Política

ESTADÃO: Lula faz ‘defesa obscena de ditaduras e ditadores’

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Em editorial publicado na edição desta sexta-feira, 8, O Estado de S. Paulo critica Lula por seu apoio e defesa de ditadores e ditaduras ao longo de sua trajetória política. A fala mais recente do petista foi um ataque à oposição da Venezuela, impedida pelo ditador Nicolás Maduro de participar das eleições presidenciais marcadas justamente para 8 de julho, data de aniversário do ditador Hugo Chávez, morto em 2013.

Com aliados na Justiça, os adversários de Maduro foram considerados inelegíveis. María Corina Machado, a líder da oposição, que venceu as prévias em outubro, não poderá disputar a eleição. E Lula, nesse caso, “num misto de grosseria e misoginia, sugeriu à oposição da Venezuela ‘não ficar chorando’”.

“Para Lula, bastaria à oposição escolher outro candidato – como se María Corina não tivesse sido vítima de flagrante perseguição e como se qualquer outro candidato pudesse concorrer livremente num ambiente totalmente controlado por Maduro”, critica o Estadão.

Além desse recente episódio, o jornal lembra da constante posição de Lula a favor de ditadores e ditaduras, o que se revela como “um padrão” do petista. No caso da Venezuela, Lula disse que é um país “democrático” até demais, por realizar “mais eleições que o Brasil” e, para proteger Maduro, afirmou que o “conceito de democracia é relativo”.

“Para Lula, democracia não é a soberania popular, a garantia das liberdades de expressão e de imprensa, a intransigência com qualquer forma de arbítrio de tiranos. Em seu relativismo, os ditadores companheiros são “democratas” porque se julgam intérpretes das aspirações do ‘povo’”, afirma o Estadão.

O jornal cita um caso de 2010, quando Lula defendeu a “Justiça” cubana e criticou presos políticos que ali faziam greve de fome contra o regime dos irmãos Castro. “Lula é cruel com aqueles que ousam enfrentar os ditadores companheiros”, afirmou. “Na sua diplomacia da imoralidade, equiparou os valentes dissidentes cubanos aos presos comuns no Brasil.”

Por fim, o Estadão lembra que Lula defendeu o ditador Daniel Ortega inúmeras vezes, a despeito das escancaradas violações de direitos humanos cometidas na Nicarágua. Em março do ano passado, por exemplo, o Brasil se recusou a acompanhar os mais de 50 países que denunciaram a prática de crimes contra a humanidade pela tirania de Ortega.

Esses arroubos a favor de ditaduras e ditadores têm feito com que a diplomacia brasileira se afaste de sua tradicional postura sóbria e neutra, afirma o jornal. Com isso, Lula tem o objetivo de ser o líder do “Sul Global” e um “guia genial” contra os Estados Unidos e os imperialistas do mundo.

“Lula manda às favas o histórico da diplomacia brasileira de prudência, neutralidade e respeito à democracia, e arrasta consigo o Brasil e sua política externa. Combina a habitual fala sem filtros em temas espinhosos dos quais nada entende com a defesa obscena de ditaduras e ditadores. A Lula pouco importa o que autocratas fazem contra a democracia e os direitos humanos — basta que se insurjam contra os Estados Unidos”, afirma o Estadão.

Essa postura de Lula representa um claro alinhamento “ao que há de mais retrógrado e autoritário”. Sua política externa revela “a hostilidade ao Ocidente e o alinhamento automático a tudo o que é antagônico aos valores ocidentais”. Em razão disso, conclui o jornal, “não há mais o que esperar de Lula senão essa imoralidade sem limites”.

Revista Oeste

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Economia

Alta no preço da cerveja deixa ‘churrasquinho’ mais caro para o bolso do brasileiro

Copo Americano Pequeno 190ml Cerveja Cafe Bar Kit 12unidadesFoto: Reprodução

Fazer um churrasco com os amigos no fim de semana está custando caro para o bolso do brasileiro. O resultado do IPCA, a inflação oficial do país, mostrou que, apesar da queda dos preços das carnes e da linguiça, itens como cerveja, pão de alho e vinagrete aumentaram e se tornaram os vilões dessa que é uma comemoração tão comum da família brasileira.

A inflação acumula alta de 1,42% no ano e 3,93% nos últimos 12 meses. Em março, o índice desacelerou e ficou em 0,16%. Os dados foram divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) na última quinta-feira (10).

Considerando o acumulado dos últimos 12 meses, a tradicional cerveja gelada dos brasileiros ficou mais cara. Em média, o preço da bebida subiu 4,22% nesse período.

