Polêmica

DANOS MORAIS, MATERIAIS E ESTÉTICOS: o Hospital e Maternidade CLIM foi condenado a indenizar paciente

Imagem: reprodução

O Hospital e Maternidade CLIM foi condenado ao pagamento de indenização por danos morais, materiais e estéticos. O caso é de uma paciente que sofreu queimaduras provocadas por bisturi elétrico durante uma cirurgia cesariana a que foi submetida. De acordo com a sentença do juízo da 2ª Vara Cível da Capital, o hospital deverá pagar a quantia de R$ 12 mil, a título de danos morais; de R$ 516,79 de danos materiais; e de R$ 8 mil em relação aos danos estéticos experimentados pela autora.

A sentença foi mantida pela Quarta Câmara Cível do Tribunal de Justiça da Paraíba no julgamento do Agravo Interno na Apelação, sob a relatoria do Desembargador Romero Marcelo da Fonseca Oliveira.

“É incontroverso nos autos que a autora, ora agravada, foi submetida a cirurgia cesariana, realizada nas dependências do hospital promovido, ora agravante, em 16 de janeiro de 2016, ocasião em que, por um problema de funcionamento no bisturi elétrico manejado por um dos profissionais médicos que conduziam a intervenção cirúrgica, a recorrida sofreu queimaduras de terceiro grau em seu membro inferior esquerdo, consoante demonstram as fotografias colacionadas com a petição inicial”, destacou o relator do processo.

O relator frisou que no caso apreciado a causa direta das lesões ocasionadas à paciente não foi a atuação do profissional médico, mas o defeito no equipamento fornecido pelo hospital, em razão do que o estabelecimento não pode se eximir do dever de reparar os danos, os quais foram amplamente comprovados durante a instrução processual.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polêmica

FALTA DO QUE COMENTAR: Padre Fábio de Melo tem celibato questionado por Elisa Lucinda

Imagem: reprodução

A atriz Elisa Lucinda, 63, gerou polêmica ao deixar dois comentários em uma foto do padre Fábio de Melo, 50, afirmando não acreditar no celibato do religioso. Lucinda deu sua opinião em uma publicação feita nesta terça-feira (26), no Instagram do padre.

“O frango de botas”, brincou Fábio de Melo na legenda do registro. “Estou te achando muito ‘boy’ e sedutor. Sou contra o celibato. Com todo respeito que te tenho, não acredito no teu. E concordo”, escreveu a poetisa.

“Não deveria ser preciso negar a própria natureza, ser celibatário para ser um padre. Não faz sentido para mim”, completou nos comentários. A fala da atriz dividiu opiniões nos comentários da publicação, entre pessoas apoiando e desaprovando o que foi dito.

Após os comentários da atriz repercutir de forma negativa, Elisa resolveu tentar se explicar, confira abaixo:

Imagem: reprodução

Blog do BG com Folha de S.Paulo

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polêmica

DEMITIDO: Maurício Souza deixa Minas Tênis Clube após publicações homofóbicas

Imagem: reprodução

Após publicações homofóbicas, o jogador de vôlei Maurício Souza foi demitido do Minas Tênis Clube. A informação foi confirmada no perfil oficial do time, no Twitter, na tarde desta quarta-feira (27).

Imagem: reprodução

O atleta já havia sido multado e afastado do clube por tempo indeterminado nesta terça-feira (26). O clube, inclusive, foi cobrado por patrocinadores para tomar “medidas cabíveis”.

Dentre as medidas adotadas pelo Minas Tênis Clube, o atleta também deveria se retratar publicamente. Ele pediu desculpas, mas escolheu uma conta com o menor número de seguidores para publicar a declaração.

Blog do BG com Diário do Nordeste

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polêmica

Polícia diz que arma usada por Alec Baldwin pode ter disparado projétil de chumbo

Images: AFP; Angela Weiss/AFP

Autoridades americanas participaram de entrevista coletiva, nesta quarta-feira (27), para falar sobre o disparo de arma de fogo que matou a diretora de fotografia Halyna Hutchins no set do filme “Rust”.

O xerife do condado de Santa Fé, Adan Mendoza, afirmou que as autoridades recuperaram um projétil de chumbo que foi disparado da arma usada pelo ator Alec Baldwin na semana passada, segundo a agência de notícias Reuters. As gravações aconteciam no estado do Novo México.

Ele também afirmou que dois membros da equipe – o diretor assistente e armeiro do filme – manusearam a arma antes que o ator e produtor Alec Baldwin disparasse o tiro fatal. “Todos os três indivíduos cooperaram na investigação e prestaram depoimentos”, afirmou Mendoza.

A promotora do condado de Santa Fé, Mary Carmack-Altwies, foi questionada sobre quem será acusado, mas se esquivou da pergunta ao responder que as investigações ainda estão em curso. Carmack-Altwies também disse que os investigadores ainda não podem dizer se foi negligência ou de quem neste momento.

A polícia está fazendo testes para determinar se o projétil de chumbo recuperado do ombro do diretor Joel Souza foi disparado de uma arma – um revólver Colt longo – usada por Baldwin.

Blog do BG com G1

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polêmica

FOGO AMIGO: Guedes chama Pontes de burro e diz que se pergunta “o que estou fazendo aqui”

Foto: Edu Andrade e Marcello Casal Jr.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, não poupou palavras para se referir ao colega de governo e ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, durante encontro com integrantes da comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara, que brigam para ter de volta R$ 600 milhões de recursos retirados do ministério da área.

De acordo com informações da coluna Painel, do jornal Folha de São Paulo, em reunião em sua sala, Guedes chamou colegas do próprio governo de incompetentes, se referiu ao ministro-astronauta como burro, e disse que “às vezes eu mesmo me pergunto o que estou fazendo aqui.”

O ministro da Economia também deu a entender que o colega de Esplanada vive no ‘espaço’ e não entende nada de gestão.

No local estavam deputados da base e de oposição. Paulo Guedes disse ainda que não falta dinheiro para o país, mas falta gestão.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

GANHANDO TEMPO: Aras submete relatório da CPI à análise prévia

Divulgação

A decisão do procurador-geral da República, Augusto Aras, de só tomar qualquer atitude sobre o relatório da CPI da Covid após uma “análise prévia” por um órgão da PGR foi vista internamente como uma medida para ganhar tempo e não se indispor nem com o governo Bolsonaro e nem com senadores da comissão.

Procuradores avaliam que a manobra também busca jogar a responsabilidade em outros membros do Ministério Público e reduzir qualquer desgaste em torno de Bolsonaro e do Palácio do Planalto.  

O documento, que será entregue nesta quarta-feira (27) à PGR, é foco de desgaste não só para Bolsonaro e seus três filhos, Flávio, Eduardo e Carlos, todos indiciados por diversos crimes no documento, mas também para nomes do governo como o do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, do ministro da Casa Civil, Braga Netto, e do líder do governo na Câmara, Ricardo Barros. 

O Globo

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polêmica

BLACK LIST: Confira a relação de possíveis indiciados da CPI Covid

Divulgação

Confira os nomes listados pelo relator, senador Renan Calheiros (MDB-AL):

Jair Bolsonaro, presidente da República – epidemia com resultado morte; charlatanismo; incitação ao crime; falsificação de documento particular; emprego irregular de verbas públicas

Marcelo Queiroga, ministro da Saúde – epidemia culposa com resultado morte e prevaricação

Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde – emprego irregular de verbas públicas; prevaricação; comunicação falsa de crime e crimes contra a humanidade

Ernesto Araújo, ex-ministro das relações exteriores – epidemia culposa com resultado morte e incitação ao crime

Onyx Lorenzoni, ministro do Trabalho e Previdência – incitação ao crime e crimes contra a humanidade

Walter Braga Netto, ministro da Defesa – incitação ao crime e crimes contra a humanidade

Wagner de Campos Rosário, ministro da CGU – prevaricação

Flávio Bolsonaro, senador – incitação ao crimeEduardo Bolsonaro, deputado federal – incitação ao crime

Bia Kicis, deputada federal – incitação ao crime

Carla Zambelli, deputada federal – incitação ao crime

Ricardo Barros, deputado federal e líder do governo na Câmara – incitação ao crime, advocacia administrativa, formação de organização criminosa e improbidade administrativa

Osmar Terra, deputado federal – epidemia com resultado morte e incitação ao crime

Carlos Jordy, deputado federal – incitação ao crime

Carlos Bolsonaro, vereador no Rio de Janeiro – incitação ao crime

Roberto Jefferson, ex-deputado federal – incitação ao crime

Fábio Wajngarten, ex-secretário de Comunicação da Presidência – prevaricação e advocacia administrativa
Mayra Pinheiro, secretária do Ministério da Saúde – epidemia com resultado morte, prevaricação e crime contra a humanidade

Roberto Ferreira Dias, ex-diretor de logística do Ministério da Saúde – corrupção passiva; formação de organização criminosa e improbidade administrativa

Roberto Goidanich, ex-presidente da Funag – incitação ao crime

Helio Angotti Neto, secretário do Ministério da Saúde – incitação ao crime

Heitor Freire de Abreu, secretário do Ministério da Defesa – epidemia com resultado morte

Filipe Martins, assessor especial da presidência – incitação ao crime

Tércio Arnaud, assessor especial da presidência – incitação ao crime

Arthur Weintraub, ex-assessor da presidência – epidemia com resultado de morte

Airton Antônio Soligo, ex-assessor do Ministério da Saúde – usurpação de função pública

Élcio Franco, ex-secretário do Ministério da Saúde – epidemia com resultado morte e improbidade administrativa

Alex Lial Marinho, ex-coordenador de logística do Ministério da Saúde – advocacia administrativa

Marcelo Bento Pires, coronel da reserva – advocacia administrativa

Hélcio Bruno, coronel da reserva – incitação ao crime

Thiago Fernandes da Costa, servidor do Ministério da Saúde – advocacia administrativa

Regina Célia de Oliveira – advocacia administrativa

Wilson Lima, governador do Amazonas, somente citado por não ter feito alertas necessários durante a crise de oxigênio em Manaus

Marcellus Campêlo, ex-secretário de Saúde do Amazonas, somente citado por gestão inadequada da crise

Carlos Wizard Martins, empresário – epidemia com resultado morte e incitação ao crime

Luciano Hang, empresário – incitação ao crime

Francisco Emerson Maximiano, empresário dono da Precisa Medicamentos – falsidade ideológica; formação de organização criminosa e improbidade administrativa

José Ricardo Santana, empresário – formação de organização criminosa

Emanuella Medrades, diretora técnica da Precisa Medicamentos – falsidade ideológica; formação de organização criminosa e improbidade administrativa

Marcos Tolentino, empresário – formação de organização criminosa e improbidade administrativa

Otavio Fakhoury, empresário – incitação ao crime

Eduardo Parrillo, empresário Dono da Prevent Senior – perigo para a vida ou saúde de outrem, omissão de notificação de doença, falsidade ideológica e crime contra a humanidade

Fernando Parrillo, empresário Dono da Prevent Senior – perigo para a vida ou saúde de outrem, omissão de notificação de doença, falsidade ideológica e crime contra a humanidade

Raimundo Nonato Brasil, sócio da VTCLOg – corrupção ativa e improbidade administrativa

Pedro Batista Júnior, diretor-executivo da Prevent Senior – perigo para a vida ou saúde de outrem, omissão de notificação de doença, falsidade ideológica e crime contra a humanidade

Danilo Trento, diretor institucional da Precisa Medicamentos – formação de organização criminosa e improbidade administrativa

Andreia da Silva Lima, diretora-executiva da VTCLog – corrupção ativa e improbidade administrativa

Carlos Alberto Sá, sócio da VTCLog – corrupção ativa e improbidade administrativa

Teresa Cristina de Sá, sócia da VTCLog – improbidade administrativa

José Alves, empresário dono da Vitamedic – epidemia com resultado morte

Luciano Dias Azevedo, médico – epidemia com resultado morte

Nise Yamaguchi, médica – epidemia com resultado morte

Paolo Zanoto, médico e professor da USP – epidemia com resultado morte

Flávio Cadegiani, médico – crime contra a humanidade

Daniella de Aguiar Moreira da Silva, médica da Prevent Senior – crime de omissão e crime consumado

Paola Werneck, médica da Prevent Senior – perigo para a vida ou saúde de outrem

Daniel Arrido Baena, médico da Prevent Senior – falsidade ideológica

João Paulo Barros, médico da Prevent Senior – falsidade ideológica

Fernanda de Oliveira Igarashi, médica da Prevent Senior – falsidade ideológica

Carla Guerra, médica da Prevent Senior – perigo para a vida ou saúde de outrem e crime contra a humanidade

Rodrigo Esper, médico da Prevent Senior, perigo para a vida ou saúde de outrem e crime contra a humanidade

Fernanda Oikawa, médica da Prevent Senior, perigo para a vida ou saúde de outrem e crime contra a humanidade

Mauro Luiz de Brito Ribeiro, presidente do Conselho Federal de Medicina – epidemia com resultado morte

Antonio Jordão, presidente da associação médicos pela vida – epidemia com resultado morte

Túlio Silveira, representante da Precisa Medicamentos – falsidade ideológica e improbidade administrativa

Rafael Franscisco Carmo Alves, intermediador da Davati – corrupção ativa

José Odilon Torres da Silveira Júnior, intermediador da Davati – corrupção ativa

Cristiano Carvalho, intermediador da Davati – corrupção ativa

Marcelo Blanco da Costa, ex-assessor do Ministério da Saúde – corrupção ativa

Luiz P. Dominguetti, representante da Davati – corrupção ativa

Marconny Albernaz Faria, lobista intermediário da Precisa Medicamentos – formação de organização criminosa

Amilton Gomes de Paula, reverendo – tráfico de influência

Allan dos Santos, blogueiro bolsonarista – incitação ao crime

Paulo Eneas, editor do site Crítica Nacional – incitação ao crime

Bernardo Kuster, diretor do jornal Brasil Sem Medo – incitação ao crime

Oswaldo Eustáquio, blogueiro bolsonarista – incitação ao crime

Richar Pozzer, artista – incitação ao crime

Leandro Ruschel, influenciador e empresário – incitação ao crime

Precisa Medicamentos – ato lesivo à administração pública

VTLog – ato lesivo à administração pública

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polêmica

Após pressão de patrocinadores, Mauricio Souza é afastado de time de vôlei por comentário considerado homofóbico

Imagem: reprodução

Após pressão do patrocinadores, o Minas Tênis Clube decidiu afastar Maurício Souza depois do jogador fazer uma publicação considerada homofóbica no Dia das Crianças. A decisão tomada pela diretoria do time mineiro não é definitiva. O atleta poderá se retratar publicamente para continuar no time.

A Fiat e a Gerdau, principais patrocinadoras da equipe de vôlei do Minas, se manifestaram nesta terça-feira, 26, sobre as recentes declarações homofóbicas do jogador. “Estamos atentos aos últimos acontecimentos envolvendo o time de vôlei Fiat Minas Gerdau e o jogador Maurício Souza, e portanto, cobrando as medidas cabíveis, de acordo com o nosso posicionamento inegociável diante do respeito à diversidade e à inclusão”, informou a montadora italiana por meio de suas páginas nas redes sociais.

A Gerdau, que também tem seu nome associado ao time, também repudiou as distintas formas de preconceito. “Repudiamos qualquer tipo de manifestação de cunho preconceituoso ou homofóbico. Já solicitamos a posição oficial do clube sobre as tratativas necessárias ao caso para adotar as medidas cabíveis, o mais breve possível. Reforçamos nosso compromisso com a diversidade e inclusão, um valor inegociável para a companhia”, informou a empresa.

Recentemente,  Maurício Souza criticou a história em quadrinhos do novo Super-homem beijando outro homem. “Ah é só um desenho, não é nada demais. Vai nessa que vai ver onde vamos parar”, escreveu o jogador.

O jogador também criticou decisão da TV Globo de usar pronome neutro em suas novelas, reconhecendo pessoas que preferem não se identificar a um gênero específico.

A postagem repercutiu bastante. Douglas Souza, companheiro de Maurício na seleção, decidiu também entrar no debate. Sem citar o colega de profissão, o ponteiro celebrou a escolha da DC pela bissexualidade do super-homem.

Após a repercussão, Maurício usou as redes sociais de forma enigmática, sem dizer a quem se referia. “Hoje em dia o certo é errado e o errado é certo… Não se depender de mim. Se tem que escolher um lado eu fico do lado que eu acho certo! Fico com minhas crenças, valores e ideias”, escreveu.

Blog do BG com iG e Metrópoles

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

TSE aponta necessidade de aprofundar investigação de ataques de Bolsonaro ao sistema eleitoral

Foto: EVARISTO SA AFP/Archivos

O corregedor-geral da Justiça Eleitoral, ministro Luis Felipe Salomão, apontou a necessidade de aprofundar as investigações do inquérito administrativo aberto no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para apurar ataques feitos pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao sistema eleitoral.

A investigação apura os crimes de abuso de poder econômico e político, uso indevido dos meios de comunicação social, corrupção, fraude, condutas vedadas a agentes públicos e propaganda eleitoral antecipada na realização desses ataques.

O inquérito foi instaurado pelo corregedor-geral e aprovado por todos os ministros do TSE. Na sequência, a Corte Eleitoral pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) que o presidente fosse investigado no inquérito que apura a disseminação de notícias falsas. O ministro Alexandre de Moraes, relator do inquérito no STF, acolheu o pedido e incluiu o presidente na lista de investigados.

Blog do BG com CNN

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

VINGANÇA: Suspeito é preso e indica local onde corpo do homem acusado de abusar de criança foi deixado em João Pessoa

Imagem: Divulgação

O corpo de um homem foi encontrado no terreno de uma casa, nesta terça-feira (26), no bairro do Varjão, em João Pessoa. Um suspeito foi preso e apontou onde estava o corpo. Nos fundos de uma casa no Varjão, em um terreno de mata.

A vítima seria um jovem acusado de abusar de uma menina e estava desaparecido há dois meses. O suspeito de matar o suposto abusador seria o tio da criança, que, por vingança, teria assassinado o jovem. As equipes da Polícia Civil e do Instituto de Polícia Científica (IPC) estiveram no local para realizar a perícia e colher informações.

O homem preso foi levado para a Central de Flagrantes, no Geisel. Inicialmente, ele seria autuado apenas pela ocultação de cadáver, até que fosse comprovado o envolvimento dele no homicídio.

Blog do BG com ClickPB

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *