Brasil

LUTO: Jô Soares morre em São Paulo aos 84 anos

Foto: Reprodução

O apresentador, ator, escritor, diretor e humorista Jô Soares morreu às 2h30 desta sexta-feira (5), aos 84 anos. Considerado um dos maiores humoristas do Brasil, o apresentador do “Programa do Jô”, exibido na TV Globo de 2000 a 2016, estava internado desde 28 de julho no Hospital Sírio-Libanês, na região central de São Paulo, onde deu entrada para tratar de uma pneumonia.

A causa da morte não foi divulgada. O enterro e velório serão reservados à família e amigos, em data e local ainda não informados.

O anúncio da morte foi feito por Flávia Pedra, ex-mulher de Jô, e confirmada em nota pela assessoria de imprensa do Hospital Sírio-Libanês.

“Viva você, meu Bitiko, Bolota, Miudeza, Bichinho, Porcaria, Gorducho. Você é orgulho pra todo mundo que compartilhou de alguma forma a vida com você. Agradeço aos senhores Tempo e Espaço, por terem me dado a sorte de deixar nossas vidas se cruzarem. Obrigada pelas risadas de dar asma, por nossas casas do meu jeito, pelas viagens aos lugares mais chiques e mais mequetrefes, pela quantidade de filmes, que você achava uma sorte eu não lembrar pra ver de novo, e pela quantidade indecente de sorvete que a gente tomou assistindo”, escreveu Flávia em uma rede social.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Economia

BNDES vai liberar R$ 22 bilhões em empréstimo para MEIs, micro e pequenas empresas

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

O BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) reabrirá na segunda-feira (22) a nova fase do PEAC (Programa Emergencial de Acesso a Crédito) com garantia do FGI (fundo garantidor de investimentos). O programa, que vigorou durante a pandemia de Covid-19, passa a incluir nesta rodada os MEIs (microempreendedores individuais) e os microempresários, que poderão receber empréstimo na modalidade.

Segundo o banco, a perspectiva é viabilizar R$ 22 bilhões para o segmento em 16 meses. O novo programa terá vigência até dezembro de 2023 e deverá ser destinado a investimento ou capital de giro, de valor entre R$ 1.000 e R$ 10 milhões. O prazo de pagamento é de até 60 meses, com carência entre 6 e 12 meses. A cobertura estabelecida pelo programa é de 80% do valor do contrato.

Até o momento, 40 instituições financeiras já se habilitaram para operar com a linha. Para operarem o programa, os bancos deverão limitar a taxa de juros média de suas carteiras a 1,75% ao mês.

“A ideia de priorizar fundos garantidores para MEIs e MPMEs estimula o mercado financeiro brasileiro a operar com este segmento. Ao conceder garantias para quem fatura até R$ 300 milhões ao ano, o FGI PEAC aumenta o apetite dos bancos a conceder crédito com condições mais favoráveis aos clientes”, afirma a instituição em nota.

Condições

• Novo FGI PEAC terá vigência até dezembro de 2023
• Programa vai focar operações de R$ 1.000 a R$ 10 milhões
• Pela primeira vez, vai incluir MEI (microempreendedor individual) e microempresas
• Bancos deverão limitar a taxa de juros média de suas carteiras a 1,75% ao mês
• Perspectiva é viabilizar R$ 22 bilhões
• Prazo de pagamento é de até 60 meses
• Carência será entre 6 e 12 meses
• Cobertura é de 80% do valor do contrato

Pronampe

O governo federal também lançou nova rodada do Pronampe (Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte), em julho, com expectativa de crédito de até R$ 50 bilhões a micro e pequenos empreendedores. O programa também incluiu os microempreendedores individuais.

O prazo total da operação de crédito é de 48 meses, sendo 11 de carência e 37 parcelas de amortização, com taxa de juros Selic acrescida de 6% ao ano. O valor máximo da operação é de R$ 150 mil por empresa, limite que não considera o que foi contratado em anos anteriores.

O dinheiro pode ser usado na aquisição de equipamentos, na realização de reformas, ou para pagar despesas operacionais, como salário dos funcionários e contas, e comprar mercadorias. É proibido empregar os recursos na distribuição de lucros e dividendos entre os sócios do negócio.

Informações sobre o FGI PEAC estão disponíveis no site do BNDES

R7

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Política

ELEIÇÕES 2022: Filho do ministro da Saúde, Queiroguinha desiste de disputar vaga de deputado federal

Foto: Reprodução

O filho do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, o estudante de Medicina, Antônio Cristóvão Neto, mais conhecido como Queiroguinha, desistiu de disputar uma vaga de deputado federal pela Paraíba nas eleições desse ano.

A informação foi confirmada por dirigentes do PL. Partido que o filho do ministro é filiado.

Conforme antecipou o BLOG do BGPB, a campanha de Queiroguinha não havia ganhado às ruas, e em suas redes sociais e na do próprio pai nenhuma menção referente a candidatura.

Com informações do Blog do Ninja

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Política

TRE intima Pedro Cunha Lima e Coligação “Coragem para Mudar” a apresentar certidão criminal

Divulgação

O Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) intimou o deputado federal Pedro Cunha Lima, candidato ao Governo do Estado pelo PSDB, a apresentar a certidão criminal para fins eleitorais da Justiça Federal de 2º grau, do domicílio do candidato ou da candidata.

Segundo a Secretaria Judiciária da Informação da Corte Eleitoral, o documento apresentado pelo tucano apresentada “não é a da Justiça federal de 2º grau”. Além disso, o TRE constatou a falta de procuração nos advogados que vão atuar na candidatura de Pedro.

Pedro Cunha Lima e a Coligação “Coragem para Mudar”, formada por PDT, Federação PSDB Cidadania (PSDB/CIDADANIA), UNIÃO, PMB, PSC, PTB, PROS, têm até três dias para se manifestar.

MaisPB

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Paraíba

Filho da líder sindical Margarida Maria Alves tem a candidatura impugnada pelo MPE

Foto: Reprodução

O filho da agricultora e líder sindical Margarida Maria Alves, José de Arimateia Alves, mais conhecido como pastor Arimateia Alves teve a candidatura impugnada pelo MP eleitoral.

Segundo o órgão, Arimateia, filiado ao PRTB, não conseguiu comprovar o afastamento do cargo público.

Em 2019, o presidente Jair Bolsonaro, através da então Ministra Damares Alveso reparou e indenizou a líder sindical que foi assassinada com um tiro de espingarda disparado por um matador de aluguel em 1983.

Na época, Arimateia tinha 8 anos de idade e considerou que Deus o protegeu da morte.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Paraíba

Campanha de Queiroguinha à Câmara Federal não decola

Divulgação

Mesmo com o registro de candidatura no Tribunal Superior Eleitoral aguardando julgamento, a campanha do filho do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga ainda não ganhou as ruas, três dias após o início do período em que os candidatos podem cair em campo para pedirrem votos.

Basta um simples acesso às redes sociais de Queiroguinha e do próprio pai e o eleitor não encontra postagens referentes a candidatura.

Fontes informaram ao Blog do BG PB que isso pode sinalizar uma desistência do pleito.

Em contato como Blog, o pré-candidato ao governo do estado pelo PL, Nilvan Ferreira afirmou que Queiroguinha ficou de se posicionar oficialmente sobre a decisão e não o confirmou na disputa.

No entanto, no início do mês, durante vista a João Pessoa, Queiroga reforçou que os paraibanos iriam reconhecer o seu trabalho à frente da Saúde do país para votar no filho.

 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Paraíba

Ex-candidato a prefeito de Bayeux, Capitão Antônio e mais quatro militares tem candidaturas impugnadas

Foto: Reprodução

Seis militares tiveram as candisturas impugnadas pelo MPE por não ter comprovado o afastamento do cargo público, necessário para disputar as eleições deste ano.

Entre eles está o Capitão Antônio, que chegou a se candidatar a prefeito de Bayeux nas últimas eleições e obteve 10.366 votos, sendo derrotado pela atual prefeita, Luciene Gomes.

Além dele, outros cinco candidatos integram a lista de impugnados por não comprovar afastamento de cargo público:

Robson Marques Xavier (deputado estadual – Democracia Cristã) – militar – não comprovou afastamento de cargo público. 

Vicente de Paula Brito Neto (deputado estadual – PRTB) – militar – não comprovou afastamento de cargo público.

Jose Eduardo da Silva (deputado estadual – PRTB) – militar – não comprovou afastamento de cargo público

Blog do BG PB 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Paraíba

DEU SOPA: Recordista de votos, Toinho do Sopão não votou nas últimas eleições e tem candidatura barrada

Foto: Reprodução

Eleito em outubro de 2010 como deputado estadual mais votado da história da Paraíba, graças ao voto de protesto de mais de 57 mil paraibanos, o ex-deputado estadual Toinho do Sopão não deve repetir o feito este ano, após o Ministério Público Eleitoral impugnar a sua candidatura.

Segundo o MP, ele não votou nas eleições passadas e nem pagou a multa aplicada pelo TRE.

Deputado de um mandato só, a única passagem na ALPB foi marcada por incoerência no discurso, ausência de projetos e atuação pífia, que acabou lhe sucumbindo ao total descrédito perante à sociedade.

Tanto é que em 2014 obteve cerca de ínfimos 6 mil votos.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Política

BARRADO: Condenado por improbidade administrativa, ex-prefeito de São Bento está fora da disputa da ALPB

Foto: Reprodução

O ex-prefeito de São Bento e filiado ao Republicanos, Márcio Roberto, teve a candidatura impugnada pelo Ministério Público Eleitoral após ser condenado por improbidade administrativa.

Segundo a decisão, o arptido não deve transferir recursos públicos para bancar a candidatura de Márcio, assim como o caso de Ricardo Coutinho.

Márcio respondeu a um processo referente a compra de um chassi para ônibus, e realizou pagamentos a servidores, cujas nomeações tinham sido consideradas ilegais pelo Tribunal de Contas do Estado.

Na sentença, foram aplicadas as seguintes penalidades: suspensão dos direitos políticos por seis anos, perda da função pública que porventura exerça ao tempo do trânsito em julgado, proibição de receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de cinco anos e multa civil de R$ 10 mil.

Blog do BG PB 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Paraíba

MP Eleitoral pede impugnação de Ricardo Coutinho e mais dez candidatos na Paraíba

Foto: reprodução

O Ministério Público Eleitoral ajuizou, no Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB), mais 11 ações de impugnação de registros de candidaturas em face de pré-candidatos dos partidos Democracia Cristã (4), PRTB (4), Republicanos (2) e PT (1).

Da última sexta-feira (12) a segunda-feira (15), o MP Eleitoral havia ajuizado as primeiras 12 ações de impugnação, totalizando, até o momento, 23.

A procuradora regional Eleitoral (PRE) da Paraíba, Acácia Suassuna, reforça que no momento do registro, devem estar presentes tanto as condições de elegibilidade (nacionalidade brasileira, alistamento, pleno exercício dos direitos políticos, domicílio eleitoral na circunscrição, filiação partidária), como também o candidato não pode incorrer em nenhuma das causas de inelegibilidade dispostas na Lei Complementar 64/90.

Além do ex-governador Ricardo Coutinho, outros dez nomes estão incluídos na lista. Veja:

1) Ricardo Vieira Coutinho (senador – PT) – condenado por abuso de poder político com viés econômico / Processo nº 0600801-69.2022.6.15.0000;

2) Márcio Roberto da Silva (deputado estadual – Republicanos) – condenado por ato de improbidade administrativa / Processo nº 0600440-52.2022.6.15.0000;

3) Antonio Petronio de Souza (deputado estadual – Democracia Cristã) – não está quite com a Justiça Eleitoral, em razão de multa / Processo nº 0600671-79.2022.6.15.0000

4) Antônio de Souza Santos Filho (deputado estadual – Republicanos) – militar – não comprovou afastamento de cargo público / Processo nº 0600431-90.2022.6.15.0000;

5) José Maria Alves da Silva (deputado estadual – Democracia Cristã) – militar – não comprovou afastamento de cargo público / Processo nº 0600730-67.2022.6.15.0000;

6) Robson Marques Xavier (deputado estadual – Democracia Cristã) – militar – não comprovou afastamento de cargo público / Processo nº 0600690-85.2022.6.15.0000;

7) Vicente de Paula Brito Neto (deputado estadual – PRTB) – militar – não comprovou afastamento de cargo público / Processo nº 0600475-12.2022.6.15.0000;

8) Jose Eduardo da Silva (deputado estadual – PRTB) – militar – não comprovou afastamento de cargo público / Processo nº 0600479-49.2022.6.15.0000;

9) Renata Almeida Barreto Ferreira (deputada estadual – PRTB) – não comprovou afastamento de cargo público / Processo nº 0600478-64.2022.6.15.0000;

10) Jose de Arimateia Alves (deputado estadual – PRTB) – não comprovou afastamento de cargo público / Processo nº 0600474-27.2022.6.15.0000;

11) João da Penha do Nascimento (deputado estadual – Democracia Cristã) – não comprovou afastamento de cargo público / Processo nº 0600676-04.2022.6.15.0000.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Paraíba

RECORDE: Paraíba registra quase 9 mil pedidos para voto em trânsito

Foto: Reprodução

O Tribunal Regional Eleitoral contabilizou mais de 8.000 solicitações para voto em trânsito no estado. De acordo com dados da Justiça Eleitoral, no primeiro turno foram 6.903 pedidos em João Pessoa e 1.915 em Campina Grande, somando 8.818 transferências temporárias de seções. O número é recorde, segundo o chefe de cartório da 64ª Zona Eleitoral, Ederson de Araújo.

Já para o segundo turno, o município de João Pessoa contabilizou 6.485 pedidos e Campina Grande 1.877, totalizando 8.362 solicitações.

Nesta quinta-feira (18), nas últimas horas para encerrar o prazo, eleitores retardatários enfretaram filas em algumas zonas eleitorais da capital, no bairro de Tambiá.

Como funciona o voto em trânsito – A solicitação para a transferência temporária de domicílio eleitoral pode ser solicitada por eleitores de municípios com mais de 100.000 votantes. No caso da Paraíba, apenas quem tem domícilio eleitoral em João Pessoa ou Campina Grande poderia fazer este pedido à Justiça Eleitoral.

Segundo o Código Eleitoral, caso a pessoa esteja fora do município em que vota, mas no mesmo estado, poderá efetivar o voto para presidente da República, governador, senador, deputado federal, deputado estadual ou deputado distrital. Porém, caso esteja em outro estado, só participa da escolha para o cargo de presidente.

 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.