Quem prefere refrigerante sentiu mais ainda o peso da inflação. Em 12 meses, o produto registrou alta de 5,83%. Outro queridinho do churrasco, o pão de alho também encareceu nos últimos 12 meses. O pão francês subiu 3,14%, pouco menos do que a inflação média registrada. O alho está 19,03% mais caro.

Para preparar o vinagrete (ou molho à campanha), o churrasqueiro da turma vai desembolsar 47,44% a mais no azeite de oliva. A cebola (36,87%), o tomate (22,24%) e o pimentão (12,52%) também inflacionaram nos últimos 12 meses.

R7

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mundo

Exército do Irã diz que operação foi “concluída” e alerta EUA e Israel contra retaliação

ImagemFoto: REUTERS/Amir Cohen

Sardar Bagheri, chefe do Estado-Maior das Forças Armadas do Irã, disse que o país enviou uma mensagem aos Estados Unidos através da embaixada suíça alertando Washington que se cooperar com Israel em suas possíveis próximas ações, as bases americanas “não terão qualquer segurança” e o Irã irá “lidar” com elas.

Bagheri disse que da perspectiva do Irã, a operação militar contra Israel “foi concluída”.

No entanto, ele enfatizou que as forças armadas iranianas permanecem em alerta máximo e estão preparadas para “agir se necessário”, de acordo com uma entrevista à TV estatal IRINN neste domingo (14).

“Se o regime sionista responder, a nossa próxima operação será muito maior”, disse Bagheri. O regime sionista é uma referência iraniana a Israel.

“As ações de Israel no consulado foram condenadas, portanto uma resposta deveria ter sido dada”, acrescentou Bagheri.

CNN Brasil

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Economia

Possível guerra entre Irã e Israel deve fazer petróleo subir

ImagemFoto: Reprodução/Pixabay

A possível guerra entre Irã e Israel é vista com preocupação para a economia global. O temor é que o conflito cause uma disparada nos preços do petróleo. O barril do tipo brent já operava em alta na última semana diante do crescimento da tensão. Desde março, a cotação acumula 8% de alta. A tendência é de uma pressão ainda maior nos preços.

Neste sábado (13.abr.2024), o Irã lançou um ataque com drones e mísseis contra Israel. A tensão entre os 2 países vem crescendo desde o início da guerra do país judeu contra o Hamas. O grupo extremista palestino tem relação duradoura com o Irã, potência militar e econômica que já forneceu apoio político, financeiro e armamentos à organização.

Nas últimas semanas essa tensão cresceu. O serviço de inteligência dos Estados Unidos alertou na sexta-feira (12.abr) para a possibilidade de ataque do Irã a Israel. O mercado de petróleo estremeceu com temor de uma guerra generalizada e o barril chegou a bater US$ 93. Ao final do dia, fechou em US$ 90,21.

O possível conflito chega em um momento de alta do petróleo, tanto pelo temor de aumento dos conflitos como pela manutenção de cortes na produção feitas pela Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo). Em 2024, o barril do tipo brent –referência global– valorizou 20%.

alt

Poder360

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Brasil

Sem defender Irã ou Israel, Brasil cita ‘grave preocupação’ após ataque

Irã lança drones em direção a Israel após ameaças - 13/04/2024 - Mundo -  FolhaO Ministério das Relações Exteriores do Brasil disse acompanhar com “grave preocupação” os desdobramentos do ataque com drones e mísseis do Irã contra Israel. A ofensiva, confirmada pelos dois países, é uma retaliação ao bombardeio israelense contra o consulado iraniano na Síria, no início do mês.

O que diz o Itamaraty

Sem defender Irã ou Israel, Brasil citou ‘potencial destrutivo’ dos ataques. Em nota divulgada neste sábado (13), o Itamaraty lembrou já ter sinalizado a possibilidade de as hostilidades na região se espalharem para países vizinhos, como Cisjordânia, Líbano, Síria, Iêmen “e, agora, o Irã”.

Ministério das Relações Exteriores também fez apelo aos envolvidos. A pasta pediu a Irã e Israel que “exerçam máxima contenção”, isto é, evitem causar mais danos a civis, e convocou toda a comunidade internacional a “mobilizar esforços no sentido de evitar uma escalada” do conflito.

Governo também desaconselhou viagens não essenciais à região. Além disso, pediu aos brasileiros que já estão no Irã, em Israel ou nos países vizinhos que “sigam as orientações divulgadas nos sítios eletrônicos e mídias sociais das embaixadas brasileiras”.

UOL

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mundo

Biden chama ataque do Irã de ‘descarado’ e diz que vai reunir G7 para coordenar resposta

ImagemFoto: Adam Schultz/AP

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, classificou o ataque do Irã contra Israel, no sábado (13), como “descarado” e afirmou que vai reunir os líderes do G7 para coordenar uma resposta “diplomática e unida”.

Em comunicado, Biden afirmou que orientou a transferência de aeronaves e embarcações de defesa contra mísseis balísticos para apoiar Israel antes mesmo do ataque.

“Graças a esses destacamentos e à extraordinária habilidade dos nossos militares, ajudamos Israel a derrubar quase todos os drones e mísseis que estavam a caminho”, afirmou.

Biden disse ainda que irá convocar os líderes do G7 durante este domingo (14) e que manterá o contato com líderes israelenses.

g1

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mundo

Israel vê ataque do Irã como ‘escalada grave e perigosa’ e pede reunião na ONU

ImagemFoto: REUTERS/Amir Cohen

O embaixador israelense nas Nações Unidas, Gilad Erdan, condenou o ataque de drones e mísseis do Irã a Israel neste sábado (13) e convocou uma reunião de emergência do Conselho de Segurança da ONU.

Em documento enviado à ONU, Erdan também chamou o ataque iraniano de uma “severa e perigosa” escalada nas tensões da região. A agressão iraniana deste sábado é uma resposta ao bombardeio de Israel à embaixada do país na Síria –entenda a cronologia do caso.

“O ataque iraniano é uma séria ameaça à paz e segurança globais, e espero que o Conselho utilize todos os meios para tomar medidas concretas contra o Irã. (…) Chegou o momento do Conselho de Segurança tomar ações concretas contra a ameaça iraniana”, disse Erdan.

O Conselho de Segurança da ONU anunciou que vai se reunir em caráter emergencial neste domingo (14) às 17h (horário de Brasília).

g1

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Paraíba

Padre Egídio é internado e passa por cirurgia em João Pessoa

O padre Egídio de Carvalho foi internado no final da tarde deste sábado (13) em João Pessoa. Ele estava na Penitência Especial do Valentina Figueiredo quando sentiu dores e foi levado para Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

Em seguida, o religioso foi transferido para o Hospital da Unimed, também na Capital. A defesa de Egídio informou que o sacerdote foi submetido a exames e em seguida a uma cirurgia de apendicite. Ainda não há detalhes sobre o resultado do procedimento. Egídio segue internado sob custódia.

O religioso foi preso durante a Operação Indignus que investigou desvios de  R$ 140 milhões enquanto diretor do Hospital Padre Zé. Padre Egídio chegou a obter mais de 29 imóveis, alguns de alto padrão com piscinas, adegas e propriedades rurais, além de veículos e também investiu na criação de cachorros de raça de luxo.

BG com Wallison Bezerra

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Inusitado

62% dos jovens teriam um relacionamento aberto

Foto: Getty Images

Por mais que os relacionamentos tradicionais entre duas pessoas ainda sejam os mais comuns, a geração Z tem buscado cada vez mais outros modelos. É o que mostra um levantamento do Ashley Madison, um site de relacionamentos extraconjugais.

Segundo a pesquisa, feita em parceria com o YouGov com base em jovens brasileiros de 18 a 29 anos, essa faixa etária é muito mais progressista e confortável com o conceito de não monogamia do que as gerações anteriores. A maioria dos pesquisados (62%) disseram estar dispostos a tentar relacionamentos abertos.

Esse número é maior do que os de todos os outros países contemplados no levantamento, entre eles Reino Unido, Estados Unidos, México, Espanha e Canadá.

Geração Z e a não monogamia

De acordo com a pesquisa, 59% dos membros da Geração Z desejam relacionamentos abertos ou poliamorosos. Entre os benefícios mais citados dessas modalidades estão “experiências de vida sexual e/ou romântica mais plenas” (65%) e “mente aberta/aceitação em relação a diferentes formas de amor” (54%).

Metrópoles

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Brasil

Regulação da IA precisa proteger direitos fundamentais, diz Barroso

Luís Roberto Barroso (Foto: Roberto Jayme/TSE)

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luís Roberto Barroso, defendeu, nesta sexta-feira (12), a regulamentação da Inteligência Artificial (IA) baseada na proteção de direitos fundamentais. A declaração foi durante a Aula Magna da Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro (Emerj).

Barroso disse que a regulação da Inteligência Artificial precisa estar voltada para direitos constitucionais como privacidade, liberdade cognitiva e liberdade de expressão. “Precisa proteger a democracia, combatendo a desinformação, o discurso do ódio e o esforço a subalternizar os grupos mais vulneráveis, e os ataques à democracia, tornando as informações minimamente transparentes e inteligíveis às pessoas”, destacou.

O presidente do STF disse que a Inteligência Artificial vai trazer benefícios para a humanidade.“A Inteligência Artificial surge com a promessa de muitos benefícios para tornar nossa vida melhor. Terá capacidade de tomar decisões com mais eficiência que os seres humanos, pois tem a capacidade de armazenar mais dados que o cérebro humano. Também vai permitir a automação de muitas atividades, incluindo as atividades de risco. E ainda vai revolucionar a medicina, na descoberta de cura para doenças; o Direito, na celeridade da prestação jurisdicional, a educação, enfim, todas as áreas”.

Apesar disso, o ministro apontou que um dos riscos nessa questão é em relação ao mercado de trabalho. “Muitos empregos vão desaparecer. Embora outros venham a surgir, não acontecerão na mesma velocidade. Há, também, um medo imenso do uso bélico da Inteligência Artificial. Existem armas letais autônomas que são capazes de tomar decisões próprias de ataque, o que geram problemas éticos imensos. Outro perigo que estamos enfrentando é a massificação da desinformação”, avaliou.

O ministro Luís Roberto Barroso falou também da importância da preservação dos valores éticos que servem de base para os princípios da humanidade. “Apesar de todas as modernidades que já vimos e que ainda vamos ver, ainda são os antigos valores éticos que devem pautar a vida na terra: o bem, a justiça e a dignidade humana”.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Brasil

Policiais federais reclamam de falta de gasolina para operações

Foto: Polícia Federal / Divulgação

Agentes da Polícia Federal listaram problemas que enfrentam durante operações nos estados e informaram à direção da corporação que a falta de combustíveis para as viaturas é um entrave para cumprimento de mandados judiciais, principalmente em cidades distantes.

Segundo os policiais federais, em algumas missões, os agentes acabam tendo que gastar dinheiro do próprio bolso.

No que diz respeito às diárias, por exemplo, podemos citar o atraso no pagamento de tal indenização aos policiais federais que atuam na área de segurança de dignitários, cujos relatos informam haver atrasos de mais de 30 dias para o recebimento das diárias, bem como há alguns casos em que ainda não ocorreu o pagamento”, diz o documento da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef).

Procurada, a Polícia Federal não se manifestou sobre a falta de combustíveis para operações.

Contingenciamento

Nesta sexta-feira (12), a direção da Polícia Federal enviou ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Lewandowski, um relatório no qual afirma que investigações, operações, contratos de manutenção de terceirizados e a emissão de passaportes podem ser prejudicados por falta de verba.

O documento foi elaborado após o Ministério do Planejamento anunciar um contingenciamento de verba para ministérios. A decisão travou cerca de R$ 133 milhões da PF.

A instituição alega ser preciso não só a liberação deste valor. Segundo a força policial, é preciso o desbloqueio dos R$ 133 milhões e mais uma suplementação de R$ 527 milhões até dezembro.

A Polícia Federal afirma que, se o valor não for revisto, a emissão de passaporte ficará afetada a partir de setembro. Outros setores, no entanto, podem parar já no mês que vem.

Delegados ouvidos pela CNN afirmam que, após o anúncio do contingenciamento, algumas delegacias da PF nos estados já avisaram que podem rescindir contratos com terceirizados e diminuir atendimento nos aeroportos –tanto na parte de passaporte, quanto de migração.

Em março, os ministérios da Fazenda e do Planejamento anunciaram um bloqueio do Orçamento da União na ordem de R$ 2,9 bilhões. O número consta no primeiro relatório bimestral de avaliação de despesas e receitas do ano.

O bloqueio tem o objetivo de cumprir o limite de despesas previstas na nova regra fiscal e será feito nos gastos discricionários, ou seja, os não obrigatórios, que são aqueles livres para que os ministérios possam gastar e envolvem também investimentos.

Os ministérios das Cidades e dos Transportes foram os dois mais afetados. O da Justiça aparece em décimo lugar.

Sobre o contingenciamento na Polícia Federal, o Ministério da Justiça e Segurança Pública informou em nota que reconhece que remanejamentos e cortes orçamentários ocorrem para enquadramento no Regime Fiscal Sustentável, em nome da sustentabilidade fiscal do país.

A pasta afirmou que o secretário-executivo da pasta, Manoel Carlos de Almeida Neto, já está em tratativas com a Junta de Execução Orçamentária para que seja viabilizada a recomposição de parte do orçamento previsto, “para minimizar os impactos na execução das ações previstas para 2024”.

CNN Brasil

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.