Paraíba

Ministério Público recomenda que idosos com deficiência ou hospitalizados possam fazer prova de vida em casa, em João Pessoa

Foto: Agência Brasil

O Ministério Público da Paraíba expediu recomendação com medidas relacionadas à prova de vida do INSS de idosos e pessoas com deficiência, aposentados ou pensionistas, acometidos de enfermidades de natureza grave, com dificuldade de locomoção, acamados, hospitalizados ou institucionalizados. A recomendação foi expedida pela 46ª promotora de Justiça da Capital, Sônia Maria de Paula Maia.

Foi recomendado às agências bancárias, postos e lotéricas conveniadas ao INSS, de João Pessoa, que para efeito de prova de vida, não seja exigido o comparecimento desses idosos e pessoas com deficiência, devendo os vulneráveis serem visitados nos seus domicílios, nas unidades hospitalares e hospitais psiquiátricos em que estejam internados, instituições de longa permanência ou entidades de acolhimento para idosos para comprovação de que estão vivos.

A promotora de Justiça instaurou um procedimento administrativo e expediu a recomendação após receber ofício do diretor presidente do Hospital Padre Zé, padre Egídio de Carvalho Neto, invocou o Ministério Público, no sentido de viabilizar a realização do procedimento de “Prova de Vida”, em relação aos pacientes idosos que encontram-se internados na unidade hospitalar após serem resgatados do Lar de Idosos Cuidarte.

“Os pacientes nominados no referido expediente foram transferidos para o Hospital Padre Zé, em virtude da interdição do Abrigo Cuidarte, pela Vigilância Sanitária-JP e Ministério Público, juntamente com mais 24 idosos, num total de 29 , os quais, devido a gravidade do estado de saúde, decorrente da negligência e maus tratos, evidenciados pelo estado geral de desnutrição e desidratação dos vulneráveis, além de outras patologias, e por força das circunstâncias necessitaram ser internados, em caráter emergencial, para tratamento médico hospitalar, para garantia e preservação da saúde e da vida”, explica a promotora.

Blog do BG com ClickPB

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

Fogo no Parquinho: Amanda Klein deixa programa na Jovem Pan após ser chamada de ‘burra’ e ‘desonesta’

Foto: reprodução

jornalista Amanda Klein, 40, pediu para sair do programa da Jovem Pan 3 em 1. Segundo conta em suas próprias redes sociais, o motivo foi o que chamou de “ambiente tóxico” que ela encontrava na atração e os “ataques pessoais” sofridos por ela. Procurada, a rádio não se manifestou.

“Pedi pra sair do 3 em 1. Em ambiente tóxico e com ataques pessoais não se faz jornalismo. E eu sou jornalista. Continuo na JP no Jornal da Manhã e em outros programas. Conto com vocês”, publicou Amanda.

Foto: reprodução

No dia anterior à decisão, Amanda teve uma discussão ríspida no programa com Rodrigo Constantino, 45, ao vivo, no momento em que comentavam a respeito da provável indicação de André Mendonça ao STF (Supremo Tribunal Federal). Ambos se desentenderam quando o tema se voltou para o casamento gay. Amanda disse que Constantino tinha um posicionamento contrário ao matrimônio entre pessoas do mesmo sexo e que depois queria negar a postura. E ele se exaltou ao negar a acusação.

O comentarista e escritor a chamou de mentirosa e desonesta e disse que ela passava vergonha na televisão. Quando ambos os lados começaram a levantar o tom de voz, a discussão foi interrompida (assista abaixo o vídeo). Após o anúncio da saída feito pela própria jornalista, Constantino comemorou em sua conta no Twitter. “Já posso pedir música no Fantástico? É sempre a mesma coisa: desmascaro o esquerdista disfarçado de jornalista, que vem sem argumentos e só com narrativas fajutas e uma agenda, eles me atacam, depois bancam a vítima e pedem para sair. Virou rotina”, disparou.

O escritor continuou a atacar Amanda em diversas postagens nas redes sociais. Em uma delas indagou os seus seguidores se “Amanda é muito burra ou muito canalha?” Depois de confirmada a saída de Amanda, ele disse que a desistência do posto deverá ser benéfica ao jornal. “Tendência é o destino de alguém assim ser na TV Doria, sem audiência, enquanto a audiência do programa 3 em 1 deve aumentar”, emendou. Amanda também é apresentadora do Opinião no Ar (RedeTV!).

Blog do BG com F5

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Paraíba

VÍDEO: juiz Ramonilson Alves critica João Azevedo de não tratar o sertão com igualdade

Foto: reprodução

O presidente do diretório do Patriota em Patos, juiz Ramonilson Alves, divulgou um vídeo onde faz críticas ao governador João Azevedo (Cidadania). Após o anúncio da instalação de uma unidade do Lacen na cidade de Sousa.

Segundo o juiz Ramonilson, o Governo da Paraíba erra pela não instalação de uma unidade na cidade de Patos, que somada a unidade de Sousa daria o suporte necessário em relação aos serviços oferecidos a população. “Não se está criticando a instalação em Sousa, é merecida, mas por que esse tratamento de diminuição em relação a região polarizada por Patos, e do Sertão da Paraíba?”, Questionou Ramonilson.

Ele também fez críticas ao governador, por ter afirmado que o Sertão não tem necessidade da implantação de um hospital de trauma, e que para isto acontecer dependeria de um estudo técnico para viabilizar a construção. Ramonilson finaliza cobrando explicações de João Azevedo e pedindo respeito com o povo do sertão.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Paraíba

A fuga de ‘Waldick Soriano’, uma dor de cabeça para um ex-candidato a prefeito de Campina Grande

Foto: Olímpio Rocha

‘Waldick Soriano’ fugiu ontem. Quase não foi localizado na cidade de Patos. Viajou dentro do capô de um carro, escondido, de Campina Grande ao Sertão. Sob um calor intenso, teve sorte de não ter perdido a vida no percurso.

Pelo relato feito nas redes sociais, Waldick, o gato de estimação do ex-candidato a prefeito de Campina Grande pelo PSOL, advogado Olímpio Rocha, foi incorporado (do ponto de vista do afeto e do carinho) à família do ex-prefeitável.

O gato conseguiu a proeza de entrar no carro do vizinho, pouco depois do raiar do dia. E só foi percebido quando o motorista, e amigo de Olímpio, parou num posto de combustíveis na saída para Sousa.

Foto: reprodução

Olímpio viajou de Campina a Patos em busca do bichano. Depois de horas, conseguiu encontrá-lo.

“Cheguei lá por volta das 16h30, perguntei aos mecânicos da oficina ao lado se tinham avistado o gato. Negaram e eu fiquei zanzando pelo matagal, chamando Waldick e balançando um pacote de ração, até que, quase meia hora depois, vi o bichano camuflado num arbusto e o peguei! Ufa!”, comemorou, nas redes sociais.

Quando disputou a prefeitura, ano passado, o advogado prometeu – em seu Plano de Governo – ações firmes na defesa dos animais. Ontem, provou que tem amor à causa. A fuga de ‘Waldick’, o gato de Olímpio, começou com uma dor de cabeça, mas teve final feliz.

Jornal da Paraíba

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Paraíba

Rui Leitão assume Direção de Rádio e Tv da Empresa Paraibana de Comunicação no lugar de Albiege Fernandes

Foto: reprodução

O Diário Oficial do Estado desta quinta-feira (8) traz uma mudança na Direção de Rádio e Tv da Empresa Paraibana de Comunicação. Sai Albiege Fernandes e entra Rui Leitão.

Rui Leitão é jornalista e escritor e ocupava no Governo do Estado a diretoria administrativa da Empresa Paraibana de Turismo (PBTUR). Ele ainda mantém uma coluna no Portal WSCOM.

Albiege estava na EPC desde 2019, ano da sua criação. Antes, ela foi diretora e superintendente do Jornal A União.

Foto: Diário Oficial do Estado – DOE

WSCOM

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Paraíba

Região Metropolitana de João Pessoa tem maior nível de desigualdade no país, diz estudo

Foto: Krystine Carneiro/G1

Na Região Metropolitana de João Pessoa o rendimento médio dos 10% moradores mais ricos passou de 50,8, no 1º trimestre de 2020, para 99,8 vezes maior do que o rendimento médio dos 40% mais pobres no 1º trimestre de 2021. É a maior taxa de desigualdade de renda do país, conforme analisado no boletim elaborado pelo Observatório das Metrópoles, em parceria com a Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) e com o Observatório da Dívida Social na América Latina (RedODSAL).

As cinco regiões metropolitanas com as maiores razões de rendimento no 1º trimestre de 2021 foram, em ordem decrescente, as regiões metropolitanas de João Pessoa (99,8), Rio de Janeiro (74,6), Recife (63,8), Salvador (59,5) e Aracaju (58,2).

As Regiões Metropolitanas que apresentaram maior crescimento da razão de rendimentos, entre os mais ricos e os mais pobres, no período, foram Rio de Janeiro (109,6%), João Pessoa (96,6%), Aracaju (76,9%), Florianópolis (63,2%) e Recife (58,4%).

A pesquisa utiliza dados provenientes das PNADs Contínuas, produzidas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e também faz a análise do coeficiente de Gini, que mede a desigualdade de uma região.

Em relação à renda, João Pessoa aparece como segunda maior região com os maiores percentuais de indivíduos vivendo em domicílios com rendimento per capita de até ¼ do salário mínimo, marcando 43,2% e perdendo apenas para Maceió, com 45,3%.

No estudo, em relação à região Nordeste I, que agrupa as regiões metropolitanas de Teresina, Fortaleza, Natal e João Pessoa, o comportamento da desigualdade de renda foi de um crescimento suave, mas constante. As três primeiras RMs tiveram médias dos coeficientes semelhantes e que se intercalaram. Porém, João Pessoa teve a maior média do coeficiente em todo o período, registrando ainda uma alta maior do que o restante em 2020.

Nos últimos quatros trimestres, a média móvel do coeficiente de Gini na região passou de 0,672 para 0,729, um crescimento de 8,5%, valor superior à média das regiões metropolitanas (4,8%).

No conjunto das metrópoles mais desiguais no 1º trimestre de 2021, com Gini acima da média, temos, em ordem decrescente de desigualdade de renda: João Pessoa, Rio de Janeiro, Recife, Aracaju e Salvador como as cinco primeiras colocadas.

As regiões metropolitanas do Nordeste se caracterizaram por um grau constantemente mais elevado de desigualdades, com aumento em Natal, João Pessoa, Maceió, Aracaju e Recife.

G1 PB

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Paraíba

Vai faltar água: Cagepa suspende abastecimento em 9 pontos da Grande João Pessoa nesta quinta-feira (8)

Foto: EBC

A Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) vai suspender, nesta quinta-feira (8), o abastecimento de água, em alguns bairros da Grande João Pessoa, das 8h às 23h. Vai faltar água no Bairro das Indústrias, Distrito Industrial, Jardim Veneza, Vieira Diniz, Cidade Verde, Loteamento Jardins, Miramar, Quadramares e Praia da Penha, na capital.

De acordo com informações da diretoria de Operação e Manutenção da Cagepa, a interrupção será necessária para que equipes da companhia realizem serviços de limpeza e desinfecção nos reservatórios R-8, R-28 e R-34, além de melhorias no R-12.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Paraíba

Boletim confirma queda significativa dos óbitos de idosos por covid-19 na Paraíba

Foto: Divulgação

O Boletim Epidemiológico (BE) nº 75 registrou uma queda significativa no registro de óbitos da população idosa da Paraíba por covid-19. O documento aponta que, em janeiro de 2021, 80% dos óbitos atingiam pessoas com 60 anos ou mais, mas no período compreendido de 23 de maio a 19 de junho de 2021, observa-se uma redução de 50% dos óbitos (uma variação percentual de 80% para 40% na participação desta faixa etária entre as vidas perdidas). A última atualização apontou ainda um aumento na perda de vidas nas faixas etárias mais jovens. Os dados são do Sistema de Informação da Vigilância Epidemiológica da Gripe (SIVEP – Gripe).

Apesar dos dados animadores, indivíduos mais jovens têm sido maioria no número de óbitos registrados no estado. As populações de 30 a 39 anos, de 40 a 49 anos e de 50 a 59 anos apresentaram uma variação para mais na participação entre os óbitos ocorridos em pontos percentuais de 9%, 15% e 20%, respectivamente.

Daniel Beltrammi, secretário executivo de gestão da rede de Unidades de Saúde da Secretaria de Estado da Saúde (Ses), informou que é necessário manter as medidas de prevenção, mesmo aqueles que receberam todas as doses recomendadas da vacina “A imunização passa a ser eficiente a partir do momento em que 70% dos indivíduos estão vacinados, até lá, o uso de máscaras e distanciamento social continuam obrigatórios”, alertou.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Paraíba

Paraíba confirma 17 mortes e 1.519 novos casos de Covid-19 nesta quarta-feira

Imagem: Gerd Altmann/Pixabay

A Paraíba registrou, nesta quarta (7), 1.519 casos de Covid-19. Também foram confirmados 17 novos óbitos desde a última atualização, sendo 05 ocorridos nas últimas 24h. De acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde ao ClickPB desde a última atualização, 71 (4,7%) são casos de pacientes graves e 1.448 (93%) são leves.

Agora, a Paraíba totaliza 403.694 casos confirmados da doença, que estão distribuídos por todos os 223 municípios. Até o momento, 1.063.566 testes para diagnóstico da Covid-19 já foram realizados.

Os óbitos confirmados neste boletim aconteceram entre os dias 10 de fevereiro e 07 de julho de 2021, quatro em hospitais privados e os demais em hospitais públicos. Com isso, o estado totaliza 8.741 mortes. O boletim registra ainda um total de 270.674 pacientes recuperados da doença.

Concentração de casos

Cinco municípios concentram 520 novos casos, o que corresponde a 34,23% dos casos registrados nesta quarta. São eles: Campina Grande, com 214 novos casos, totalizando 38.146; João Pessoa, com 179 novos casos, totalizando 100.365; Cajazeiras, com 53 novos casos, totalizando 9.284; Bayeux, com 37 novos casos, totalizando 7.531; Catolé do Rocha, com 37 novos casos, totalizando 3.845.

*Dados oficiais preliminares (fonte: e-sus VE, Sivep Gripe e SIM) extraídos às 10h do dia 07/07/2021, sujeitos a alteração por parte dos municípios.

Óbitos

Até esta quarta, 223 cidades paraibanas registraram óbitos por Covid-19. Os 17 óbitos confirmados neste boletim ocorreram entre residentes dos municípios de Cabaceiras (1); Cabedelo (2); Campina Grande (5); Caturité (1); Fagundes (1); Jacaraú (1); João Pessoa (2); Lagoa de Dentro (1); Patos (2) e Remígio (1).

As vítimas são 08 homens e 09 mulheres, com idades entre 39 a 83 anos. Hipertensão e diabetes foram as comorbidades mais frequentes e 06 não tinham comorbidades.

Ocupação de leitos Covid-19

A ocupação total de leitos de UTI (adulto, pediátrico e obstétrico) em todo o estado é de 43%. Fazendo um recorte apenas dos leitos de UTI para adultos na Região Metropolitana de João Pessoa, a taxa de ocupação chega a 42%. Em Campina Grande estão ocupados 41% dos leitos de UTI adulto e no sertão 60% dos leitos de UTI para adultos. De acordo com o Centro Estadual de Regulação Hospitalar, 43 pacientes foram internados nas últimas 24h. Ao todo, 537 pacientes estão internados nas unidades de referência.

Cobertura Vacinal

Foi registrado no sistema de informação SI-PNI a aplicação de 1.934.654 doses. Até o momento, 1.387.099 pessoas foram vacinadas com a primeira dose e 560.064 completaram os esquemas vacinais, onde 527.484 tomaram as duas doses e 32.580 utilizaram imunizante de dose única. A Paraíba já distribuiu um total de 2.210.172 doses de vacina aos municípios.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Paraíba

Herança de Grego: Cícero revela que gestão Cartaxo deixou apenas 30 leitos de UTI dedicados ao combate à covid-19

Foto: Secom/JP

Em entrevista, ao programa ‘F5’, o prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena (Progressistas), revelou que a gestão Cartaxo teria lhe deixado como herança um cenário difícil, no que se refere o combate à covid-19. Segundo o prefeito, a cidade possuía apenas 30 leitos de UTI dedicados ao atendimento da Covid.

“Recebemos com 30 UTIs instaladas para a covid e, em menos de 30 dias, tivemos que elevar para 182 UTIs. E quando a gente fala de UTIs, não é apenas números. Tivemos que conseguir equipamentos, contratar pessoal, comprar insumos para fazer o enfrentamento que, graças à Deus, foi feito”, afirmou.

De acordo com o prefeito da capital, o número elevado de UTIs foi fundamental para que a cidade pudesse receber, também, pacientes de outros municípios. Ele explicou que, em determinado momento, mais da metade dos pacientes internados não eram da Capital. “Inclusive, ajudando o Estado porque teve momento em que mais de 60% de pessoas não moradores da cidade de João Pessoa. Mas, essa é a missão do gestor público. Paciente não tem fronteira”, completou Cícero.

Blog do BG com PB Agora

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *