Paraíba

DESTAQUE: Pesquisadora da UFPB coordena estudo sobre utilização de LED na cicatrização de queimaduras

Foto: Angélica Gouveia

A pesquisadora Palloma Andrade, do Centro de Ciências da Saúde (CCS) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), está desenvolvendo um estudo que visa a utilização de Luzes Emitidas por Diodo (LEDs) na reepitelização de queimaduras. O objetivo é buscar um novo tratamento não invasivo e de baixo custo que possa acelerar o processo de reparo tecidual.

Segundo a Profª Palloma, para os fisioterapeutas, o estudo representa um novo conhecimento e uma nova técnica de tratamento de fácil acesso que poderá ser utilizada em seus pacientes. Uma vez comprovada a eficácia da LED na reepitelização de queimaduras, a discente ressaltou que a proposta de pesquisa trará inovação de produto e inovação de serviço e processo produtivo.

O estudo, atualmente, encontra-se em fase de publicação do protocolo, dando mais transparência ao processo da pesquisa, que já foi aprovada no Comitê de Ética em Pesquisa do CCS e no Registro Brasileiro de Ensaios Clínicos (REBEC). O próximo passo é, por meio do Hospital Universitário Lauro Wanderley (HULW), recrutar e captar pacientes queimados que concordem em participar da pesquisa como voluntários a fim de iniciar a aplicação dos protocolos de tratamento.

Com a pesquisa, a Profª Palloma prevê o trabalho em conjunto com outras universidades e participação em eventos científicos. Ainda segundo ela, o estudo divulgará os trabalhos realizados na UFPB e ampliará as possibilidades de colaborações com outros grupos de pesquisa.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

COVID-19: Paraíba registra 4 óbitos e 260 novos casos em 24h

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) registrou, nesta quarta (27), 260 casos de covid-19. Entre os confirmados hoje, 03 (1,15%) são moderados ou graves e 257 (98,85%) são leves. Agora, a Paraíba totaliza 445.272 casos confirmados da doença, que estão distribuídos por todos os 223 municípios. Até o momento, 1.195.954 testes para diagnóstico da Covid-19 já foram realizados.

Também foram confirmados 04 novos óbitos desde a última atualização, sendo três ocorridos nas últimas 24h. Os óbitos confirmados neste boletim ocorreram entre os dias 25 e 27 de outubro, todos em hospitais públicos. Com isso, o estado totaliza 9.403 mortes. O boletim registra ainda um total de 338.112 pacientes recuperados da doença.

Ocupação de leitos Covid-19 – A ocupação total de leitos de UTI (adulto, pediátrico e obstétrico), em todo estado, é de 23%. Fazendo um recorte apenas dos leitos de UTI para adultos na Região Metropolitana de João Pessoa, a taxa de ocupação chega a 29%. Em Campina Grande, estão ocupados 16% dos leitos de UTI adulto e no sertão 33% dos leitos de UTI para adultos. De acordo com o Centro Estadual de Regulação Hospitalar, 11 pacientes foram internados nas últimas 24h. Ao todo, 127 pacientes estão internados nas unidades de referência.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Pfizer pedirá à Anvisa autorização para uso de vacina em crianças

Foto: Reuters

A Pfizer informou, nesta quarta-feira (27), que pedirá à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) a autorização para o uso da vacina contra Covid-19 em crianças de idades entre 5 e 11 anos.

“A submissão do pedido junto à Anvisa para a aprovação do uso da vacina Comirnaty, da Pfizer/Biontech, para crianças entre 5 e 11 anos deve ocorrer ao longo do mês de novembro de 2021”, informou a empresa por meio de um comunicado.

A decisão foi anunciada depois de a farmacêutica conseguir o parecer favorável da agência Food and Drug Administration (FDA) para a aplicação da vacina nos Estados Unidos. O painel de especialistas da agência norte-americana reconheceu, nesta terça-feira (26), que os benefícios da injeção superam os riscos. Agora cabe ao Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) tomar a decisão final sobre o uso do imunizante em crianças desta faixa etária nos EUA.

Dose menor – A dose recomendada para crianças desta faixa etária equivale a um terço da quantidade inoculada em pessoas maiores de 12 anos. Segundo resultados preliminares de estudos clínicos divulgados pela Pfizer, essa porção do fármaco garante níveis de anticorpos semelhantes aos desenvolvidos por adultos que receberam a dose completa.

Blog do BG com Metrópoles

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

EM 3 DE NOVEMBRO: DF acaba com obrigatoriedade de uso de máscaras ao ar livre

Divulgação

O governador Ibaneis Rocha (MDB) determinou o fim da obrigatoriedade do uso de máscaras em locais ao ar livre no Distrito Federal, a partir do dia 3 de novembro. A medida está prevista em edição extra do Diário Oficial do DF, publicada nesta terça-feira (26).

Segundo o decreto, o uso da máscara para prevenir a contaminação pela Covid-19 permanece obrigatório nos seguintes locais:

  • Todos os espaços públicos fechados
  • Equipamentos de transporte público coletivo
  • Estabelecimentos comerciais, industriais e de serviços
  • Áreas de uso comum dos condomínios residenciais e comerciais

G1

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

Comitê de agência dos EUA recomenda autorizar vacina da Pfizer para crianças entre 5 e 11 anos

Foto: Dado Ruvic/Reuters

Um comitê consultivo independente da agência reguladora norte-americana (FDA, sigla em inglês) recomendou nesta terça-feira (26) que a vacina da Pfizer contra a Covid-19 seja aplicada em crianças de 5 a 11 anos nos Estados Unidos.

A recomendação do comitê independente não é definitiva e nem obrigatória, mas a agência reguladora normalmente a segue à risca as indicações do grupo. Caso a recomendação seja confirmada pela FDA, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), órgão de saúde dos Estados Unidos, ainda precisa dar seu aval e estabelecer os protocolos desta futura etapa de vacinação.

Nos EUA, a expectativa é que este parecer dos especialistas seja o primeiro passo para, talvez já na próxima semana, começar a vacinação de um público de 28 milhões de pessoas desta faixa etária. A dose prevista para as crianças é de um terço da aplicada nos adultos.

Exceto por uma abstenção, os especialistas votaram de forma unânime, apontando que os benefícios da prevenção contra a Covid-19 superam eventuais riscos associados à vacinação nesta faixa etária.

Blog do BG com G1

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

CICLO COMPLETO: Juliette toma a segunda dose de vacina contra a Covid-19 e diz: “dose de esperança”

Foto: Divulgação redes sociais

Campeã do “BBB21”, Juliette tomou a segunda dose da vacina contra a Covid-19 na manhã desta terça-feira. A paraibana postou o registro em suas redes sociais e escreveu: “Segunda dose de esperança! #VivaoSUS”.

Durante a fase mais aguda da pandemia, ela estava na casa mais vigiada do Brasil. Assim que saiu do programa campeã, pedia aos seus fãs que evitassem aglomerações e tomassem os cuidados contra a pandemia, como a vacinação e o uso de máscaras.

A esperança é forte mesmo para ela. A mãe da ex-BBB, Dona Fátima, passou recentemente por uma cirurgia cardíaca recentemente. Um dos principais motivos para ela participar do reality show era poder ajudar do tratamento da mãe, que também aumenta o fator de risco dela para a Covid-19.

Logo depois de sua postagem, muitos fãs celebraram com ela a conquista e elogiaram a sua postura em causas importantes para a saúde pública.

“Isso aqui é o mínimo, o básico: se vacinar e se cuidar. Como tem sido importante ela expor isso nas redes, usar da influência gigante que tem pra incentivar a vacinação que tantos se empenharam pra não acontecer. Salva vidas. Obrigado por isso, Ju”, escreveu uma seguidora.

Extra Globo

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

CONECT SUS: Certificado de vacinação é liberado para quem tomou duas doses diferentes

Divulgação

O Ministério da Saúde anunciou a liberação de emissão do certificado de vacinação contra a Covid-19 para quem tomou duas doses de farmacêuticas diferentes — a chamada intercambialidade. A emissão poderá ser realizada pelo aplicativo ConecteSUS.

No início de outubro, a pasta reconheceu que o sistema do app impedia a emissão do certificado, mas informou que buscaria uma solução para evitar essa limitação para os imunizados no esquema de intercambialidade.

O certificado de vacinação é um documento que a pessoa pode emitir para comprovar que concluiu o ciclo vacinal, seja por meio do recebimento de duas doses, ou da dose única — no caso do imunizante da Janssen.

Intercambialidade

Embora a principal orientação seja para que o esquema de vacinação deve completado com o mesmo imunizante, o Ministério da Saúde afirma que em situações de exceção, onde não for possível administrar a segunda dose com uma vacina do mesmo fabricante, poderá ser administrada uma de outro laboratório.

A segunda dose deverá ser administrada respeitando o intervalo adotado para o imunizante utilizado na primeira dose.

Para as gestantes que receberam a primeira dose da vacina AstraZeneca/Fiocruz ou no puerpério (até 45 dias pós-parto), no momento de receber a segunda dose da vacina, deverá ser ofertada, preferencialmente, a Pfizer. Caso esse imunizante não esteja disponível na localidade, poderá ser utilizada a vacina Coronavac.

Agência Brasil

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

ALERTA: Covid volta a preocupar europeus, e governos já retomam restrições

Foto: Sérgio Lima/Poder360

Não bastou ser o continente que mais rapidamente vacinou sua população: a Europa se tornou neste mês a única região do mundo em que casos de Covid estão em alta. A pandemia voltou às manchetes e ao debate político, e restrições já começaram a ser reimpostas.

Houve 1,3 milhão de novos casos registrados na semana até o dia 19, uma alta de 7% em relação à semana anterior e o terceiro salto seguido. Não é que a imunização tenha fracassado: a eficácia da vacina não está em impedir a transmissão, mas em reduzir hospitalizações e mortes.

A Europa, porém, também é o continente que está vendo mais gente morrer de Covid a cada semana, e não é simples explicar por quê, principalmente quando a média europeia encobre disparidades. A pandemia está ganhando volume em 35 dos 61 países e territórios acompanhados pela Organização Mundial de Saúde (OMS), o que quer dizer que não está nos outros 26.

A amplitude da imunização também varia, o que não necessariamente implica um controle maior dos óbitos. Estão totalmente vacinados 86% dos belgas, mas apenas 16% dos ucranianos, duas populações em que a taxa de mortes cresce há quatro semanas seguidas, embora seja relativamente baixa (menos de 90/1 milhão de habitantes).

Folha de São Paulo

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Covid-19: aumenta circulação de subvariante Delta em Belém do Pará

Uma subvariante Delta do novo coronavírus, que pode não ser detectada em testes rápidos, tem circulado de forma cada vez mais intensa em Belém, no Pará. A informação foi confirmada pela Secretaria Municipal de Saúde (Sesma), após sequenciamento de 16 amostras do vírus SARS-CoV-2 obtidas de pacientes na capital paraense.

“Nessas análises a Sesma detectou uma uma subvariante Delta, a AY.33, circulando em Belém e que pode não ser detectada por testes rápidos e pelos protocolos padrões de RT-qPCR”, informou, em nota, a secretaria.

Diante da constatação, a prefeitura local está orientando que qualquer pessoa que apresente sintomas compatíveis com covid-19 fique em isolamento social por 14 dias. Na nota divulgada pela Sesma, foram apresentados resultados de análises feitas desde julho, que revelaram uma inversão das variantes identificadas.

Em julho e agosto, dos 1.612 casos da covid-19 notificados em Belém, foram enviadas, para sequenciamento, 72 (4%) amostras de pacientes sintomáticos que apresentaram RT-qPCR positivo. Desses casos, 84,7% de casos foram provocados pela variante Gamma, enquanto os casos da variante Delta representaram 9,7%.

Dos 332 casos notificados em setembro, 24 (7%) dos pacientes sintomáticos tiveram resultado positivo no RT-qPCR. Destes, 50% foram casos provocados pela variante Delta e 50% dos pacientes haviam sido infectados pela variante Gamma do vírus SARS-CoV-2.

Nos primeiros 20 dias do mês de outubro, foram notificados 152 casos. As 20 amostras genotipadas (13%) revelaram uma inversão, com a predominância da variante Delta, responsável por 75% dos casos, enquanto a variante Gamma foi identificada em 25% das análises.

“Diante deste cenário, se faz a necessário que a população siga com as medidas de prevenção e controle como: isolamento domiciliar da pessoa que estiver com suspeita ou em período de transmissão da doença, lavagem frequente das mãos com água e sabão e/ou álcool em gel, além do uso obrigatório de máscara e manter o distanciamento social”, informou a Sesma.

Agência Brasil

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

“Pandemia terminará quando todo mundo decidir acabar com ela e dispomos de todas as ferramentas”, diz chefe da OMS

A pandemia de covid-19 terminará “quando todo mundo decidir acabar com ela”, pois atualmente dispomos de “todas as ferramentas” necessárias para combater o vírus, assegurou neste domingo (24) o chefe da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

“A pandemia acabará quando todo mundo decidir acabar com ela, está nas nossas mãos, dispomos de todas as ferramentas de que precisamos para isso”, declarou o chefe da Organização Mundial da Saúde (OMS) em Berlim, onde voltou a insistir em uma distribuição mais equilibrada em todo o mundo das vacinas anticovid.

Tedros Adhanom também lembrou que “com cerca de 50.000 mortos semanais” no mundo, “a pandemia está longe de ter acabado”.

Ele deu estas declarações na cerimônia inaugural da “Cúpula Mundial sobre a Saúde”, que reúne a cada ano profissionais de saúde e dirigentes políticos em Berlim.

A OMS estabeleceu como meta que 40% da população de cada país esteja vacinada contra a covid-19 antes do fim do ano e 70% em meados de 2022.

Tedros Adhanom lamentou em várias ocasiões a concentração de vacinas nos países ricos.

“O objetivo é alcançável, mas só se os países e as empresas que controlam o abastecimento traduzirem suas declarações em fatos”, insistiu na capital alemã.

UOL com AFP

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *