Protestos

EM JOÃO PESSOA: Grupo protesta contra imunização de crianças contra Covid-19 e passaporte da vacina

Foto: Reprodução

Um grupo de cerca de 100 pessoas realizaram um protesto na noite desta quarta-feira (12) contra passaporte da vacina contra a Covid-19 e da aplicação do imunizante em crianças. No momento houve principio de confusão com grupos que pensam contrário e que se incorporaram a manifestação.

A concentração ocorreu na orla de Tambaú e partiu em direção ao Cabo Branco. Um dos organizadores do manifesto, o vereador Tarcísio Jardim ( Patriota) disse que não é contra as pessoas que tomam a vacina, mas da obrigação para que se imunizem.

Foto: Reprodução

“Qual a diferença de um cidadão vacinado e de um não vacinado em um ambiente coletivo. O vacinado se contagia, o vacinado transmite do mesmo modo que um ao vacinado. É ilógico. Qual o motivo de segregar as pessoas por questão de vacina. Deixem as pessoas exercerem sua cidadania”, argumentou.

Uma carreata deve acontecer no próximo fim de semana.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Protestos

Policiais Militares e Bombeiros protestam em frente ao Palácio do Governo contra lei aprovada na ALPB

Foto: Reprodução

Policiais militares e Bombeiros protestam na manhã desta segunda-feira (20) em frente ao palácio da Redenção, sede do governo da Paraíba.

Entre as pautas defendidas pelas categorias estão a revogação dos artigos da lei de proteção social da PMPB, que retira dos Policiais e Bombeiros Militares direitos como proventos a graduação superior, adicional de inatividade e a retirada  do artigo que aumentou a permanência dos Coronéis na ativa, travando as promoções. A matéria foi aprovada na última terça-feira (14) pela Assembleia Legislatica da Paraíba. Eles também buscam o PCCR e Reajuste salarial.

No fim do ato, eles devem protocolar um documento solicitando audiência com o governador João Azevedo.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Protestos

DIA DE PROTESTOS: Professores ocupam Câmara Municipal de João Pessoa pelo rateio do Fundeb

Divulgação

Os professores da rede municipal de ensino de João Pessoa estão realizando na manhã desta terça-feira (14) uma manifestação na Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) com o objetivo de saber quando será pago o rateio do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação).

Segundo os professores a manifestação é para reivindicar o rateio do Fundeb e ter uma explicação de onde foi aplicado o recurso repassados pelo Governo Federal à Prefeitura de João Pessoa.

Blog do BGPB

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Protestos

TUDO PARADO: Protesto de ex-moradores da comunidade Dubai deixa trânsito lento em Mangabeira

Foto: SEMOB

O trânsito na Avenida Hilton Souto Maior, em Mangabeira, foi bloqueado no final da tarde desta quinta-feira (2) por conta de um protesto de moradores que foram retirados da comunidade conhecida como “Dubai”. A Superintendência de Mobilidade Urbana (SEMOB), Guarda Civil Metropolitana (GCM) e Polícia Militar (PM) foram envidas ao local para dar apoio.

As famílias continuam abrigadas em ginásios e escolas públicas de João Pessoa. Cerca de 400 pessoas sem abrigo esperam o encaminhamento da prefeitura para recebimento de um auxílio financeiro para recebimento de aluguel.

Nessa quarta-feira (1º), o Ministério Público da Paraíba (MPPB) definiu que a gestão municipal deve apresentar um plano de ação de apoio às famílias. O relatório deve ser entregue até a próxima terça-feira (7).

Sobre o pagamento do auxílio aluguel de R$ 350, a prefeitura informou que “aguarda os dados bancários dos beneficiados que estão com seus processos completos pra iniciar os pagamentos”.

Em relação as reclamações feitas sobre a alimentação, a Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) informou que “as refeições são preparadas no mesmo dia da entrega, nos equipamentos de segurança alimentar da Sedes. Elas passam por controle de qualidade no momento da preparação pela nossa equipe de nutricionistas e pela equipe que está no local da entrega, que também inclui nutricionista. Hoje foram distribuídas 220 quentinhas para almoço”, disse em nota.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Protestos

VÍDEO: Moradores colocam um caixão na rua e pedem reforma de praça em João Pessoa

Enquanto o prefeito Cícero Lucena está na Espanha discutindo o alargamento das praias de João Pessoa, há cinco meses, uma verdadeira lagoa se formou na Praça Lauro Wanderley no bairro Funcionários I.

Nesta quarta-feira (17), moradores da região iniciaram um protesto no local e cobram uma ação de drenagem, que já foi protocolada junto a Secretaria de Infraestrutura desde junho deste ano.

Um boneco com a placa “proibido pescar” e um caixão de madeira foram colocados na praça.

Nas imagens que circulam nas redes sociais, internautas já chamam o local de “Piscinão de Ramos”, em alusão ao famoso parque municipal do Rio de Janeiro.

 

 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Protestos

PARALISAÇÃO HISTÓRICA: Jornalistas fazem ato na Globo e cruzam os braços por reajuste salarial

Foto: Eduardo Viné SJSP

Cerca de 250 jornalistas de jornais e revistas da capital paulista participaram de nova assembleia nessa terça-feira (9) e deliberaram por não aceitar a mais recente proposta patronal e manter a paralisação marcada para ocorrer das 16h às 18h da quarta-feira (10). As negociações já duram cinco meses.

Os trabalhadores reivindicam um reajuste de 5% retroativo, contando a partir de junho de 2021, e outro de 3,72% a partir deste mês de novembro. A proposta inclui a manutenção da multa da PLR (Participação nos Lucros ou Resultados) e um reajuste de 8,9%, porcentagem que acompanha o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) registrado no período de junho de 2020 a maio de 2021.  

Proposta patronal 

Não foi bem isso que as empresas de comunicação ofereceram. A última Convenção Coletiva de Jornais e Revistas da Capital aconteceu nessa segunda-feira (8). Na negociação o sindicato patronal propôs a inclusão da multa da PLR e reajustes diferentes para três faixas salariais.  

Para salários de até R$ 5 mil, o reajuste seria de 8,9%, como demandado pela categoria. Para remunerações entre R$ 6 e R$ 7 mil, o reajuste – parcelado em duas vezes – seria de 6%. No caso de salários superiores a R$ 7 mil, o reajuste fixo seria de R$ 420.  

“Há um avanço na proposta, mas ainda estamos longe de chegar aos 8,9% para a maior parte dos salários. Além disso, a primeira faixa de salários de até R$ 5 mil, na verdade, fica abaixo do piso de 7 horas, que é em torno de R$ 5.400”, aponta Thiago Tanji, presidente do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo (SJSP) e trabalhador da Editora Globo. 

Como parte da campanha salarial, houve um ato na tarde dessa terça (9) na av. 9 de julho, em São Paulo, em frente à sede da Globo, da editora Globo Condé Nast, das redações do Valor Econômico e da sucursal de O Globo. 

Para Tanji, são “cinco meses de negociação e intransigência dos patrões”. O presidente do SJSP explica que, mesmo com a inflação de 8,9%, “primeiro quiseram dar 0% [de reajuste] depois 4,45%, depois 5% e agora começam a avançar lentamente”. 

“A gente quer reajuste da inflação para todos os salários. E queremos esse reajuste o mais rápido possível, porque cada dia que passa é mais um dia de aluguel, alimento, combustível”, expõe Thiago Tanji, para quem anualmente a precarização das condições de trabalho está avançando. 

Para a paralisação de quarta-feira (10) que, em São Paulo e atravessando diferentes veículos de comunicação, é a primeira da categoria no século, já confirmaram que cruzarão os braços trabalhadores de redações como da Folha de S. Paulo, da Editora Globo, do Valor Econômico e da Editora Abril.

Brasil de Fato

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Protestos

CASO KELTON: Motoboys realizam novo protesto em João Pessoa

Foto: SEMOB

Entregadores e motoboys estão realizando um protesto nesta segunda-feira (8), no cruzamento da avenida Flávio Ribeiro Coutinho, o Retão de Manaíra, com a rua Miriam Barreto, em João Pessoa. Eles pedem justiça na semana em que o acidente que tirou a vida do colega Kelton Marques completa dois meses.

O trânsito segue intenso no Retão de Manaíra, mas os gentes da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de João Pessoa que acompanham a manifestação, fizeram um desvio na Av. Monteiro da Franca. 

Também há um bloqueio na Rua Juvenal Mário com Rua Manoel Medeiros Guedes para amenizar o transtorno no trânsito devido ao protesto.

Relembre o caso

O acidente aconteceu em 11 de Setembro, quando Kelton voltava para casa após fazer uma enttrega. De acordo com a Polícia, um carro em alta velocidade ultrapassou o sinal vermelho e atingiu a moto em que o trabalhador estava. Ruan Macário, que conduzia o veículo não permaneceu no local para prestar socorro.

Conforme o delegado Luiz Eduardo, responsável pelo caso, foram encontradas latas de cerveja e substâncias entorpecentes no carro que causou a colisão.

Apesar de ter um mandado de prisão preventiva, o motorista segue foragido.

Com informações da SEMOB-JP

 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Protestos

MANIFESTAÇÃO CULTURAL: Artistas pedem impeachment de Bolsonaro em João Pessoa

Divulgação/Instagram

Diversos artistas e produtores culturais da Paraíba organizam neste domingo (7) o primeiro Festival Fora Bolsonaro. O evento ocorre na Praça da Paz, no bairro dos Bancários, a partir das 16h30.

Além de pedir a saída do presidente do cargo, a manifestação cultural visa defender a vacinação contra covid-19 para todos e o auxílio emergencial para as pessoas em situação de vulnerabilidade que foram impactadas com a pandemia.

A programação conta com a participação de Adeildo Vieira, Adilson Medeiros, Banda Oxalah 3, Coral Voz Ativa, Cristiano Oliveira, Escurinho, Gatunas, Glaucia Lima, Maracastelo, Nai Gomes e Xumbrego de Rabeca.

Click PB

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Protestos

VÍDEO: Rodovias da Paraíba não têm bloqueios de caminhoneiros

Uma liminar judicial frustrou o protesto de caminhoneiros que ocorreria na manhã desta segunda-feira (1), na Paraíba, ao proibir o bloqueio das estradas federais. Conforme a Polícia Rodoviária Federal (PRF) aos principais trechos das estradas estão sendo monitorados em todo o estado.

No início desta segunda (1/11)não são registrados pontos de aglomeração ou manifestação nas rodovias. Entidades representativas dos caminhoneiros organizam um protesto para hoje, com concentração na ‘Gauchinha’, em João Pessoa.

“A gente foi surpreendido às 4h da manhã com a PRF, com uma liminar da justiça federal fazendo essa proibição. Proibindo nosso direito de greve, previsto na constituição federal. A gente tem que respeitar essa decisão judicial. Estamos com nosso corpo jurídico tentando derrubar essa liminar”, explicou presidente do Sindicato dos Motoristas e Ajudantes de Entregas do Estado da Paraíba (SINDMAE/PB), Marcos Antônio.

Segundo ele, o intuito da manifestação é protestar contra o preço abusivo da Petrobras, além de acelerar a tabela mínima de frete que vem sendo negociada desde 2019, mas sem êxito.

Apesar do protesto ter sido frustrado, Marcos Antônio afirma que o trabalho continua com a conscientização do trabalhador. “Que ele tem que parar, porque o bolso não aguenta”, disse.

MaisPB

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Protestos

AGRESSÃO A JORNALISTAS: Repórteres sofrem ataques de seguranças em Roma

Divulgação

Ao fim da cúpula do G20, enquanto outros governantes davam entrevistas coletivas, o presidente Jair Bolsonaro saiu para encontrar apoiadores perto da embaixada brasileira, no centro de Roma. O presidente tratou de forma hostil os jornalistas. E os seguranças que estavam ao redor dele usaram violência contra quem tentou fazer perguntas.

Ao perguntar o motivo de o presidente não ter participado de alguns eventos do G20 com outros líderes, o correspondente da Globo, Leonardo Monteiro, recebeu um soco no estômago e foi empurrado com violência por um segurança.

O repórter Jamil Chade, do UOL, filmou a violência contra os colegas para tentar identificar o agressor, mas o segurança o empurrou, o agarrou pelo braço para torcê-lo, e levou o celular. Instantes depois, o segurança jogou o aparelho num canto da rua. A imagem congela apontando para o céu, com o celular no chão.

Após as agressões, o segurança foi embora e seguiu em direção ao presidente. Não é possível saber se Bolsonaro assistiu às agressões, nem identificar se os agressores eram policiais ou seguranças particulares.

Mais cedo, seguranças e policiais italianos já haviam agido com truculência contra a repórter Ana Estela de Sousa Pinto, do jornal “Folha de S.Paulo”. Um agente que não quis se identificar empurrou a jornalista e disse que ela deveria se afastar do local, que é público. Depois, ela foi empurrada outras três vezes.

E antes mesmo de Bolsonaro chegar à embaixada, uma assistente da Globo que esperava para gravar imagens do presidente foi intimidada e denunciada como “infiltrada” por apoiadores dele. Um jornalista da BBC a socorreu, e ela se afastou dos manifestantes.

Nós pedimos esclarecimentos da embaixada do Brasil em Roma, mas ainda não tivemos resposta.

G1

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *