Polícia

MERMÃO: Polícia prende 40kg de Maconha em apto no Bessa devido ao cheiro do baseado

Imagem: Divulgação

Uma ação da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) de João Pessoa, juntamente com a Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos e Cargas (DRFVC), resultou na apreensão de mais de 40 quilos de drogas em umimóvel no bairro do Bessa, em João Pessoa. O delegado Bruno Victor Germano deu detalhes sobre o caso.

“Uma investigação já vinha sendo desenvolvida juntamente com a Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos e Cargas. A gente conseguiu localizar a casa onde estaria armazenada toda essa droga e lá ficamos em diligências até abordar a proprietária quando ela estava chegando”, disse.

Durante a abordagem um homem foi surpreendido com substâncias entorpecentes eem seu poder, além de um revólver calibre 38 municiado. “Na abordagem, ele já estava portando esse revólver calibre 38, totalmente municiado e em seu poder foram encontrados vários entorpecentes, cocaína, pequenas proporções fracionadas de maconha”, completou o delegado.

Os agentes já sentiram um cheiro muito forte e característico do entorpecente ao se aproximarem da janela do quarto do suspeito.  “O odor da droga já exalava pela janela do apartamento, já que era um térreo. Ele confirmou que realmente tinha mais drogas dentro do imóvel. No quarto estava armazenado cerca de 40 kg de maconha, dinheiro, balança de precisão, várias anotações do tráfico e alguns outros comprimidos tarja preta”, finalizou.

Os suspeitos foram conduzidos para a Central de Polícia de João Pessoa, juntamente com o material apreendido.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Pai e filho obrigavam mulheres traficadas a tatuar sobrenome deles, diz PF

Imagem: Divulgação ONU

Mulheres levadas ao exterior para servir a um esquema de exploração sexual eram obrigadas a tatuar o sobrenome de pai e filho que foram indiciados pela suposta liderança no esquema, segundo informações da Polícia Federal no inquérito da chamada “Operação Sedução”, concluído hoje.

A investigação foi aberta depois que uma jovem de 18 anos, natural do Rio Grande do Sul e vítima do tráfico internacional de pessoas, buscou refúgio na Embaixada do Brasil em Minsk, capital da Bielorússia. Na mesma época, em setembro de 2020, a PF começou a operação.

No inquérito policial, há relatos de que as vítimas eram obrigadas a tatuar o sobrenome dos homens nas costas, para ajudar a promover a “marca” deles em sites pornográficos, além de impedir que as mulheres conseguissem deixá-los.

A Polícia Federal destaca, em nota publicada hoje, que essa prática é comum entre produtores internacionais deste tipo de conteúdo. A mulher que conseguiu se refugiar na embaixada afirmou que vinha sofrendo abusos psicológicos e sexuais do investigado, além de ser obrigada a participar de vídeos pornográficos, transmitidos ao vivo pela internet.

Após diligências e representação judicial sobre o caso, os agentes cumpriram um mandado de busca e apreensão em Porto Alegre, em que foram apreendidos equipamentos eletrônicos, notebooks, mídias, anabolizantes e petrechos para práticas e abusos sexuais.

O “principal investigado”, que não é identificado, foi preso em Minsk após sua inclusão na lista de procurados da Interpol. Ele foi extraditado em fevereiro de 2021 e desde então está preso preventivamente na capital gaúcha. Ao final dos trabalhos, pai e filho foram indiciados pelos crimes de tráfico de pessoas, cárcere privado, estupro, tortura, lesão corporal e redução a condição análoga à de escravo.

Blog do BG com UOL

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Paraíba

Polícia prende dupla que pode ter envolvimento com crimes no Mercado Central de João Pessoa

Imagem: Divulgação

A Polícia Militar prendeu dois jovens que podem ter envolvimento com os crimes registrados nos últimos dias, no Mercado Central de João Pessoa. A dupla foi interceptada em uma moto, na noite dessa segunda-feira (16), na ladeira que dá acesso à comunidade Saturnino de Brito, no Distrito Mecânico. Os presos têm 19 e 18 anos e estavam armados com um revólver.

Conforme o comandante do 1º Batalhão, tenente-coronel Lucas, a dupla foi interceptada minutos depois de um homicídio que aconteceu no Mercado Central, na noite dessa segunda-feira. “A prisão foi realizada pelas equipes do BEPMotos (Batalhão Especializado em Policiamento com Motocicletas) e os informes levantados pela inteligência apontam que eles podem ter sim ligação com os casos, o que será investigado por parte da polícia civil”, destacou.

Os presos foram apresentados na Central de Polícia, no Geisel.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Suspeito de tráfico é preso no estacionamento do Mercado Central de João Pessoa

Imagem: Divulgação

A Polícia Militar prendeu, na manhã desta terça-feira (17), um rapaz que estaria traficando drogas no estacionamento do Mercado Central, em João Pessoa. Com ele, foram apreendidas maconha, cocaína e dinheiro que teria sido obtido com a venda de drogas. O preso tem 18 anos e em sua ficha criminal já tem passagem pela polícia por tráfico.

A prisão é resultado do reforço implementado pelo comando do 1º Batalhão no Mercado Central, tanto na parte externa, como na parte interna. Entre os objetivos das ações, está o combate ao tráfico de drogas, que teria motivado os últimos crimes registrados no local.

Para garantir a segurança dos comerciantes e do público que escolhe o Mercado Central da Capital, a PM estará intensificando as rondas e no local terá o reforço na Unidade de Polícia Ostensiva (UPO).

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

“PARAIBADA”: Delegado acredita que Fontenelle pode ser indiciada por crime de racismo

Foto: Reprodução

Em entrevista a Band News FM Manaíra, o delegado Pedro Ivo, acredita que a atriz e youtuber Antônia Fontenelle deve ser indiciada no inquérito que investiga um suposto crime de racismo, após falas preconceituosas contra os nordestinos.

O procedimento foi aberto depois que ela, ao se posicionar sobre as agressões do DJ Ivis, contra a ex-mulher Pamella Holanda, chamou o músico de “paraíba”, e ao ser criticada por causa disso, disse ser uma “expressão” para quando alguém faz “paraibada”.

Na entrevista, o delegado explicou que, durante o depoimento, Fontenelle vai ser questionada sobre a utilização dos termos pejorativos.

Antônia Fontenelle pode responder por discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia ou religião. Se condenada, ela pode pegar de 1 a 4 anos de prisão.

Opinião dos leitores

  1. Por ser, da direita ou por ser Nodestina.???Kkkkkk delegado existe coisa maior na. PARAIBA PB. Basta anda. É ver que não 🙈 é política e sim,ações para corrigir crimes de verdade. Kkkk

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

“Paraibada” leva Antônia Fontenelle a depor no Rio de Janeiro

Foto: Reprodução

A youtuber Antônia Fontenelle foi intimada a prestar depoimento à Polícia Civil do Rio de Janeiro em um inquérito que apura o suposto crime de preconceito de raça ou de cor. Ela vai ser ouvida nesta sexta-feira (20).

O procedimento foi aberto pela Polícia Civil da Paraíba depois que ela, ao se posicionar sobre as agressões de Iverson de Souza Araújo, conhecido como DJ Ivis, contra a ex-mulher Pamella Holanda, chamou o músico de “paraíba”, e ao ser criticada por causa disso, disse ser uma “expressão” para quando alguém faz “paraibada”.

Opinião dos leitores

  1. Mas uma piada de mau gosto e dehumor fácil. Basta olhar que. SP tem 65% de pessoas com DNA hereditários do Nordeste. Basta pegar os avós de Alguns grandes empresários ou políticos que tem feito a história de SP. Sou do Nordeste e adoro a Paraiba. Esse contexto que ela falou foi uma semântica ao machista que existe a tempo em todo Nordeste, e na Paraiba que é terra de mulher macho sim senhor tem frase de cultura fácil na composição de letras de músicas que explica o sentido da paraibada. É quando o homem machista bate em mulher que tem fragilidade na sua formação feminina fisiica. Nem um ser vivo. Pentence a outra pessoa. Por isso é pura corvadia quem machuca outro ser, e principalmente se for mulher o ser que recebe os mau tratos. Aí a corvadia em dobro.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Polícia Federal prende em Goiás bandido foragido da Justiça da Paraíba

Foto: Reprodução

Na operação denominada ‘Menoridade’, pela Polícia Federal, deflagrada nesta terça-feira (17), foi preso em Goiânia, no estado de Goiás, José Ricardo de Souza Silva, conhecido por Seu Chico ou Nogueira.

De acordo com a PF, José Ricardo é um conhecido assaltante de bancos e estava foragido da Justiça paraibana desde 2020. Além disso, ele é suspeito de ter assumido o comando da organização criminosa liderada por “De Menor” após sua prisão.

Ainda segundo a Polícia Federal, desde a prisão de “De Menor”, José Ricardo assumiu sua posição nos negócios ilícitos do bando na região Centro-Oeste.

 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Polícia Federal cumpre mandados de prisão para desarticular organização criminosa, na Paraíba, Pernambuco e Goiás

Foto: Reprodução

A Polícia Federal da Paraíba cumpriu nesta terça-feira (17) 19 mandados de busca e apreensão, três mandados de prisão preventiva e 12 mandados de prisão temporária em Campina Grande, São Bento, Jaboatão dos Guararapes (PE), Caruaru (PE), Canhotinho (PE), Goiânia (GO) e no Presídio Federal em Catanduvas (PR), através da Operação Menoridade que tem como objetivo desarticular uma organização criminosa relacionada a um dos presos que fugiram do Presídio PB1 em 2019.

A operação se relaciona com a prisão de Antônio Arcênio de Andrade Neto, conhecido como “De Menor”, que ocorreu no dia 27 de junho deste ano, em São Paulo.

Antônio Neto estava foragido desde setembro de 2019, quando houve a fuga de 92 detentos do Presídio PB1, em João Pessoa. Ele é acusado de diversos crimes graves, incluindo roubo a carro forte na BR-230, na área do município de Cruz do Espírito Santo, no dia 6 de agosto de 2018, onde também participou e foi preso Romário Gomes Silveira, outro fugitivo do PB1.

Durante as investigações para a localização de Antônio Neto, os policiais verificaram que ele estava vivendo na região de Campinas (SP), utilizando nome falso, em uma casa em condomínio de luxo onde foi preso. Como decorrência dessas investigações os policiais identificaram diversos comparsas dele atuando na venda de drogas na região Nordeste, sendo o principal ponto a cidade de Campina Grande.

Além das medidas de busca e apreensão e prisões, os investigadores também deram cumprimento ao bloqueio judicial de diversas contas bancárias usadas pelos membros da quadrilha para movimentar os valores do tráfico.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

INSEGURANÇA: Três homicídios são registrados no Mercado Central de JP em dois dias

Foto: Reprodução

Mais um homicídio foi registrado no Mercado Central de João Pessoa. A vítima foi um homem, que foi morto a tiros na noite dessa segunda-feira (16).

De acordo com a polícia, um carro teria estacionado no estabelecimento e três ocupantes teriam descido. Eles foram até o homem e atiraram.

A vítima morreu no local.

Os outros dois homicídios aconteceram no último sábado (14). Uma mulher morreu após ser atingida por uma bala perdida quando estava fazendo feira. De acordo com a Polícia Civil, ela teria sido baleada por dois bandidos que teriam como alvo outro homem, conhecido como Léo, que frequentava diariamente a feira e também foi morto no local.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

DJ Ivis vira réu na Justiça por agressões contra ex-mulher Pamella Holanda

Foto: Reprodução

O Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) informou, nesta segunda-feira (16), que Iverson de Souza Araújo, o DJ Ivis, tornou-se réu pelas agressões cometidas contra a ex-mulher Pamella Holanda. O cantor foi indiciado pela Polícia Civil do Ceará no fim do mês de julho e a denúncia do Ministério Público do Ceará foi aceita pela Justiça. No último sábado (14), Ivis completou um mês detido em decorrência das agressões cometidas. Os crimes foram registrados em vídeo e denunciados pela ex-mulher, no início do último mês de julho.

Ele está preso em uma área de triagem no presídio Irmã Imelda Lima Pontes, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). Conforme a Secretaria da Administração Penitenciária do Ceará (SAP), ele está em uma situação especial de segurança para que seja garantida a integridade física, uma vez que o caso teve grande repercussão.

Em nota, o tribunal afirmou que “a denúncia, ofertada pelo Ministério Público [do Ceará], já foi recebida pela Justiça estadual, que determinou a citação do acusado”. O processo tramita em segredo de Justiça na Vara Única Criminal de Eusébio e, segundo o TJCE, “mais informações não podem ser repassadas por conta do sigilo do processo”.

Blog do BG com G1

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *