933 policiais. O déficit apontado é de 49,4%.

Em relação ao efetivo de policiais civis na Paraíba, o estado tem o maior déficit na ocupação de vagas previstas, em 23,8%, no ranking que considera todos os estados da federação. Na sequência, aparecem Rio Grande do Norte (30,3%) e Alagoas (39%). O efetivo de policiais civis paraibanos corresponde a 1.640 servidores. O previsto era de 6.900 policiais

O que dizem as polícias
A Polícia Militar afirmou que “está com concurso em andamento, já nas fases finais, o que vai renovar em mais de 10% o efetivo” e que, além disso, promove “investimentos tecnológicos, reforçando a segurança pública paraibana”.

Já o delegado-geral da Polícia Civil, André Rabelo, disse que a situação da corporação não mais a mesma que foi apresentada no relatório. Ele disse que por conta de um concurso, que segue em processo de convocação, a corporação conta com 2.503 servidores e já está prevista a convocação de uma nova turma, com 490 servidores, que começa em março.

“No estudo feito pela Polícia Civil esse concurso, feito para 1.400 vagas supre a nossa necessidade momentânea”, disse o delegado André Rabelo.

Para receber essa e outras notícias acesse o grupo do BG PB no Whatsapp

Blog do BG PB com G1 PB

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Economia

Após perder espaço para Pix, DOC deixa de ser processado por bancos nesta quinta

Foto: Marcello Casal Júnior/Agência Brasil 

 

Após quase 40 anos, chega ao fim a era das transferências via DOC e TEC. Desde o dia 15 de janeiro, a realização de operações utilizando o Documento de Ordem de Crédito ou a Transferência Especial de Crédito foi suspensa. Elas poderiam ser agendadas até essa quinta-feira (29), quando os bancos vão enfim encerrar o processamento dessas transferências.

O anúncio do fim veio em maio do ano passado, quando a Febraban informou que a extinção das duas modalidades se daria pela queda na utilização e pelo menor custo-benefício aos clientes. Em média, as transferências via DOC custavam R$ 10,08, além de não terem efeito instantâneo.

Enquanto isso, segundo a Febraban, sistemas como o da Transferência Eletrônica Disponível (TED) e o do Pix apresentam maior rapidez e conveniência.
Um levantamento da entidade com base em dados do Banco Central (BC) aponta que em 2022 foram realizadas 59 milhões de transações através do DOC, apenas 3,7% do total registrado no Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB).

Essas transferências ficaram atrás inclusive dos cheques, utilizados em 202,8 milhões de operações.

Naquele ano, foram realizadas mais transações via Pix por dia do que via DOC no ano todo. Segundo dados da Febraban, em média, foram realizadas 66 milhões de operações por dia com o sistema de pagamento instantâneo.

Em 2022, o Pix foi o meio de pagamento mais utilizado no país, com 24 bilhões de transações.

“Com o surgimento do Pix e a alta movimentação bancária com menores taxas, tanto a TEC quando o DOC deixaram de ser a primeira opção dos clientes, que têm dado preferência ao Pix, por ser gratuito e instantâneo”, afirmou em nota o presidente da Febraban, Isaac Sidney, à época do anúncio do fim do DOC.

“A Febraban e os bancos estão constantemente avaliando a modernização e atualização de todos os meios de pagamentos utilizados no país, a fim de melhorar a conveniência para os clientes.”

Mesmo antes de completar um ano de existência, o BC informou que o Pix já era mais utilizado que o DOC, TED e boletos para pagamentos; com mais de 1 bilhão de operações movimentando R$ 787,2 bilhões até março de 2021.

Já em 2023, as movimentações via Pix somaram R$ 17,2 trilhões e alcançaram novo recorde, segundo dados do BC.

O volume financeiro das transações via a plataforma digital aumentou 57,8% ante 2022, quando totalizou R$ 10,9 trilhões, e mais do que dobrou em relação a 2021.

CNN Brasil

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.