Saúde

COVID-19: Metade dos pacientes têm sequelas que podem passar de um ano

Divulgação

Metade das pessoas diagnosticadas com Covid-19 apresentam sequelas que podem perdurar por mais de um ano, revela estudo da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Pesquisadores da instituição identificaram 23 sintomas após o término da infecção aguda. Cansaço extremo, insônia e dificuldade em realizar atividades rotineiras estão entre as queixas relatadas pacientes.

Os resultados da pesquisa foram publicados na revista Transactions of The Royal Society of Tropical Medicine and Hygiene. O estudo acompanhou durante 14 meses, 646 pacientes que tiveram a infecção em 2020 e 2021 e verificou que 324 deles (50,2%) tiveram sintomas pós-infecção, caracterizando o que a Organização Mundial de Saúde (OMS) classifica de covid longa.

A fadiga, que é caracterizada por cansaço extremo e dificuldade para realizar atividades rotineiras, foi relatada por 115 pessoas, ou seja, 35,6% dos pacientes acompanhados. Outras sequelas relatadas foram tosse persistente (34%), dificuldade para respirar (26,5%), perda do olfato ou paladar (20,1%), dores de cabeça frequentes (17,3%) e trombose (6,2%). Foram constatados ainda transtornos como insônia, relatada por 8% dos pacientes acompanhados, ansiedade (7,1%) e tontura (5,6%).

De acordo com a pesquisadora Rafaella Fortini, que coordena o estudo, todos os sintomas relatados começaram após a infecção aguda. Muitos dos sintomas persistiram durante os 14 meses, com algumas exceções, como a trombose, da qual os pacientes se recuperaram em um período de cinco meses, por terem sido devidamente tratados por meio intervenções médicas adequadas.

A pesquisa constatou que a presença de sete comorbidades, como hipertensão arterial crônica, diabetes, cardiopatias, câncer, doença pulmonar obstrutiva crônica, doença renal crônica e tabagismo ou alcoolismo, levou à infecção aguda mais grave e aumentou a chance de ocorrência de sequelas.

As sequelas foram constatadas em pacientes que tiveram desde a forma mais leve ou assintomática até a mais grave de covid-19. Na forma grave, de um total de 260 pacientes, 86, ou seja, 33,1%, tiveram sintomas duradouros. Entre os 57 diagnosticados com a forma moderada da doença, 43, isto é, 75,4%, manifestaram sequelas e, dos 329 pacientes com a forma leve, 198 (59,3%) apresentaram sintomas meses após o término da infecção aguda.

Rafaella Fortini ressalta que é importante buscar os serviços de saúde para o tratamento da covid longa, até mesmo no caso de sequelas mais leves, que também podem interferir na qualidade de vida.

A pesquisa acompanhou pacientes atendidos no pronto-socorro do Hospital da Baleia e Hospital Metropolitano Dr. Célio de Castro, ambos referência para covid-19 em Belo Horizonte. Os pacientes procuraram atendimento entre abril de 2020 e março de 2021.

Todos foram testados e tiveram diagnóstico positivo para a doença. Dos 646 pacientes acompanhados, apenas cinco haviam sido vacinados e, destes, três tiveram a covid longa. A idade dos participantes variou entre 18 e 91 anos; sendo que 53,9% eram do sexo feminino.

O monitoramento dos sintomas e sequelas remanescentes foi feito por meio de entrevistas realizadas uma vez por mês, presencialmente, ou por meio de uma plataforma virtual, no decorrer de 14 meses após diagnóstico confirmatório, no período compreendido entre março de 2020 a novembro de 2021.

Agência Brasil

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Brasil

DEU RUIM: Funcionária apresenta atestado, posta foto em evento e acaba demitida

Divulgação

Uma ex-funcionária de empresa de telemarketing foi demitida por justa causa após apresentar atestado médico por depressão e ser vista em evento no período em que estava afastada. O caso foi divulgado nesta quarta-feira (11).

Em depoimento à Justiça, a mulher contou que recebeu o comunicado sobre a demissão por justa causa sem a especificação dos motivos para a decisão. A trabalhadora argumentou que estava no período de licença e tinha estabilidade provisória por ser líder sindical.

A empresa, entretanto, alegou que a empregada havia apresentado “incontinência de conduta”, que é um desvio de decoro ligado a atos obscenos e sexuais, e “mau procedimento”. Não foram divulgados os pontos que justificaram essas colocações.

Para agravar a situação, a ex-funcionária publicou, nas redes sociais, filmagens nas quais ela aparece em eventos em São Paulo durante o período em que deveria estar de licença. Ela trabalhava em Minas Gerais. A juíza Maria Cristina Diniz Caixeta afirmou, na relatoria do processo, que “as fotos não revelam o estado abatido da trabalhadora”.

Na decisão, o Tribunal Regional do Trabalho de Minas Gerais (TRT-MG) protocola que houve quebra de confiança entre as partes e isso seria “suficientemente grave” para embasar o rompimento do contrato de trabalho.

Além da reversão da justa causa, a ex-empregada pedia a reintegração e indenização pela empresa sobre o período de estabilidade provisória. O TRT-MG não acatou. A decisão, proferida em segunda instância, também determinou o arquivamento definitivo do processo.

Metrópoles

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Política

“Não haverá teto de gastos no nosso governo”, diz Lula

Divulgação

Lula, pré-candidato do PT nas eleições presidenciais de outubro, afirmou nesta quarta-feira (11) que, em seu governo, “não haverá teto de gastos”. A fala ocorreu em Juiz de Fora em uma palestra para reitores de universidades.

“Como nós vamos recriar essa melhora de vida para as pessoas que todos nós prometemos? Eu posso contar para vocês uma coisa: não haverá teto de gastos no nosso governo”, disse o petista.

Segundo ele, derrubar o teto não tem a ver com “gastar para endividar o futuro da nação”, mas para investir em produção de “ativos rentáveis, e a educação é um ativo rentável”.

O teto de gastos foi criado no governo de Michel Temer (MDB), após o impeachment de Dilma Rousseff. Por meio da regra, o país não pode aumentar gastos e investimentos públicos da União pelo período de 20 anos – válido a partir de 2017.

Com o teto de gastos, o valor do orçamento só pode variar de um ano para o outro corrigido pela inflação do período. A medida faz com que as despesas do governo não tenham crescimento real.

“Quem vai derrubar o gasto com relação ao PIB é o crescimento econômico, não é o corte orçamentário. Faça a economia crescer que você vai derrubar a diferença”, afirmou Lula.

Em sua fala, o ex-presidente citou números de 2003, quando ele assumiu a Presidência no primeiro mandato e que tudo era visto como “gasto”. E brincou, ao dizer que “queria que o Corinthians comprasse o Messi quando ele estava bom de bola. E o cara dizia: ‘não tenho dinheiro'”

“Pois bem, tudo falta dinheiro. Então é preciso que você utilize a criatividade, é preciso que você utilize as razões que te obrigue a gastar ou não o dinheiro, a fazer ou não o investimento”, disse o petista. Para Lula, a palavra “gasto” não deve ser empregada para educação pelo retorno potencial do valor investido.

G1

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esporte

6 DE JUNHO: Comissão publica novo edital das eleições da FPF com nova data para o pleito

Divulgação

Atendendo a uma decisão judicial, a Comissão Eleitoral responsável por organizar as eleições da Federação Paraibana de Futebol (FPF) divulgou um novo edital do pleito e um novo cronograma. Agora, as eleições acontecem no dia 6 de junho. O edital foi lançado nesta quinta-feira (5) e é assinado pelo presidente da comissão, Vantuil Gonçalves Júnior.

Anteriormente, a eleição estava marcada para o dia 23 de maio, mas a data e o edital, publicado pela Federação Paraibana de Futebol (FPF), foi questionado por dois clubes e por Arlan Rodrigues, ex-presidente do Atlético de Cajazeiras, que quer ser candidato de oposição a Michelle Ramalho, a atual presidente.

Ele, ao lado dos dois clubes, entrou com uma ação na Justiça, e o juiz Onaldo Rocha de Queiroga, da 5ª Vara Cível de João Pessoa, determinou que o edital havia sido publicado de maneira irregular, e que um novo deveria ser lançado pela Comissão Eleitoral, o que aconteceu nesta quinta-feira (6).

Agora, um novo prazo para inscrições de chapa começa a correr. Os registros devem ser feitos até 10 dias antes do pleito, marcado para o dia 5 de junho. A tendência é que não haja disputa de chapa, visto que Michelle Ramalho conseguiu o apoio oficial, pelo menos até aqui, de 50 clubes amadores, clubes profissionais e ligas de futebol.

Com esse número de apoio, ela veta qualquer chance de um oponente conseguir inscrever a sua chapa, diante das regras estatutárias. Quem for eleito ou eleita comandará a FPF-PB de 2022 a 2026. A eleição está marcada para as 10h. Até o momento, 56 agremiações estão aptas a votar, segundo a FPF.

Confira o edital

EDITAL FPF

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Política

DIA D: Após “desfilar” com Aguinaldo em restaurante de Brasília, chegou a vez de João assumir seu senador

Divulgação

É pela Paraíba que a disputa eleitoral acontece, mas é em Brasília que o anúncio do enlace entre o governador João Azevedo (PSB) e o deputado federal Aguinaldo Ribeiro (PP) deverá ocorrer. Isso porque, contando com o apoio do prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena, e afastado o fantasma “Daniella Ribeiro” do calcanhar, o chefe do executivo paraibano se vê livre, leve e solto para anunciar a majoritária e correr para o abraço.

A aliança João/Aguinaldo dará mais robustez e confiança aos dois que sentiram a pressão da disputa contra Efraim/Cunha Lima, que uniu duas forças tradicionais em uma mesma chapa.

Durante um jantar cheio de sorrisos e fotos na noite desta quarta-feira (27) em Brasília, uma pergunta ecoou e se mantém ressonante na Paraíba: O que falta para selar a união?

Com essa indecisão, até o presidente da Assembleia Legislativa, Adriano Galdino se apresentou. João, no entanto, ignorou e não largou Aguinaldo um minuto. Só falta assumir pro mundo uma decisão que todo mundo já sabe, ou pelo menos é o que resta para o governador.

A própria direção nacional do PP já concedeu a mão de Aguinaldo para esse casamento, restando apenas a cerimônia oficial de troca de alianças.

Enquanto o burburinho aumenta entre os espectadores, o tempo está passando e o receio é de desgaste nessa relação, algo como o que aconteceu entre João e Efraim. Será que João estaria preparado para enfrentar mais um abandono na porta do “altar”?

Blog do BGPB

Opinião dos leitores

  1. O apoio deputado Adriano Galdino ao governador João Azevedo deve ser levado em consideração assim como a importância recebida do deputado federal Aguinaldo Ribeiro. No meu ponto de vista não é hora do governador está perdendo apoio de sua base de apoio – a dinâmica da política em muita situação deve se aceita em pro de um ganho maior e não deixar os colaboradores que mantiveram a fidelidade mesmo em momentos desfavorável e mantiveram o apoio ao governador

  2. Ainda acredito em o apoio de Efraim , acredito João está guardando a de Vice Governador para ele .

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Política

FORMALIZADO: Rede Sustentabilidade anuncia apoio a Lula nas eleições deste ano

Divulgação

O partido Rede Sustentabilidade anunciou nesta quinta-feira (28) apoio formal à candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à Presidência.

Durante o evento, lideranças do partido disseram que o anúncio representa a “maioria” da sigla. Ffiliados poderão apoiar outros candidatos.

O anúncio foi feito em um ato em Brasília do qual participaram representantes da Rede, entre eles o porta-voz do partido,

Wesley Diógenes, e o senador Randolfe Rodrigues (AP), e também do PT, entre os quais Lula, a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, e os ex-ministros Luiz Dulci e Aloizio Mercadante.

No ato, os integrantes da Rede entregaram um documento com propostas para o programa de governo de Lula.

G1

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Paraíba

“TIVEMOS SANGUE DERRAMADO”: Vereador Júnior Leandro é alvo de agressões de policiais no Almeidão

Divulgação

O vereador da Câmara de João Pessoa, Júnior Leandro, denunciou nesta quinta-feira (28), as marcas de um espancamento sofrido enquanto torcia, na noite nesta quarta-feira (27), no Estádio Almeidão em João Pessoa.

Segundo ele, os golpes de cassetete foram dados por uma equipe da Polícia Militar. Todos os policiais foram filmados e estavam sem identificação e com os rostos escondidos.

“A torcida empolga o seu time de coração. A Polícia Militar tem tratamento diferenciado para o local onde os torcedores estão. Chegou um grupo de policiais pedindo pra gente sair de onde estávamos e, do nada, fomos atacado. Policiais que escondiam os rostos com máscara. Fui espancado, tenho as marcas, uma coisa lamentável. Espanta os jovens e as mulheres. É triste”, disse.

Click PB

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Política

Avião que levava Eduardo Bolsonaro e outros deputados arremete após risco em pouso

Foto: Sérgio Lima/PODER 360

O avião da Gol que levada deputados federais, prefeitos e vereadores precisou arremeter, nesta quinta-feira (28), quando se preparava para pousar no Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre (RS). Um dos parlamentares que estava na aeronave é Eduardo Bolsonaro (PL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro (PL).

A informação foi divulgada nas redes sociais pelo deputado Paulo Pimenta (PT-RS), que também estava na aeronave.

Segundo o parlamentar, o voo 1923 partiu de Brasília e deveria ter pousado às 11h45 na capital gaúcha. No entanto, após enfrentar forte turbulência, com ventos fortes e grande área de instabilidade, o piloto precisou arremeter e levar o avião para Florianópolis (SC).

Ainda em seu perfil no Twitter, o deputado tratou de tranquilizar os seguidores: “Tudo tranquilo. Só aguardando informações para seguir para Porto Alegre!”. Após o susto, a aeronave partiu, às 13h23, rumo à capital gaúcha.

98 FM

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Política

“INDULTO PARCIAL”: Sérgio Moro vê pena excessiva a Daniel Silveira

Divulgação

O ex-juiz e ex-ministro da Justiça Sergio Moro afirmou nesta segunda-feira (25) que a punição imposta pelo Supremo Tribunal Federal (STF) ao deputado Daniel Silveira (PTB-RJ) foi “excessiva” e que, na opinião dele, o presidente Jair Bolsonaro poderia ter concedido ao parlamentar um “indulto parcial”.

No último dia 20, Daniel Silveira foi condenado à perda do mandato, dos direitos políticos e a 8 anos e 9 meses de prisão. O parlamentar foi julgado por estímulo a atos antidemocráticos e ataques a ministros do Supremo e a instituições como o próprio STF.

Um dia depois, Bolsonaro anunciou o perdão da pena para o aliado, e o decreto foi publicado no “Diário Oficial da União”.

“O deputado se excedeu nas palavras. Ele proferiu ameaças e incitação à violência, isso não está protegido pela liberdade de expressão. E ali teve o processo. A pena, a meu ver, foi excessiva, com todo o respeito ao Supremo Tribunal Federal”, declarou Moro nesta segunda ao participar de entrevista ao portal UOL e ao jornal “Folha de S. Paulo”.

“Isso gerou uma vulnerabilidade, e o indulto vem nessa sucessão de erros. Tem vários erros sendo cometidos ali e que não fazem bem para a democracia e para as instituições”, acrescentou o ex-ministro.

Procurado, o STF informou que não comentará o assunto.

Questionado se o decreto do presidente representa “ameaça à democracia”, Moro respondeu: “Poderia, talvez, ter dado um indulto parcial para a diminuição da pena do deputado, em vez de uma anistia total. Uma anistia total me parece desproporcional aos ataques que ele fez ao Supremo Tribunal Federal.”

Ainda na entrevista, Sergio Moro ressalvou ser contrário a ataques às instituições e disse que há limites à liberdade de expressão.

G1

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Brasil

TRAGÉDIA: Médico morre em avião durante viagem para lua de mel nas Maldivas

Divulgação

O médico oncologista Glauto Tuquarre, 49 anos, morreu na madrugada desta segunda-feira (25), enquanto viajava de avião comercial para passar sua lua de mel nas Ilhas Maldivas.

Familiares suspeitam que o oncologista pode ter sofrido um infarto durante o voo.

Glauto e Lícia Dutra se casaram no sábado (23), em Teresina (PI).

Ele começou a passar mal no avião e chegou a receber assistência de médicos que estavam a bordo, mas não resistiu.

Após o incidente, o avião pousou em Doha, capital do Catar, por volta das 10h20, horário de Brasília. A conexão já estava prevista. A esposa de Glauto e o corpo foram desembarcados no local.

Parentes e amigos do piauiense se mobilizam para ajudar na transferência do corpo de Doha para o Brasil. Ainda não sabe a hora que esse procedimento deverá ocorrer.

Glauto Tuquarre era formado pela Universidade Federal do Piauí (UFPI), tinha mestrado em câncer de intestino e era doutorando em recidiva do câncer de mama. Como médico, atuou em Roraima e no Maranhão, onde também foi professor da universidade estadual. Em Teresina, ele era sócio de uma clínica e também professor em faculdades de medicina da cidade.

Metrópoles

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.